The Exploited: o disco mais político de uma lenda do punk inglês

Resenha - Let's Start a War ... (Said Maggie One Day) - Exploited

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Seelig, Fonte: Collectors Room
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Terceiro álbum da banda inglesa The Exploited, "Let's Start a War ... (Said Maggie One Day)" está sendo relançado no Brasil pela Hellion Records. O disco saiu em 1983 e seu título é uma crítica à decisão da então Primeira Ministra britânica, Margaret Thatcher, de declarar guerra à Argentina pela disputa das Ilhas Malvinas - as Falklands, para os ingleses -, em 1982. O disco traz um forte discurso anti-Thatcher, posicionamento bastante presente nos anos iniciais do The Exploited e que permaneceu agressivo até Thatcher deixar o poder, em 1990.

Metallica e Iron Maiden: veja a diferença absurda de faturamento em shows nos EUADane-se Bruce Dickinson: Simone Simons no metrô é muito melhor

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Let's Start a War" marcou também a estreia da nova formação do quarteto, que foi totalmente reformulado na época. Apenas o vocalista Wattie Buchan permaneceu no grupo, cuja formação foi completada por Billy (guitarra), Wayne Tyas (baixo) e Willie Buchan (bateria). O álbum é considerado o trabalho mais político do Exploited, refletindo o período conturbado vivido pela Inglaterra, com a classe trabalhadora, de onde vinham os músicos do grupo, sendo um dos principais focos da política econômica de Margaret Thatcher.

O que temos em "Let's Start a War" são doze faixas de um punk rock simples e agressivo, tosco em alguns momentos, mas sempre bastante sanguíneo e energético, como o Exploited foi durante toda a sua carreira. O apuro instrumental e técnico nunca esteve entre as prioridades da banda, e o disco é um exemplo desse desapego. O uso de backing vocals imprime mais profundidade a algumas canções, enquanto em certas faixas os riffs de guitarra aproximam-se, mesmo que timidamente, da cena mais extrema do metal da época, como Motörhead e Venom. O álbum conta com diversas introduções na abertura das músicas trazendo falas reais de Margaret Thatcher e manchetes televisivas, recurso esse que funciona como uma espécie de pilar documental do que a banda sentia e vivia no período.

Entre as músicas, destaque para "Rival Leaders", "Psycho" e "Kidology", um trio de canções rápidas e que mostra a veia hardcore do The Exploited. E vale mencionar que a arte da capa é uma das mais icônicas do gênero, com a caveira com moicano que se tornou a marca registrada do Exploited.

Se você é fã de punk rock e gosta do estilo, "Let's Start a War ... (Said Maggie One Day)" é um disco bem legal para ter na sua coleção. A nova edição brasileira é uma ótima oportunidade para adquirir um dos álbuns mais marcantes do punk dos anos 1980.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Exploited"


Punk Rock: seja feio, beba muito, e nunca penteie o cabeloPunk Rock
Seja feio, beba muito, e nunca penteie o cabelo


Metallica e Iron Maiden: veja a diferença absurda de faturamento em shows nos EUAMetallica e Iron Maiden
Veja a diferença absurda de faturamento em shows nos EUA

Dane-se Bruce Dickinson: Simone Simons no metrô é muito melhorDane-se Bruce Dickinson
Simone Simons no metrô é muito melhor


Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

adGoo336