Tropa de Shock - Entrevista com a banda brasileira de heavy metal

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Enviar correções  |  Ver Acessos

Tentando se tornando "referência" para bandas nacionais que queiram ser divulgadas fomos procurar uma banda que muito tem se destacado no mercado nacional e que já conta com bastante reconhecimento no exterior, o Tropa de Shock. A banda acaba de lançar seu EP chamado The Blade of The Wind e mais uma vez fez uma PROMOTOUR (em dezembro) pela Europa, já que com o lançamento de Angels of Eternity (álbum passado) já tinha feito outra tour para se promover. Resultado: sucesso absoluto! Já conhecida pelo seu heavy metal tradicional aliado ao teatro, o Tropa de Shock definitivamente entra para a lista das mais promissoras bandas nacionais a caminho do sucesso. Confira o que Don (vocalista) nos disse sobre a banda como: shows, teatro, heavy metal e muito mais.

Slayer: Kerry King se atrapalha com guitarra de 8.666 dólares e não consegue tocar introDuff McKagan: "Justin Bieber é um roqueiro de verdade!"

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Entrevista concedida à André Toral.

Whiplash! / Segundo a banda, O EP The Blade of the Wind foi lançado visando o mercado europeu. A banda se satisfez por completo?

Don / Realmente para o Tropade Shock no que era ser conhecido na Europa nos satisfez completamente, pois através do The blade of the wind temos recebido e-mails e pedidos dos Cds, por exemplo, da Lituânia, Grécia, Alemanha, além de matérias nas principais revistas especializadas com Metal Hammer, Metal Invader, Mindview Magazine, Rock Hard, entre outras.

Whiplash! / A música The Blade of the Wind aborda um conceito sobre Avalon. Qual a fonte de inspiração para letras tão inteligentes?

Don / Na verdade a intenção do The blade of the wind, ou melhor do que virá depois dele, é uma homenagem para o mundo inteiro, abordando um tema que todas as pessoas têm fascínio e medo: os deuses (seus mitos e lendas). Por aí se torna até fácil e gostoso desenvolver as temáticas para este Cd.

Whiplash! / Shadow of Lion tem arranjos muito bem construídos e os teclados exatos. Como o Tropa de Shock se reúne para compor?

Don / Temos uma forma muito nossa de trabalhar, geralmente cada um da banda trás "esqueletos semi- completos de música" e quando algum deles agrada em cheio a todos trabalhamos em cima deles. Assim foi com Shadow or Lion e o restante do EP.

Whiplash! / No CD a banda se mostra coesa e sem "buracos", ao vivo não há necessidade de um segundo guitarrista?

Don / Bom, esse problema já foi resolvido. Estivemos na Europa em dezembro passado fazendo uma PROMOTOUR. Visto que o mercado europeu (na área de heavy metal) é muito exigente sentimos a necessidade de completar o nosso time. O novo trabalho irá contar com dois guitarristas e possivelmente com um tecladista ao vivo, justamente para suprir esta ausência. Aliás, a novidade você está sabendo em primeira mão. Em breve estaremos anunciando o novo time.

Whiplash! / Como será o próximo álbum? Quando será lançado?

Don / O novo álbum terá de 10 a 11 faixas dedicadas aos "deuses do mundo". Atualmente estamos em estúdio preparando este novo material que , segundo o planejamento, será lançado no final deste ano ou início do ano que vem.

Whiplash! / De que maneira a banda está procurando superar Angels of Eternity (1°álbum) no próximo trabalho?

Don / Utilizando de temas mais fortes, sofisticando mais o som .

Whiplash! / Como foi conhecer a Europa, ter sido bem recebido com o primeiro álbum(Angels of Eternity) além das críticas muito positivas?

Don / Pessoalmente é mais um banho de cultura e o mais legal é saber como o heavy metal brasileiro é bem aceito lá fora e o que nos torna muito orgulhosos, principalmente em saber que as maiores revistas de heavy nos têm dado um bom espaço falando do nosso trabalho

Whiplash! / O que a banda espera para a futura tour na Europa?

Don / Esperamos mostrar a garra do metal brasileiro e conquistar o maior de número de fãs possível.

Whiplash! / O Tropa de Shock se utiliza de teatro em seus shows. De que maneira isso contribui e que tipo de encenações a banda usa ao vivo?

