Dave Mustaine: "o Tio Sam do Heavy Metal"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Gustavo Hermann, Fonte: Columbus Dispatch, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Aaron Beck, do The Columbus Dispatch, conduziu recentemente uma curta entrevista com o mentor do MEGADETH, Dave Mustaine:

The Columbus Dispatch: Dadas as diversas mudanças de formação ocorridas desde o início da banda, o que manteve o Megadeth na ativa por mais de 20 anos?

3337 acessosMegadeth: cinco vezes onde a banda foi melhor que o Metallica5000 acessosGuitar World: revista elege os 50 guitarristas mais rápidos

Mustaine: "A mentira (risos). Eu não sei. Cada formação é como um baralho de cartas diferente, e é preciso lidar com as idiossincrasias dessas pessoas. Acredito que ter crescido em um lar despedaçado e ter mudado de um lugar para outro tanto quando eu me mudei quando criança, sendo o garoto novo da escola cada novo ano (em vários subúrbios do sul da Califórnia), tornou fácil para mim conhecer pessoas e também ser capaz de decifrá-las".

The Columbus Dispatch: O Heavy Metal continua sendo uma inspiração para você?

Mustaine: "Eu ainda adoro a forma como grandes músicas de Metal e Rock me fazem sentir. Sinto-me vitorioso ouvindo-as. Eu ainda trabalho na forma como nos relacionamos com os fãs. Agora as pessoas podem mandar mensagens para o meu celular. Nos concertos nós deixamos o número para que os fãs nos digam do que gostaram e do que não gostaram a respeito do show. Estamos nos tornando o Tio Sam do metal. Estamos aqui pelas pessoas (o número do telefone: 619-717-2000). Ei, você sabia que tenho vários familiares em Cleveland e Dayton? Meu pai nasceu em Ohio e minha esposa é de Cincinnati. Adoro ir a Ohio. Fui recentemente à OSU (Ohio State University, Universidade do Estado de Ohio) e recebi tratamento médico em função da estenose que tenho nas costas. Os médicos de lá tomaram conta de mim muito bem. Amo Ohio. É uma parte muito grande do que sou. É onde meu pai e minha esposa nasceram".

The Columbus Dispatch: Estenose?

Mustaine: "Tenho um problema nas costas, uma desordem no nervo. Bater cabeça me rendeu um problema crônico de torcicolo. Mas quando estou na frente de vocês e começo a tocar penso: 'Quer saber?' E em seguida: 'Ei, suas costas doem, tome cuidado'”

The Columbus Dispatch: Você é um pioneiro no campo médico – dano permanente por bater cabeça.

Mustaine: "É apenas o resultado do uso e abuso da minha coluna. Volta e meia se torna um problema real. Eu lido com isso me alimentando de forma correta, descansando e rezando bastante. A longo prazo, se a carreira de músico se tornar inviável, posso continuar como Pastor, já que amo a Deus e sou um cristão agora".

The Columbus Dispatch: Como cristão, como você continua tocando músicas dos dias em que você era qualquer outra coisa menos cristão?

Mustaine: "Você quer dizer vivendo no passado? Se você está realmente em contato com o que está fazendo e sua música é uma extensão de vocês mesmo, se é parte do que você realmente é, ela continua fluindo, especialmente se as letras são atemporais e convincentes. Alguém me disse algo recentemente na Europa (imitando sotaque alemão): 'Então, Dave, você ainda acha que suas letras não tem nenhuma mensagem ou sentido?' Eu respondi: “Vamos ver, estamos à beira de uma guerra mundial, então ‘Holy Wars’ é bem relevante. Talvez o novo álbum ('United Abominations')? ‘Peace Sells’? ‘Countdown to Extinction’? ‘Symphony of Destruction’? ‘Wake Up Dead’?”.

A matéria completa (em inglês) pode ser lida aqui.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

MegadethMegadeth
Cinco vezes onde a banda foi melhor que o Metallica

3048 acessosHeavy Metal: os 10 melhores riffs dos anos noventa505 acessosMarty Friedman: ouça "Miracle", single do novo álbum solo3508 acessosMetallica: e se James Hetfield cantasse no Megadeth?0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Megadeth"

Thrash MetalThrash Metal
As 10 melhores baladas de bandas do gênero

MetalMetal
Dez álbuns de metal que poderiam ter sido bons mas algo deu errado

Dave MustaineDave Mustaine
Arrependimentos, Oriente Médio, bandas satânicas

0 acessosTodas as matérias da seção Entrevistas0 acessosTodas as matérias sobre "Megadeth"

Guitar WorldGuitar World
Os 50 guitarristas mais rápidos de todos os tempos

ExcessosExcessos
Como os rockstars gastam os seus milhões

Axl RoseAxl Rose
A primeira ficha policial aos 18 anos

5000 acessosEddie: a foto que supostamente inspirou Derek Riggs5000 acessosEdu Falaschi: fax com convite de seleção para o Iron Maiden5000 acessosBlind Guardian: Algumas verdades sobre Hansi Kürsch5000 acessosBlack Metal: banda brasileira fez clipe mais bizarro do universo5000 acessosSeparados no nascimento: Lady Gaga e Eddie4905 acessosMegadeth: Dave Mustaine diz que havia uma "estranheza" entre ele e Friedman

Sobre Gustavo Hermann

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Mais matérias de Gustavo Hermann no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online