RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemOs 10 maiores vocalistas de heavy metal de todos os tempos, em lista do Ruthless Metal

imagemA música de Raul Seixas que salvou a carreira de Chitãozinho e Xororó

imagemComo Tommy Lee e o Mötley Crüe ajudaram Axl Rose a escrever "November Rain"

imagemQual era a opinião de Tony Iommi sobre Ozzy Osbourne solo e Randy Rhoads em 1984?

imagemEx-guitarrista do Megadeth não liga para Mustaine e diz que está "fazendo dinheiro para ele"

imagemOs 10 maiores álbuns da história do grunge, em lista do Brave Words

imagemPor que Lemmy odiava tocar "Ace of Spades" nos shows do Motörhead

imagemPaul McCartney quase foi atropelado ao tentar recriar famosa cena de capa de disco

imagemSlash se sente feliz por não existir internet nos primórdios do Guns N' Roses

imagemO Raul Seixas não era nada daquilo que ele falava, diz ex-parceiro musical

imagemO hit dos Beatles que talvez seja sobre drogas e que "Jesus" acompanhou gravação

imagemO brasileiro com a voz parecida com a de Axl Rose que viralizou no TikTok

imagemOs 4 fatores determinantes que levaram Renato Russo a dependência química

imagemOmelete diz que heavy metal pertence agora à nova geração e não ao tiozão headbanger

imagemQuatro músicas de artistas brasileiros que citam Os Paralamas do Sucesso


Stamp

Barão Vermelho: banda lança novo disco, e ele é surpreendente

Resenha - Viva - Barão Vermelho

Por Ricardo Seelig
Postado em 19 de agosto de 2019

O Barão Vermelho começa a terceira fase de sua carreira com "Viva". Primeiro álbum com canções inéditas das banda carioca em 15 anos, desde o auto intitulado disco lançado em 2004, o trabalho é o primeiro com o vocalista e guitarrista Rodrigo Suricato, que substituiu Roberto Frejat em 2017. O trio restante possui história longa: o baterista Guto Goffi (um dos fundadores da banda), o tecladista Maurício Barros (co-fundador do grupo) e o guitarrista Fernando Magalhães (desde 1986 no Barão).

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Suricato possui um timbre semelhante ao de Frejat, e isso ameniza, em alguns aspectos, o sentimento de vazio ao ouvir o primeiro álbum da extensa trajetória do Barão – a banda foi fundada em 1981 no Rio de Janeiro – sem o vocalista e guitarrista. Se nos seus primeiros anos a banda dava forma às letras incríveis de Cazuza, no longo período com Frejat à frente o Barão foi do mergulho no rock e no blues até momentos descaradamente pop e que descaracterizaram o som do grupo, vide "Puro Êxtase" (1998).

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em "Viva", que foi produzido pelo próprio Maurício Barros e traz uma linda capa criada por Alberto Pereira, temos um disco essencialmente de rock, com um clima ensolarado e letras que olham para o passado enquanto apontam para o futuro. As canções fazem questão de enfatizar a união da formação atual – ouça a letra de "Jeito", por exemplo – e, musicalmente, trazem uma sonoridade enxuta e crua, um rock básico e cheio de energia e que contrasta com a época em que o falecido Peninha encorpava as canções da banda com a sua percussão personalíssima.

A maior curiosidade dos fãs fica por conta da participação de Rodrigo Suricato, e ele não decepciona. Confesso que nunca acompanhei o seu trabalho anterior na banda que levava o seu sobrenome, mas em Viva Suricato assume o controle e leva o Barão Vermelho por um novo caminho promissor e que, ainda que não alcance o nível da clássica época com Cazuza ou de obras-primas como "Na Calada da Noite" (1990) e "Carne Crua" (1994), mostra autenticidade e tesão para seguir em frente.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Entre as músicas, destaque para o clima blues na estrada da ótima "Eu Nunca Estou Só" (com participação do rapper BK), o pop rock de "Por Onde Eu For" (com ótima letra), a cativante "Jeito", o rock cru e bem Stones de "Tudo por Nós 2", a balada "A Solidão Te Engole Vivo" e o doce encerramento com "Pra Não Te Perder", com participação de Letrux.

"Viva" é um retorno inesperado de uma banda que fez história e é fundamental para o rock brasileiro. E melhor: o disco é muito melhor do que todos estavam esperando.

Assim como o rock, o Barão segue vivo. E isso é demais!


Outras resenhas de Viva - Barão Vermelho

Resenha - Viva - Barão Vermelho

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:
Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps



Renato Russo e Cazuza não seriam tão geniais se fossem heterossexuais, segundo Alvin L

Por que mãe de Cazuza ficou impressionada com astróloga que fez mapa astral de seu filho


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.
Mais matérias de Ricardo Seelig.