Duff McKagan: "sabíamos 4 meses antes que Scott sairia"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ligia Fonseca, Fonte: Blabbermouth, Tradução
Enviar Correções  

O baixista do VELVET REVOLVER/ex-GUNS N' ROSES Duff McKagan foi entrevistado em 10 de novembro pelo programa "The BJ Shea Morning Experience" da rádio KISW 99.9 FM de Seattle, e dentre os diversos assuntos falados, estava a demissão do vocalista Scott Weiland.

LA Weekly: as 20 piores bandas de todos os tempos

Slash: guitarrista enumera seus 10 riffs favoritos

Duff: "Nós [VELVET REVOLVER] dispensamos o [vocalista] Scott [Weiland], no último... na verdade foi no Dia da Mentira neste ano..."

BJ: Aliás, houve alguma ironia aí, Duff?

Duff: "Até que foi legal... Foi uma coisa tipo 'venha até meu escritório, você está despedido'. Tenho que dizer, passamos por muita coisa... ele meteu a gente em muitos problemas na última turnê. Então o sentimento foi meio este. Estávamos fazendo o show em Amsterdã, tocando as últimas músicas e não vou mentir, comecei a ficar um pouco... aturdido. 'Isso vai ser ótimo, isso vai ser ótimo.' Então terminamos o show e é isso aí... Slash e eu fizemos esse negócio de 'venha ao meu escritório'."

Steve Migliore: "Então vocês estavam no palco e o resto da banda sabia?"

Duff: "Ah, sabíamos quatro meses antes que faríamos isso. Só queríamos terminar a turnê primeiro."

Steve Migliore: "Uau."

Duff: "Até que foi legal. Quer dizer, não foi nada legal ter de fazer isso. Trabalhamos tanto para essa banda... mas tínhamos passado por tanta... angústia é uma palavra dramática demais... houve muita merda naquela turnê. E Scott é um cara ótimo... mas ele tem este outro demônio que não o deixa ser um cara ótimo. E isso não nos deixou fazer algo legal. Começávamos o show atrasados e ele faltou a alguns shows. Tivemos de cancelar duas turnês... Ele enfrenta tantas coisas... porque temos a mesma doença. Ao dizer tudo isso, posso brincar com algumas coisas, como dizer que enfrentamos muita merda, e foi bom tê-lo demitido. Mas deixando a brincadeira de lado, ele tem a mesma doença que eu e muitos de nós temos - alcoolismo e vício em drogas. Ele está em um ponto do vício diferente do meu. Não uso drogas nem bebo e fiz coisas para me ajudarem a passar pela vida, e tenho uma vida ótima. Alguns simplesmente têm menos sorte".




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


LA Weekly: as 20 piores bandas de todos os temposLA Weekly
As 20 piores bandas de todos os tempos

Slash: guitarrista enumera seus 10 riffs favoritosSlash
Guitarrista enumera seus 10 riffs favoritos


Sobre Ligia Fonseca

Tradutora, formada em Jornalismo pela PUC-SP, resolveu mudar de carreira quando percebeu que gostava mais de traduzir do que de escrever textos. Descobriu o rock aos 5 anos, ao assistir o clipe de "I Love it Loud" do Kiss.

Mais matérias de Ligia Fonseca no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin