Frost, do Satyricon: "não vamos lançar versão dois de nada"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Leo Kreator, Fonte: Blabbermouth, Tradução
Enviar Correções  

O site australiano PyroMusic.net recentemente conduziu uma entrevista com o baterista Frost (nome real: Kjetil Vidar Haraldstad) da banda de norwegian black metal SATYRICON, que reiterou que o grupo não tem a mínima intenção de fazer trabalhos parecidos uns com os outros.

O tempo, ah o tempo!: rockstars nos anos oitenta e hoje

Black Sabbath: Tony Iommi explica diferença entre Dio e Ozzy

PyroMusic.net: De que maneira você sente que "The Age Of Nero" é melhor em relação a "Now, Diabolical"?

Frost: "Eu acho que é basicamente melhor em todos os sentidos. Eu acho que com relação à produção... não há dúvida de que é nossa melhor façanha e eu acho que as músicas são as melhores que já fizemos, então não importa como o comparemos com os álbuns anteriores, é verdadeiramente nossa melhor façanha até agora, com 'F' maiúsculo. Eu sinto que o álbum tem uma identidade muito forte por si só. Eu não vejo possível uma comparação com nenhum de nossos álbuns anteriores, mas de qualquer modo, eu sinto que esse álbum mostra muito os elementos do SATYRICON que exibimos aos nossos ouvintes durante esses anos, mas também mostra um SATYRICON bem novo, um SATYRICON que na verdade não está só subindo um degrau, mas mais ou menos dando um enorme passo. Há um novo e brilhante sentimento para tudo".

PyroMusic.net: O SATYRICON recebeu muitas críticas pelos últimos álbuns, dada a mudança na direção musical que vocês tomaram. Por quê vocês decidiram mudar a direção e você tem algum comentário a fazer sobre os que criticaram a banda por causa disso?

Frost: "Se você acompanha o SATYRICON durante sua existência, você provavelmente deve entender que somos uma banda bem criativa e que nenhum álbum é parecido com os outros de forma alguma. Há diferenças enormes entre os dois primeiros álbuns e nós nunca nos prendemos a uma fórmula durante nossa existência e só trabalhamos com ela. Eu acho que 'The Age Of Nero' é muito diferente de 'Now, Diabolical', na verdade; são duas entidades muito, muito diferentes, traços e sentimentos muito diferentes. Quanto a essa mudança de direção que você mencionou, o que eu gostaria de perguntar é, 'Por quê não deveríamos mudar?' Por quê deveríamos lançar álbuns que soam parecidos uns com os outros e são apenas versões diferentes do mesmo álbum? Eu acho que algumas pessoas na cena do metal extremo são tão conservadoras que querem ouvir a mesma coisa várias vezes e ser previsíveis, e isso é impossível para nós entendermos ou concordarmos. Se a vida não tivesse um elemento de mudança constante... temos uma assinatura do SATYRICON em tudo que fazemos, mas por outro lado há o desenvolvimento e melhoramento constantes. Em cada álbum, nós sentimos que vamos alcançar o potencial que nós temos naquele momento e cada álbum é um enorme processo de aprendizado. O que você deve esperar é que a banda siga em frente, porque gostamos de trazer algo novo e evoluir e isso é o que fazemos. Nós mudamos e tentamos tornar cada álbum uma experiência única de se ouvir".

PyroMusic.net: Você tem algum comentário para as pessoas que reprovaram a banda por se desenvolver do jeito que vocês fizeram musicalmente?

Frost: "[risadas] Bem... como eu disse, a maioria das pessoas tende a ser um tanto conservadoras e elas frequentemente querem ter o mesmo tipo de coisa previsível. Eles ouvem um álbum bom de uma banda e eles querem ver esse álbum sendo lançado de novo e de novo apenas com algumas leves diferenças e modificações. Não somos esse tipo de banda de forma alguma. Então, claro, você tem algumas reações... mas eu acho que o momento em que tivemos mais reações foi provavelmente por volta do período do 'Rebel Extravaganza', mas então a maioria das reações são na verdade bem positivas. Mas nós encontramos reações negativas de pessoas que agora querem ouvir 'Nemesis Divina' de novo ou 'Volcano' de novo ou 'Dark Medieval Times' de novo, sabe? Eles têm uma preocupação de verdade quando nós não lançamos algo desse jeito, então apenas dizemos para se conformarem com isso mas se possível experimentar esse álbum, porque não importa o que o SATYRICON lançou... 'The Age Of Nero', toda a substância do SATYRICON nunca foi melhor exibida do que nesse álbum. E eu sinto que se eles querem ficar com os álbuns antigos, então que o façam, porque não vai acontecer, não vamos fazer versão dois de nada".

Leia a entrevista completa (em inglês) neste link.




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Metal norueguês: as dez melhores bandas segundo o About.comMetal norueguês
As dez melhores bandas segundo o About.com

Sexo: os clipes mais sensuais do Metal segundo a Metal HammerSexo
Os clipes mais sensuais do Metal segundo a Metal Hammer


O tempo, ah o tempo!: rockstars nos anos oitenta e hojeO tempo, ah o tempo!
Rockstars nos anos oitenta e hoje

Black Sabbath: Tony Iommi explica diferença entre Dio e OzzyBlack Sabbath
Tony Iommi explica diferença entre Dio e Ozzy


Sobre Leo Kreator

Leo é estudante de Processamento de Dados na FATEC-SP. Trabalha como programador e dedica uma parte de seu tempo livre tocando bateria na banda de thrash metal paulistana Lanasters (que está atualmente tentando voltar à ativa...). Gosta de ouvir música BOA, mas de preferência metal - dos sub-gêneros NWOBHM, thrash, death ou black.

Mais matérias de Leo Kreator no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin