Matérias Mais Lidas

Megadeth: Dave Mustaine, agora, é faixa roxa em jiu-jitsu brasileiroMegadeth
Dave Mustaine, agora, é faixa roxa em jiu-jitsu brasileiro

Rock in Rio: há 30 anos, Axl Rose exigia VJ desconhecida da MTV para entrevistá-loRock in Rio
Há 30 anos, Axl Rose exigia VJ desconhecida da MTV para entrevistá-lo

Iced Earth: Fãs que apoiaram vaquinha de Schaffer querem dinheiro de voltaIced Earth
Fãs que apoiaram vaquinha de Schaffer querem dinheiro de volta

Loudwire: o melhor álbum de thrash metal de cada ano, de 1983 até 2020Loudwire
O melhor álbum de thrash metal de cada ano, de 1983 até 2020

Robert Fripp: novo cover de Billy Idol, agora com esposa vestida de cheerleaderRobert Fripp
Novo cover de Billy Idol, agora com esposa vestida de cheerleader

Dream Theater: Show de comeração de 25 anos do Images & Words será transmitidoDream Theater
Show de comeração de 25 anos do Images & Words será transmitido

Iced Earth: Jon Schaffer se entrega e é preso por estar em invasão ao CapitólioIced Earth
Jon Schaffer se entrega e é preso por estar em invasão ao Capitólio

Metallica: Dave Lombardo diz que tocar com o Metallica ao vivo foi históricoMetallica
Dave Lombardo diz que tocar com o Metallica ao vivo foi histórico

Van Halen: Michael Anthony diz que Eddie era uma pessoa muito humildeVan Halen
Michael Anthony diz que Eddie era uma pessoa muito humilde

Iced Earth: fotos mostram Jon Schaffer segurando spray de urso no CapitólioIced Earth
Fotos mostram Jon Schaffer segurando spray de urso no Capitólio

Inesquecíveis: 50 grandes sucessos do rock e do metal que nunca saem de modaInesquecíveis
50 grandes sucessos do rock e do metal que nunca saem de moda

In Flames: Peter Iwers diz que não se arrepende de ter saído da bandaIn Flames
Peter Iwers diz que não se arrepende de ter saído da banda

Megadeth: entenda todas as referências existentes na letra da música VictoryMegadeth
Entenda todas as referências existentes na letra da música "Victory"

AC/DC: eles tentavam cooptar fãs antes de viciarem em Pink Floyd na faculdadeAC/DC
Eles tentavam cooptar fãs antes de viciarem em Pink Floyd na faculdade

Phil Spector: Brilhante produtor, péssimo marido, diz ex-esposa Ronnie SpectorPhil Spector
"Brilhante produtor, péssimo marido", diz ex-esposa Ronnie Spector


Matérias Recomendadas

Zakk Wylde e Dave Grohl: A treta por causa de canções para OzzyZakk Wylde e Dave Grohl
A treta por causa de canções para Ozzy

Deep Purple: O relacionamento de Gillan com Ritchie, Satriani, Coverdale e HughesDeep Purple
O relacionamento de Gillan com Ritchie, Satriani, Coverdale e Hughes

Anette Olzon: ex-vocal do Nightwish trabalha como enfermeira de segunda a sextaAnette Olzon
Ex-vocal do Nightwish trabalha como enfermeira de segunda a sexta

Slayer: cronologia de Hanneman, da picada da aranha até a morteSlayer
Cronologia de Hanneman, da picada da aranha até a morte

Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1987Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados em 1987

Stamp

In Flames: um bom EP de covers, mas não empolga

Resenha - Down, Wicked & No Good - In Flames

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Flavio Lens
Enviar Correções  

