Amon Amarth: um dos grandes álbuns ao vivo da história do metal

Resenha - Pursuit of Vikings - Amon Amarth

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Seelig
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Grandes álbuns ao vivo transformam bandas em lendas. "Made in Japan" fez isso com o Deep Purple em 1972. "Alive!" mostrou a incrível força do Kiss em 1975. "Live After Death" eternizou o auge do Iron Maiden em 1985. Exemplos não faltam.

Amon Amarth: novo álbum "Berserker" será lançado em CD nacionalGhost: De quais bandas brasileiras eles gostam?

Essa lista acaba de ganhar um novo integrante com "The Pursuit of Vikings: 25 Years in the Eye of the Storm", que comemora o aniversário da banda sueca Amon Amarth, maior nome do viking metal mundial já há alguns anos. O título acaba de sair no Brasil em um luxuoso box triplo com 2 DVDs e 1 CD. O primeiro disco traz um documentário sobre o grupo, enquanto o segundo vem com o show realizado pela banda no festival alemão Summer Breeze em 2017 e o terceiro vem com o áudio dessa apresentação. O foco deste review é apenas o CD, não o vídeo.

Gravado durante a turnê de divulgação do excelente "Jomsviking" (2016), o material traz cinco canções do disco entre as suas dezesseis faixas: "First Kill", "The Way of Vikings", "At Dawn's First Light", "Raise Your Horns" e "A Dream That Cannot Be", essa última com a participação de Doro Pesch. O tracklist equilibra composições de toda a carreira da banda e passa a limpo uma trajetória que já entrou para a história do heavy metal.

"The Pursuit of Vikings" comprova o impacto do som do Amon Amarth junto ao público. São fartos os momentos de participação da audiência, seja cantando os refrãos ou entoando as melodias, ou apenas respondendo às interações do vocalista Johan Hegg.

A banda, entrosada ao extremo, domina o repertório e o palco. A interação entre as guitarras de Olavi Mikkonen e Johan Söderberg é intensa, enquanto o baixo de Ted Lundström recheia tudo com ainda mais peso. Como toda banda de death melódico que se preze - e essa é a essência da sonoridade dos suecos -, o trabalho de bateria é extremamente técnico e preciso, cortesia de Jocke Wallgren.

Um dos grandes álbuns ao vivo da história recente do metal, "The Pursuit of Vikings" é também o documento da força do Amon Amarth, uma banda repleta de ótimas canções e com um público que cresce a cada ano.

Que venham mais 25 anos, brothers!




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Amon Amarth"


Amon Amarth: novo álbum "Berserker" será lançado em CD nacional

Wacken: anunciadas as primeiras atrações de 2020Wacken
Anunciadas as primeiras atrações de 2020

Death Metal: as 10 melhores bandas de acordo com a AOLDeath Metal
As 10 melhores bandas de acordo com a AOL

Heavy Metal: as 10 capas mais de macho de todos os temposHeavy Metal
As 10 capas mais "de macho" de todos os tempos

Tolkien: A influência do autor no rock e no heavy metalTolkien
A influência do autor no rock e no heavy metal


Ghost: De quais bandas brasileiras eles gostam?Ghost
De quais bandas brasileiras eles gostam?

Heavy Metal: Os 11 melhores álbuns dos anos 2000 segundo o LoudwireHeavy Metal
Os 11 melhores álbuns dos anos 2000 segundo o Loudwire

Dinho Ouro Preto: É assustador ver todo o rock ficar de direitaDinho Ouro Preto
"É assustador ver todo o rock ficar de direita"

Hit Parader: Os maiores vocais do Heavy Metal segundo a revistaSlipknot: "pastor" detecta mensagens subliminares nas capasCapas de álbuns: as mais obscuras e marcantes da históriaOzzy Osbourne: o veredito do madman sobre plágio do Led Zeppelin

Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

adGooILQ