Zumbis do Espaço: 20 anos de história e um novo álbum

Resenha - Em uma Missão de Satanás - Zumbis do Espaço

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Carol Manzatti
Enviar correções  |  Ver Acessos

"Em uma missão de Satanás",lançado propositalmente no dia 06/06/2016 (abreviando a data temos o número do capiroto, 666) tem 29 minutos e 52 segundos de duração (sim, parece pouco) e um total de 11 faixas, sendo a última um bônus track.

Planet Rock: 40 melhores discos ao vivo de todos os temposMulheres no Rock: as mais importantes segundo rádio inglesa

A arte da capa foi feita por Ed Repka (também responsável por ilustrar capas de álbuns do Megadeth, Venom...) e não deixa muitas dúvidas sobre o "tema" das músicas. O show de lançamento do álbum está previsto para o dia 03/09 no Hangar 110, casa que tem muita história para contar sobre a banda. Esse álbum conta também com a participação do baterista Amílcar Christófaro (Torture Squad) responsável pela percussão.

Ok, tudo muito informativo, mas... vamos ao que interessa: música! E claro, com opiniões detalhadas sobre cada faixa.

Faixa de abertura - CUIDADO COM OS BASTARDOS- Ao ouvi-la pela primeira vez,já gruda na cabeça! Isso é bom, faz querer ouvir as outras. Nada de clima sombrio, pelo contrário. Vigorosa, bateria bem acentuada no final.

Próxima - O MAL IMORTAL - Não é nenhuma paulada,um punk leve se pensar pelo título do álbum (falou em Satã, já imaginamos gritos). Mas a "cozinha" lá pelos 03:40 é bem interessante (me refiro ao baixo e a bateria) com uma leve reduzida no volume dos vocais e logo voltando ao normal.

Se o volume estiver alto,você vai levar um susto. Saindo do clima "normal" da faixa anterior, a intro da -MEGALOMANIA- já chega forte. Vocal nervoso,guitarra e baixo bem presentes, refrão que gruda de novo na cabeça.

Impossível não sentir um ligeiro traço de Ramones em - INSPIRADO PELO CAO-. A letra é tão legal que imediatamente vem a figura de um barbudo nervoso saindo de casa com uma metralhadora,subindo em uma moto,dando uns tiros pra cima (pessoas que viajam na música entenderão o delírio).

-L.S.ZUMBIS666- Introdução a lá Zumbis do Espaço antigamente. Linhas de guitarra daquelas que você sai cantarolando. Se esquecer a letra,certeza que vai lembrar da melodia. Apesar da frase "sinto cheiro de cerveja vindo lá do bar" agradar a qualquer headbanger. Essa tem um tom de hino digamos,um "salve" aos rockeiros.

A melhor introdução de todos os tempos! - TERRAS DE SANGUE- te faz querer passar horas em uma fila só pra ver ao vivo,usar um palavrão como elogio e cantar junto o mais alto possível. Tem uma pegada um tanto Motorhead. Mas é original,intensa e,novamente, a melhor intro!

Faixa título -EM UMA MISSAO DE SATANÁS- lembrou um pouco a segunda faixa,com exceção daquela breve "reduzida" que falamos antes. No geral bem conduzida,letra passando a mensagem da "missão".

Em -ASAS DA GUERRA- não há tantas variações instrumentais,é uma faixa mais para ouvir do que sair batendo cabeça. O que é bom,porque faz você prestar atenção na letra,que é o forte da banda,letras inspiradas pelo caos.

-NAO GOSTO DE VOCÊ- Entendeu o recado? É bem por aí essa. Dedique ela a alguém que você odeie,quer arrancar a cabeça,dar uns tapas... A mensagem cairá como um tijolo em sua "vítima".

A última faixa -ATÉ O JUÍZO FINAL- vem como um "resumo" da essência do álbum. Bem feita,um solo de guitarra curto grosso,assim como o álbum todo foi; faixas curtas,bem feitas,passando a mensagem do bom e velho ZUMBIS DO ESPAÇO,sarcástico e sombrio,Punk com misturas de outras vertentes, que dão muito certo.

Eu falei "última faixa"? Não! Tem um bônus,lembram? E bem inesperado,digamos. -BUNGA BUNGA- Clima rockabilly total,graças à dupla bateria e piano. Podemos dizer que é a música feliz por aqui. Quando você iria imaginar uma pegada dessa em uma missão,ainda mais de satanás?

Bom, chegamos ao fim. E uma coisa ficou bem clara. Esse álbum foge do óbvio. Quando você pensa em um trabalho com raízes no Punk,falando de coisas satânicas ou macabras,guerra e destruição,você espera alguns riffs violentos,uns gritos talvez. Falando especificamente desse álbum e não da carreira toda da banda,podemos dizer que esse é um trabalho abrangente.

De uma levada Punk a um estilo meio country, faixas com uma pegada rock'n'roll e letras mirabolantes. Não é nem apenas a fúria e paulada nem apenas o rock pra ouvir no carro. Claro,tem toda a essência do que é a banda,como se fosse uma mistura de passado e algo totalmente novo. Vale muito à pena escutar o álbum todo,viajar nos delírios desses malucos e sentir que esse é um trabalho bem feito,fruto do amadurecimento de longos anos.

Então chega de conversa e vá já escutar todas as faixas!


Outras resenhas de Em uma Missão de Satanás - Zumbis do Espaço

Zumbis do Espaço: Honestidade e fidelidade ao que construiram



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Zumbis do Espaço"


Planet Rock: 40 melhores discos ao vivo de todos os temposPlanet Rock
40 melhores discos ao vivo de todos os tempos

Mulheres no Rock: as mais importantes segundo rádio inglesaMulheres no Rock
As mais importantes segundo rádio inglesa


Sobre Carol Manzatti

Ex-baterista, cozinheira, apaixonada por rock'n'roll. Viveria da música se possível, mas ainda não foi aceita no Iron Maiden, então seguirá só escrevendo sobre bandas. Fã do Darth Vader.

Mais matérias de Carol Manzatti no Whiplash.Net.