6

Já é fato que o In Flames há muito tempo deixou de ser um dos principais representantes do chamado death metal melódico, estilo que surgiu no começo dos anos 90 na Suécia. Desde o começo dos anos 2000 já se notava a influência de sons como o new metal e o metalcore, mais latentes nos discos Reroute to Remain (2002) e Soundtrack to Your Escape (2004). Obviamente essa mudança na sonoridade acabou dividindo os fãs, e muitos torceram o nariz pra essa nova fase da banda. Mesmo com essas novas influências, ainda se percebia uma certa consistência nos discos, com Anders Fridén (vocalista) abandonando os guturais e apostando em vocais mais puxados pro rasgado, além de incursões em linhas vocais mais melódicas e limpas, o que trouxe uma dinâmica interessante às músicas. Foi nessa época também (início dos anos 2000) que se estabilizou a formação "clássica" da banda, que consistia em Jesper Strömblad e Björn Gelötte (guitarras), Peter Iwers (baixo), Daniel Svensson (bateria) e Anders Fridén (vocal). Infelizmente em 2010 Jesper, fundador e único integrante original, deixou a banda pra tratar de seus problemas com álcool e a partir daí aconteceu uma debandada geral nos últimos anos, sendo Anders e Björn os últimos remanescentes da formação "clássica" do In Flames. Não é novidade pra ninguém que Anders já não canta como antigamente, muito devido ao fato (assumido pelo próprio) de não ter tomado o devido cuidado com a voz no começo da banda. Desde Siren Charms (2014) o vocalista tem apostado quase que exclusivamente em vocais limpos, abdicando quase totalmente dos rasgados/guturais de antes.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Neste EP de covers lançado em 2017, o grupo praticamente abdicou de todas as características marcantes do death melódico que ajudou a fundar, e até mesmo de características do heavy metal em geral. A roupagem dada às músicas é bem interessante, porém peca pelo excesso de sons eletrônicos e quase total ausência de uma bateria mais, digamos, "orgânica". O mais próximo de uma bateria real se ouve na primeira faixa, It's No Good, originalmente do Depeche Mode. As outras duas faixas em estúdio são interessantes, mas não empolgam o ouvinte.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Down in a Hole, originalmente do Alice in Chains, é uma música que exige certo cuidado a quem se atreve a regravar, principalmente quando se dá uma roupagem bem diferente da original como foi feito aqui. Os fãs mais "xiitas" da original provavelmente torceram o nariz ao ouvir essa versão, pois muitos tratam a música como uma obra "intocável" - o que não deixa de ser.

A versão de Wicked Game, originalmente de Chris Isaak, é bem mais arrastada que a original, e se baseia em teclados e bateria programada. Dá pra ouvir uma guitarra distorcida bem ao fundo, da metade pro final. Não é um primor de música, mas é bem agradável de se ouvir.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A versão ao vivo de Hurt, do Nine Inch Nails, ficou bem aquém do esperado. Talvez na ânsia de demonstrar "emoção" na voz, Anders usa vocais rasgados que acabaram não combinando nem um pouco com a atmosfera introspectiva da música. Talvez se mantivesse os vocais limpos o resultado fosse melhor.

O fato é que esse EP não deve ser ouvido como um disco de metal, pois não se tem absolutamente nada que se pareça com riffs, bateria ou vocais de heavy metal, que dirá de death metal melódico. A música que mais se aproxima de um hard rock é o cover do Depeche Mode. Isso é algo ruim? Não necessariamente. Se você ouvir esse EP com a mente aberta, vai ouvir aproximadamente 20 minutos de música boa, pois os caras souberam escolher muito bem os covers que iriam tocar - apenas a versão ao vivo não ficou tão boa, mas dá pra ouvir sem problemas.

Mas talvez seja a hora de a banda começar a pensar se vale a pena continuar com o nome In Flames ou iniciar um novo projeto, já que não há na banda nenhum integrante original desde 2010 e da formação considerada clássica só sobraram dois, além de terem mudado completamente o som. Talvez com essa nova versão da banda, totalmente reformulada, uma busca por uma nova identidade com um novo nome poderia ser mais interessante, ao invés de manter um nome que está atrelado a uma sonoridade tão específica.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Resta esperar o próximo disco de inéditas e saber se vão seguir a linha de Battles (2016) ou vão mergulhar mais fundo na sonoridade apresentada nesse EP.

Faixas:

1. It's No Good (Depeche Mode cover) 04:55
2. Down in a Hole (Alice in Chains cover) 05:24
3. Wicked Game (Chris Isaak cover) 05:09
4. Hurt (Nine Inch Nails cover) (ao vivo) 04:11


Outras resenhas de Down, Wicked & No Good - In Flames

In Flames: EP é um tapa na cara dos críticos de plantão