JEV: hard rock encorpado, consistente e abrasivo

Resenha - JEV - JEV

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Victor de Andrade Lopes
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9

Depois de um início marcado por shows em festas e casas noturnas e de muitas mudanças na formação, o quarteto joseense de hard rock JEV encontrou em 2016 a oportunidade para lançar seu álbum de estreia, autointitulado.

Rock in Rio: Os cachês e exigências dos artistas na edição de 1991Bandas Novas: 10 coisas que vocês jamais devem dizer no palco

Com uma formação solidificada e bem entrosada, o JEV conseguiu, de primeira, marcar seu nome no mapa com um dos melhores lançamentos do gênero nos últimos anos. Diferente de 90% das bandas de hard rock nacionais, eles têm riffs verdadeiramente abrasivos e empolgantes, com aromas de grunge e alternativo. E os grandes responsáveis por isso são Hebert Davis e Glauber Ribat.

Mas essas seis cordas não funcionariam tão bem sem a cozinha rítmica do baixo (também tocado por Glauber) e da bateria de Magnus Synth. E o time se completa com os vocais do próprio Hebert, uma espécie de cruzamento de Tobias Sammet (Edguy e Avantasia) com Olli Herman (Reckless Love).

Depois da introdução clichê "The Racing", com ronco de motores e tudo, vem a explosiva abertura "Driver". E aí o trabalho vai avançando de modo coeso, incluindo faixas mornas como "Move It On" e "Your Look" e pontos altos como as ótimas "Wildest Youth" e "Everytime I'll Loose [sic] My Mind". O ritmo só é quebrado pelo interlúdio instrumental "Syren", que se ouvido com fone de ouvido, deixa você com a mesma cara da pessoa registrada na página do encarte em que a música é mencionada.

O único tropeço de Jev está nas letras. Gramaticalmente falando, há passagens que não fazem sentido algum. Sem falar em alguns problemas na pronúncia, como no refrão de "Driver". Seria interessante investir num consultor de língua inglesa, se a banda quiser alcançar ouvidos internacionais ou mesmo um público nacional mais treinado no idioma - potencial para isso, eles têm de sobra.

Abaixo, o clipe de "Wildest Youth":

Track-list:
1. "The Racing"
2. "Driver"
3. "Move It On"
4. "Syren"
5. "Wildest Youth"
6. "Your Look"
7. "When is Love"
8. "Heaven"
9. "Over This Time"
10. "Everytime I'll Loose My Mind (Long Live Rock and Roll)"

Fonte: Sinfonia de Ideias
http://bit.ly/jev2016


Outras resenhas de JEV - JEV

JEV: 10 canções muito boas aliadas a peso, técnica e melodia




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "JEV"


Rock in Rio: Os cachês e exigências dos artistas na edição de 1991Rock in Rio
Os cachês e exigências dos artistas na edição de 1991

Bandas Novas: 10 coisas que vocês jamais devem dizer no palcoBandas Novas
10 coisas que vocês jamais devem dizer no palco


Sobre Victor de Andrade Lopes

Victor de Andrade Lopes é jornalista (Mtb 77507/SP) formado pela PUC-SP com extensões em Introdução à História da Música e Arte Como Interpretação do Brasil, ambas pela FESPSP, e estudante de Sistemas para Internet na FATEC de Carapicuíba, onde mora. É também membro do Grupo de Usuários Wikimedia no Brasil e responsável pelo blog Sinfonia de Ideias. Apaixonado por livros, ciências, cultura pop, games, viagens, ufologia, e, é claro, música: rock, metal, pop, dance, folk, erudito e todos os derivados e misturas. Toca piano e teclado nas horas livres.

Mais matérias de Victor de Andrade Lopes no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336