Avó baterista: nunca é tarde para tocar

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Leonardo Daniel Tavares da Silva, Fonte: La Crosse Tribune, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

A identidade da sensação do YouTube chamado "grandma drummer" foi revelada segunda-feira quando a instrumentista visitou a loja Coalition Drum Shop para sentar a mão na na bateria, mais uma vez.

5000 acessosMetallica: James Hetfield imitando Dave Mustaine na TV5000 acessosCinema: o melhor e o pior dos rockstars em filmes

A moradora de Onalaska, Wisconsin, Estados Unidos, Mary Hvizda Tornou-se ficou famosa da noite para o dia depois que um vídeo dela, que tem 63 anos de idade, tocando bateria foi publicado on-line por empregados da loja de baterias quinta-feira.

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

O vídeo ganhou mais de 100.000 acessos até as 06:00 sexta-feira e acumulou mais de 1 milhão, 24 horas depois.

"Isso tudo aconteceu em dois dias", disse o gerente da loja, Dustin Hackworth. "Eu fui para a cama e tinha 200 visitas e eu acordei e tinha 700 mil."

E o número continua a aumentar.

Hvizda não tinha conhecimento do sucesso do vídeo e ignorava o reconhecimento da mídia até que ela se viuno La Crosse Tribune. Ela estava trabalhando entregando o jornal e viu sua foto na primeira página.

Hvizda disse que queria se tornar uma música famosa desde que ela se juntou à sua primeira banda de rock, mas nunca pensou que era boa o suficiente para fazê-lo.

"É legal saber que você tem o talento para fazê-lo", disse ela. "Estou muito grato em ter aprendido a tocar uma bateria."

Ela começou a tocar bateria quando tinha 16 anos. Ela começou na banda marcial Aquinas e passou a participar da La Crosse Black Hawks Drum Corps patrocinada pela Legião Americana.

Jim Moe, um professor aposentado , disse que o coração de Hvizda foi sempre a tocar bateria, e apesar de "vinda ao mundo da bateria na época era um não-não" para as mulheres, ela nunca perdeu de vista sua paixão.

"Maria é a mesma pequena cabeça quente que era quando criança", disse.

Hvizda continuou a tocar bateria quando adulta e foi membro de uma variedade de bandas de La Crosse , como Exit, On the Road Again e Good Times.

Mas ela parou de tocar em 1990, para trabalhar mais e vendeu sua bateria para sobreviver.

Hvizda comecei a tocar bateria de novo quando a Coalition Drum Shop abriu no ano passado e ofereceu-lhe a oportunidade de tocar gratuitamente na loja. Ela disse que antes de começar a tocar na loja faziam de 10 a 15 anos desde a última vez que ela tinha tocado.

Em uma dessas oportunidades, um vídeo de sua performance foi tirada.

"É muito legal que ela ainda esteja fazendo isso", disse Lisa Johnson, esposa do dono da loja Carl Johnson. "Ela é tão humilde".

Agora, a "avó baterista" é reconhecido por onde passa e está sendo contatada por dezenas de jornais e sites de entretenimento para tocar.

E ela nem sequer é uma avó.

"Eu acho que eu só queria ouvir música e se divertir", disse . "Obrigado por me fazer sentir importante."

Fotos: Coalition Drum Shop

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Curiosidades

MetallicaMetallica
James Hetfield imitando Dave Mustaine na TV

CinemaCinema
O melhor e o pior dos rockstars em filmes

SepulturaSepultura
Derrick Green não era o cara certo, diz Max Cavalera

5000 acessosButcher Babies: Conheça o Porn Metal de ex-coelhinhas da Playboy5000 acessosLobão: show mais curto da história do Rock não pertence a ele5000 acessosOrtografia: como deveriam realmente se chamar as bandas?5000 acessosDee Snider: Eddie Van Halen está completamente abilolado5000 acessosGlenn Hughes: Análise vocal do cantor5000 acessosBruno Sutter: ouça em primeira mão o 1º single, "The Best Singer in the World"

Sobre Leonardo Daniel Tavares da Silva

Daniel Tavares nasceu quando as melhores bandas estavam sobre a Terra (os anos 70), não sabe tocar nenhum instrumento (com exceção de batucar os dedos na mesa do computador ou os pés no chão) e nem sabe que a próxima nota depois do Dó é o Ré, mas é consumidor voraz de música desde quando o cão era menino. Quando adolescente, voltava a pé da escola, economizando o dinheiro para comprar fitas e gravar nelas os seus discos favoritos de metal. Aprendeu a falar inglês pra saber o que o Axl Rose dizia quando sua banda era boa. Gosta de falar dos discos que escuta e procura em seus textos apoiar a cena musical de Fortaleza, cidade onde mora. É apaixonado pela Sílvia Amora (com quem casou após levar fora dela por 13 anos) e pai do João Daniel, de 1 ano (que gosta de dormir ouvindo Iron Maiden).

Mais matérias de Leonardo Daniel Tavares da Silva no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online