Sepultura: Max Cavalera fala de suas tatuagens em vídeo

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Fernando Portelada, Fonte: Blabbermouth, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

O frontman do SOULFLY e ex-SEPULTURA, Max Cavalera, falou sobre algumas de suas tatuagens para o "Behind The Ink". O vídeo abaixo foi filmado em 11 de outubro de 2012 em Berlim.

2316 acessosMax, Igor e Sepultura: vídeo compara performances ao vivo5000 acessosSilverchair: a história por trás da capa de Freak Show

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

Behind The Ink: O que a tatuagem significa para você?

Max: “Entrei nesse mundo bem jovem, sabe? Eu tinha provavelmente uns 12 anos... quando fiz minha primeira. Foi um tatuador famoso que estava em minha cidade, Belo Horizonte, onde eu vivia no Brasil [...]. Um amigo fez uma tatuagem e eu achei muito legal, e eu precisava de dinheiro, então vendi minha coleção do KISS. Eu tinha toda a coleção do KISS em vinil, acho que uns 30 álbuns. Então eu vendi minha coleção e fui lá ver o cara e ele fez sem a permissão da minha mãe, você sabe... você precisa da permissão dos seus pais, e aí os problemas começaram. Eu cheguei em casa e tive que esconder da minha mãe, porque ela não queria que eu fizesse tatuagens. Eu me desenhava com canetas tentando contar a verdade: ‘Eu vou fazer uma tatuagem...’ E ela dizia ‘Não, você não vai!’.”

“Meu erro foi não ser um bom mentiroso. Antes de dormir troquei os curativos da tatuagem e deixei o antigo, cheio de sangue, em cima da pia. Minha mãe abriu a porta do quarto mais ou menos à meia noite gritando: ‘Mostre o seu braço! ’ [...]. Nessa noite eu dormi na varanda... ela me fez dormir fora de casa. Hoje ela já tem três tatuagens. Eu devia fazê-la dormir na varanda também.”

Behind The Ink: Onde foi sua primeira tatuagem?

Max: “Ela não está mais comigo... Eu a cobri. Era um dragão, mais ou menos deste tamanho (Max faz um sinal com as mãos). Mais ou menos como o Godzilla, e você pode vê-la no ‘Schizofrenia’, o álbum do SEPULTURA. Há uma foto minha atrás, tocando guitarra. A tatuagem com o dragão ainda estava lá.”

Behind The Ink: Você acha melhor ter tatuagens com significado, ao invés de só desenhos?

Max: “Quando você é bem jovem, você não pensa tão profundamente sobre elas. Acho que quando você envelhece tudo começa a fazer sentido e você começa a fazer coisas com mais significado em seu corpo. Os meus tribais (mostra o pescoço) foram feitos após visitar uma tribo no Brasil, os Xavantes, peguei esse design deles. Fiz para me lembrar de minha aventura com os índios [...] Acho mais interessante quando você faz algo com significado.”

Behind The Ink: Qual sua tatuagem mais importante?

Max: “Provavelmente esta, porque está no pescoço, sabe? Você não pode escondê-la. [...] Está no seu pescoço... é uma das minhas favoritas.

Behind The Ink: E as outras?

Max: “Tenho o nome de meus filhos nos meus punhos. Fiz essa quando Zyon nasceu, 18 anos atrás, e Igor [...]. É o nome do meu irmão e do meu filho. Tem também meu enteado, que foi morto em 1996. Todas as outras são mais diferentes, de coisas da minha carreira, como o tribal.”

(Max mostra o braço esquerdo, com o Taz, personagem do Looney Tunes)

Max: “Esta eu fiz bêbado na Filadélfia. Nem me lembro de fazê-la. Lembro de acordar na manhã seguinte e ela estava lá.”

Max: “Esta e uma das minhas favorita, os globos oculares. É obra de Paul Booth. Ele é de Nova York, famoso por sua arte sombria. Nós andávamos juntos nos anos 1990. Ele saiu em turnê conosco, tatuou vários caras nesta turnê. Tem uma boa história: Nós estávamos em um hotel e ele ia me tatuar, mas a janela estava aberta e podíamos ver uma Igreja. Ele queria fechar a janela porque dava para ver a Igreja. Este olho na verdade é baseado em Laranja Mecânica. [...]

(No braço Direito)

Max: “Esta é SEPULTURA em Japonês. Já está sumindo, esta aqui é design de Igor, foi minha segunda tatuagem. É uma caveira com uma espada com asas que o atravessa. Eu tinha provavelmente uns 13 anos.”

Max: “Esta aqui é onde o dragão estava. Eu o cobri com esta. Era mais ou menos deste tamanho e eu acho que não valeu minha coleção do KISS”.

Max: “Esta aqui é de Jonathan Shaw, um tatuador famoso dos Estados Unidos. Ela é quase como um grafite, não tem realmente um significado. Esta (mostrando o pulso) foi um presente para minha esposa. É um coração verde. Tem escrito M e G. Max e Glória. Ela fez um coração aqui no peito e eu queria fazer algo para ela. Tem esta outra (mostrando o outro coração) com seu nome.”

Max: “No peito tenho esta outra de Paul Booth, um Gárgola. Ainda não foi finalizada, tenho que adicionar algumas coisas, mas não tive tempo de me encontrar com Paul.”

Max: “Tenho o símbolo do SEPULTURA em minhas costas... Ainda tenho que fazer um do SOULFLY.”

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 27 de junho de 2014

Max, Igor e SepulturaMax, Igor e Sepultura
Vídeo compara performances ao vivo

2529 acessosSepultura: Jean Dolabella comenta sobre documentário da banda0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Sepultura"

Andreas KisserAndreas Kisser
Não tenho por que não ouvir as bandas do Max

Max CavaleraMax Cavalera
O Cavalera Conspiracy é mais Sepultura que o Sepultura

PanteraPantera
Gloria Cavalera lembra da louca turnê

0 acessosTodas as matérias da seção Curiosidades0 acessosTodas as matérias sobre "Tatuagens"0 acessosTodas as matérias sobre "Sepultura"0 acessosTodas as matérias sobre "Soulfly"0 acessosTodas as matérias sobre "Cavalera Conspiracy"

SilverchairSilverchair
A triste história por trás da capa do álbum Freak Show

AerosmithAerosmith
Steven Tyler e três mulheres nuas no chuveiro

Iron MaidenIron Maiden
O pior momento de Bruce Dickinson no palco

5000 acessosExcessos: como os rockstars gastam os seus milhões5000 acessosComo Conservar e Recuperar Cordas de Baixo5000 acessosSkank: banda foi enganada ao participar de programa da Xuxa5000 acessosDee Snider: Kiss se vendeu e não deveríamos tê-los perdoado4780 acessosMetal Underground: 10 Bandas que você precisa ouvir5000 acessosHangar: Pesada troca de críticas entre Aquiles Priester e ex-vocalistas

Sobre Fernando Portelada

25 anos, Blogger, Podcaster, Gamer, Leitor de Quadrinhos, Ouvinte de Rock, Jornalista, e chato acima de tudo. Ouviu Imaginations From The Other Side do Blind Guardian aos 13 anos, emprestado por um amigo de escola. Ainda é um de seus álbuns preferidos.

Mais matérias de Fernando Portelada no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online