Don / Assim como as bandas dos anos 80 (nossa fonte de inspiração) tentamos encenar uma ou outra música forte do CD, o que causa uma certa curiosidade com o público em relação ao trabalho visual da banda. Por exemplo, no Angels of Eternity era a apresentação da Bad Woman (nossa mascote) ao público. Utilizávamos uma entrada de pirâmide, anjos, a própria metade do rosto da "Bad", fogos e fumaça. No The Blade of the Wind por se tratar de Avalon, usamos o cenário da capa do CD e como simbologia a espada, pedra e capa do Rei Arthur.

Whiplash! / Vocês acham que o heavy metal puro aliado ao teatro ao vivo do Tropa de Shock, pode ser um grande diferencial já que este estilo de show ficou no passado?

Don / Para o Tropa de Shock tem funcionado muito , pois acreditamos ser uma das pouquíssimas bandas do Brasil a se utilizar disso, o que realmente chamou bastante atenção no exterior.

Whiplash! / Atualmente o heavy melódico ocupa a maior parte do mercado, mas cada vez mais tem surgido bandas como o Tropa de Shock que apostam num estilo tradicional e pesado. Vocês têm encontrado bastante espaço na cena?

Don / Sim porque nós utilizamos todo nosso peso de heavy tradicional e modernizamos o trabalho com "pitadas" de melódico.

Whiplash! / (Para Don, vocalista) Seu estilo vocal é diferente e não se assemelha diretamente a outros vocalistas. Como você moldou sua voz?

Don / Na verdade eu não moldei minha voz. Talvez o fato de nunca ter cantado "covers" tenha me ajudado a desenvolver minha própria voz e estilo.

Whiplash! / A maioria dos músicos do Tropa de Shock estudou em conservatórios ou com professores. Visto que a maioria do músicos que tem este tipo de formação possuem bandas técnicas e complexas, foi difícil optar por fazer um heavy tradicional?

Don / Achamos que a linguagem musical que utilizamos está associada diretamente ao grande público e não a uma pequena parte de pessoas e o mais importante é que gostamos do estilo.

Whiplash! / O Tropa de Shock tem feito muitos shows no Brasil?

Don / Sim, fomos uma das bandas que mais shows no ano passado. Atualmente estamos parados compondo o novo material.

Whiplash! / Como andam os contatos no exterior?

Don / De vento em popa. Estamos surpresos com quantidade de e-mails das pessoas que conhecemos e que contatamos também. Além disso, fechamos um contrato com uma empresa de promoção italiana que está acertando os detalhes da turnê e do lançamento do novo Cd , além de uma empresa francesa e outra grega.

Whiplash! / A banda abriu o show de Paul Di'anno(ex- vocal/Maiden) em Sorocaba(SP). Vocês acham que ao invés das bandas pagarem para abrir shows internacionais, poderiam se escolhidas por sua qualidade, uma vez que no Brasil existem muitas bandas qualificadas?

Don / Assim como já disse em outras entrevistas sou totalmente contra pagar qualquer coisa. Acho que as bandas deveriam ser colocadas por mérito pois afinal de contas será que todas as bandas brasileiras têm que receber carimbo lá fora para conseguir alguma coisa aqui dentro. Na Europa o costume é de que as gravadoras paguem e não os próprios músicos.

Whiplash! / O que a banda destacaria no atual cenário metálico, a nível nacional e internacional?

Don / Nacional Angra e no internacional Primal Fear, Hammerfall, Stratovarius, Rapsody e a volta do velho "Maiden".

Whiplash! / Deixem um recado para o Brasil e ao Whiplash!.

Don / Quanto mais metal brasileiro nós tivermos nas veias, mais o Brasil conquistará o metal no mundo. E ao Whiplash, parabéns por um veículo como esse valorizar o cenário nacional e ...Up de Tropas!!!!

Se o pessoal quiser receber um desenho da Bad Woman acesse a nossa página: www.tropa.cjb.net ou www.fanzine.net/bands/tropadeshock/




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Tropa De Shock"


Slayer: Kerry King se atrapalha com guitarra de 8.666 dólares e não consegue tocar introSlayer
Kerry King se atrapalha com guitarra de 8.666 dólares e não consegue tocar intro

Duff McKagan: Justin Bieber é um roqueiro de verdade!Duff McKagan
"Justin Bieber é um roqueiro de verdade!"


adClio336|adClio336