Children Of Bodom: A mesma essência dos álbuns anteriores

Resenha - I Worship Chaos - Children Of Bodom

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Gisela Cardoso
Enviar Correções  

Já dois anos após o lançamento do bem sucedido "Halo Of Blood", o Children Of Bodom chega agora, em outubro, com seu mais novo álbum, intitulado "I Worship Chaos". Mas, desta vez, o grupo de Espoo se apresenta como um quarteto em seu registro.

Children Of Bodom: Nerdologia Criminosos divulga vídeo sobre assassinatos do lago Bodom

Bateristas: os dez músicos mais loucos de todos os tempos

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Três dias antes da banda entrar em estúdio, o guitarrista Roope Latvala - que vem acompanhando o Children Of Bodom desde 2003 -, foi demitido do grupo, sendo Alexi Laiho o responsável, então, por gravar todas as guitarras de "I Worship Chaos". Mas, certamente, tal responsabilidade nem deve ter chegado perto de ser um desafio para a versatilidade do frontman.

Em "I Worship Chaos", o Children Of Bodom traz a mesma essência que vem investindo em seus álbuns anteriores, mais precisamente no anterior "Halo Of Blood" (2013) - ou seja, a banda segue praticamente o mesmo direcionamento, não optando em trazer inovações "mais gritantes".

Em outras palavras, a fórmula continua a mesma: músicas bem dinâmicas, um cuidadoso equilíbrio entre peso e melodia, velocidade também na medida certa, e riffs e solos de guitarra sempre cativantes e em destaques. Os teclados de Janne Wirman, como sempre, vão muito além de serem simplesmente o pano de fundo das composições, constituindo uma excelente base harmônica, mas também sendo peças fundamentais no estilo identitário da banda - e, como de costume, trava belos duelos com as guitarras de Laiho (um bom exemplo está na faixa "Horns"). Assim sendo, presume-se que "I Worship Chaos" seja aquele tipo álbum que agrada os fãs da velha guarda, como também os apreciadores da fase mais recente da banda.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Dotado de certa pintada nostálgica de seus álbuns mais antigos, especialmente o "Hate Crew Deathroll" (2003), "I Worship Chaos" possui também uma pegada Thrash Metal - principalmente no que se refere ao peso presente na obra -, distanciando-se um pouco daquela atmosfera "mais sombria" contida no disco anterior. Além disso, as influências neoclássicas de Alexi Laiho ainda estão em evidência, principalmente no que diz respeito a seus riffs.

"I Worship Chaos" já começa com a avassaladora "I Hurt", e mais posteriormente, surge um dos maiores destaques do álbum, a faixa "Morrigan", que havia sido disponibilizada anteriormente como single, sendo dotada de riffs bem marcantes, além de uma melodia bem encorpada. Outro marco é a música "Horns", sendo uma das mais pesadas e velozes do disco, trazendo os furiosos blast beats de Jaska Raatikainen. Em seguida, a "Prayer For The Afflicted" se destaca por ser mais diferenciada, dotada de um belo som de órgão no início, e com um andamento mais lento, gerando um clima mais sombrio nesta parte do álbum.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A faixa-título também possui ótimos riffs e solos de teclado. Já a "Hold Your Tongue" e "Suicide Bomber" são mais cadenciadas, em que é possível conferir as típicas batalhas de solos entre guitarras e teclados. A "All For Nothing", assim como a "Prayer For The Afflicted", também possui um andamento lento, destacando principalmente os teclados, tratando-se praticamente de uma balada. Por fim, o Children Of Bodom fecha o álbum com a "Widdershins": uma faixa com uma sonoridade bem já típica da banda.

E para não perder o costume, o Children Of Bodom ainda traz suas versões covers, como faixas bônus, de "Mistress Of Taboo" (contando com a participação especial do vocalista Wednesday 13 e Kim Dylla, a ex-Vulvatron do Gwar), da Plasmatics; "Danger Zone", de Kenny Loggins, e conhecida por fazer parte da memorável trilha sonora do filme "Top Gun"; e "Black Winter Day", de seus conterrâneos do Amorphis.

"I Worship Chaos", em linhas gerais, certamente entrará para a lista dos maiores álbuns de sucesso do Children Of Bodom. Apesar do grupo não optar por grandes mudanças em sua sonoridade, "I Worship Chaos" é um álbum que poderá agradar ambos os gostos, deixando ali a sua essência praticamente intacta. Agora em uma nova fase de sua carreira, a banda prova que ainda é possível investir fielmente na criação de sua própria identidade dentro do gênero Melodic Death Metal.

"I Worship Chaos" será lançado oficialmente em 2 de outubro, através da Nuclear Blast Records.

Tracklist:
01. I Hurt
02. My Bodom (I Am The Only One)
03. Morrigan
04. Horns
05. Prayer For The Afflicted
06. I Worship Chaos
07. Hold Your Tongue
08. Suicide Bomber
09. All for Nothing
10. Widdershins

Faixas bônus:
11. Mistress Of Taboo (PLASMATICS cover)
12. Danger Zone (KENNY LOGGINS cover)
13. Black Winter Day (AMORPHIS cover)

Lineup:
Alexi Laiho - vocal/guitarra
Janne Wirman - teclados
Henkka Seppälä - baixo
Jaska Raatikainen - bateria




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Children Of Bodom: Nerdologia Criminosos divulga vídeo sobre assassinatos do lago BodomChildren Of Bodom
Nerdologia Criminosos divulga vídeo sobre assassinatos do lago Bodom

Bodom After Midnight: baterista da banda de Alexi Laiho divulga trecho de ensaioBodom After Midnight
Baterista da banda de Alexi Laiho divulga trecho de ensaio

Lista: Os 25 melhores álbuns de metal do ano 2000, segundo o LoudwireLista
Os 25 melhores álbuns de metal do ano 2000, segundo o Loudwire

Em 08/04/1979: Nascia Alexi Laiho


Children Of Bodom: Alexi não se atreveria a tocar Dire StraitsChildren Of Bodom
Alexi não se atreveria a tocar Dire Straits

Os Headbangers não praticantesOs Headbangers não praticantes


Bateristas: os dez músicos mais loucos de todos os temposBateristas
Os dez músicos mais loucos de todos os tempos

Guns N' Roses: transtorno bipolar, a doença de Axl RoseGuns N' Roses
Transtorno bipolar, a doença de Axl Rose


Sobre Gisela Cardoso

Headbanger, Jornalista, Crítica de Metal, vocalista, instrumentista, anarco-comunista, vegetariana, apaixonada por Mitologia Nórdica e adoradora do Deus Metal. A música me move e as palavras constroem! @GisaGrind.

Mais matérias de Gisela Cardoso no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280 Cli336x280