RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemA opinião de Slash sobre Dave Mustaine e "Rust In Peace", clássico do Megadeth

imagemA música de Raul Seixas que salvou a carreira de Chitãozinho e Xororó

imagemComo Tommy Lee e o Mötley Crüe ajudaram Axl Rose a escrever "November Rain"

imagemOs 10 maiores vocalistas de heavy metal de todos os tempos, em lista do Ruthless Metal

imagemOs 4 fatores determinantes que levaram Renato Russo a dependência química

imagemPara John Lennon, os Beatles poderiam ter acontecido sem George e Ringo

imagemRolê aleatório: Geoff Tate e Rhapsody se divertem em aeroporto no aeroporto

imagemOs 10 maiores álbuns da história do grunge, em lista do Brave Words

imagemEx-guitarrista do Megadeth não liga para Mustaine e diz que está "fazendo dinheiro para ele"

imagemQual era a opinião de Tony Iommi sobre Ozzy Osbourne solo e Randy Rhoads em 1984?

imagemMike Portnoy comprou "Piece Of Mind", do Maiden, em excursão escolar

imagemA medida extrema que Dio pensou em tomar por não curtir "Rainbow in the Dark"

imagemPaul McCartney quase foi atropelado ao tentar recriar famosa cena de capa de disco

imagemPor que Lemmy odiava tocar "Ace of Spades" nos shows do Motörhead

imagemO Raul Seixas não era nada daquilo que ele falava, diz ex-parceiro musical


Stamp

Blackfield: O retorno efetivo de Steven Wilson ao projeto

Resenha - V - Blackfield

Por Fábio Nobre
Fonte: Blog Audiorama
Postado em 12 de abril de 2017

Nota: 8

O BLACKFIELD se formou em 2004 como uma colaboração entre STEVEN WILSON e AVIV GEFFEN, depois que os dois se conheceram em Israel após um show do PORCUPINE TREE. O álbum de estreia foi uma ótima mistura do estilo melancólico de Geffen e Wilson com um cenário pop mais alternativo. O resultado foi um "Porcupine Tree-lite", enquanto canções que poderiam ter normalmente 10 minutos como PORCUPINE TREE, se tornavam canções de 3-4 minutos no máximo do BLACKFIELD. A sequência, Blackfield II, foi uma continuação do primeiro álbum. Ambos foram álbuns fantásticos que ofereceram algo diferente para os fãs de Wilson para absorver enquanto esperavam por um novo álbum do PT. Os dois álbuns seguintes (Welcome to my DNA, Blackfield IV), no entanto, ficaram aquém da qualidade pela qual a banda era conhecida. Os álbuns foram em grande parte muito suaves e unidimensionais, talvez devido a Wilson ter dado um passo para trás nos últimos 2 álbuns. Há, no entanto, uma razão para se animar se você é um fã do BLACKFIELD. O novo álbum V coloca STEVEN WILSON de volta no fronte e, como resultado, o álbum é o melhor do duo desde o segundo álbum, e pode até ser o seu trabalho mais diversificado e refrescante até aqui.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O álbum começa com a introdução orquestra "A Drop in the Ocean" antes de cair numa faixa com o estilo clássico de Wilson, "Family Man". Combinada com poderosos bateria e teclas, a voz de Wilson começa imediatamente, e imediatamente o álbum traz uma sensação diferente e fresca dos álbuns anteriores do Blackfield. O refrão é velha guarda do PORCUPINE TREE, que deve fazer fãs daquela banda vibrar em nostalgia. É definitivamente um retorno ao som clássico de Wilson. A forte abertura do álbum continua com a brilhante, "How Was Your Ride", uma linda balada que começa simplesmente com um piano e a voz de Wilson. A orquestração desempenha um papel importante aqui enquanto a canção se desenvolve. A simplicidade aqui destaca as habilidades de Wilson e Geffen de deixar um grande refrão fazer o trabalho e deixar a canção subir. Esta é uma das melhores faixas do catálogo do BLACKFIELD.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A voz de Geffen definitivamente tem um forte sotaque quando canta em inglês, mas tem melhorado desde os primeiros álbuns, e certamente não parece forçado. Em faixas como "We'll Never Be Apart", ele parece natural, o rock midtempo é um tipo diferente de canção para a banda e uma mudança agradável de ritmo. Há outros destaques, como a etérea "Life is an Ocean". Os backing vocals criam uma chamada e uma resposta agradáveis com os vocais principais, e quando a bateria volta no final, embora esperado, a canção se encaixa.

A segunda metade do álbum coloca os dois assumindo mais alguns riscos. Enquanto os álbuns anteriores do BLACKFIELD tiveram mais do que sua cota de baladas sombrias e melancólicas, aqui há algumas opções diferentes por toda parte. "Lately" é uma das faixas mais otimistas que a dupla já produziu. É como uma faixa de rock para a frente como se pode ouvir na levada de Wilson, ele soa em casa nesta faixa que poderia até mesmo se encaixar bem no álbum Stupid Dream do PORCUPINE TREE. A instrumental "Salt Water" separa duas músicas de lideradas por Geffen, a blues, "Jackyl", que tem algumas surpresas, e a grande "Undercover Heart".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O álbum conclui e atinge o ápice com outro dos destaques, a semi-biográfica "From 44 to 48", a qual Wilson empresta sua voz. As letras começam estranhamente com "e depois entre 13 e 17 ..." enquanto ele canta sobre os diferentes estágios à medida que envelhece. A guitarra que atua como refrão é uma reminiscência da parte de guitarra de "Prodigal", outra música clássica do PT. As harmonias da dupla aqui são gloriosas. Esta é uma daquelas canções que só Wilson pode fazer justiça e totalmente bela e brilhante. Um ótimo final para o álbum.

O BLACKFIELD só é tímido em comparação com as outras responsabilidades em tempo integral dos membros. Por qualquer outra medida, este é um grande álbum e que é fácil de desfrutar. É ótimo ter o retorno da banda para o que eles fazem melhor.

Tracklist:

A Drop In The Ocean
Family Man
How Was Your Ride?
We'll Never Be Apart
Sorrys
Life Is An Ocean
Lately
October
The Jackal
Salt Water
Undercover Heart
Lonely Soul
From 44 To 48

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:
Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps



LGBT: confira alguns músicos que não são heterossexuais


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal