Circa Survive: O progressivo indie de "Blue Skye Noise"

Resenha - Blue Sky Noise - Circa Survive

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Pagliaro Thomaz
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 10

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Foi por acidente que eu acabei descobrindo o Circa Survive, banda americana formada em 2004. E desde que começou, a banda vem lançando um material incrível. Eu por acaso estava em um website em 2014 apenas esperando para ver notícias sobre o disco Jealous Gods, do Poets of the Fall, quando de repente eu vi esse nome, não me recordo agora qual site foi, mas me chamou a atenção e fui pesquisar. Acabei achando o álbum Violent Waves de 2012 do qual até já falei por aqui e me apaixonei por aquele som de imediato. O próximo passo que eu daria era pesquisar a discografia anterior da banda, e eis que descobri este álbum maravilhoso chamado Blue Sky Noise.

Rolling Stones: as 10 melhores segundo a... Rolling StoneSemelhança: vocalistas de rock com vozes quase iguais

Logo de cara percebi que o disco foi lançado através da gravadora Atlantic Records, o que também me chamou a atenção, justamente pelo status e pelo histórico da Atlantic que já lançou lendas como Led Zeppelin, Rolling Stones, Otis Redding e muitos outros. Não por acaso, o disco ainda é considerado como o melhor trabalho que o Circa Survive já lançou até agora.

O álbum que contém 12 faixas, tem uma arte gráfica belíssima, emblemática, que já nos captura de imediato, parece algo semelhante a São Jorge, mas eu creio que não seja esse o significado. O cavalo com asas e sem cabeça também é algo desconcertante, uma belíssima ilustração do artista plástico Esao Andrews.

O disco representa uma ruptura sonora em relação ao Rock experimental que praticavam nos discos anteriores, Juturna (2005) e On Letting Go (2007), e já aponta um caminho um pouco mais indie, digamos um progressivo indie, como gosto de me referir ao som deles, algo semelhante ao som do Radiohead ou do Deftones, apesar do som da banda ter muita cara de Rush também, embora até onde eu sei eles nunca tenham admitido isso.

Os destaques do disco ficam por conta da excelente faixa de abertura "Strange Terrain", em que o disco já abre em grande escala, em uma abertura agitada e com muita animação. "Get Out" também possui passagens ótimas, é mais arrastada, mas sensacional. "Glass Arrows" e a minha favorita do disco, não só por causa da energia que a faixa passa e do excelente trabalho vocal, mas também pelas quebradeiras que a faixa tem, o progressivo aqui entra em alto relevo e se destaca com o trabalho monumental de bateria que tem.

A próxima, "I Felt Free" já tem aquele toque de balada, mas não é bem uma balada, é um pouco mais devagar, mas a banda ainda mantém o peso instrumental. "Outra grande favorita minha é "Imaginary Enemy", que não em quebradeira, mas tem um trabalho instrumental impressionante; a balada "Frozen Creek" também merece destaque aqui pela sua grande beleza harmônica e mais um grande trabalho do grupo. Aliás, algo que eu não destaquei aqui ainda em relação ao grupo são as letras, e a balada "Spirit Of The Stairwell" com sua letra triste e melancólica de paixões e perdas, indicando até mesmo uma perda da inocência é o momento exato para destacar essa beleza poética do grupo. Para finalizar os destaques, o disco fecha com a ótima "Dyed In The Wool", que termina um excelente trabalho.

versões diferentes do disco, esta é a versão normal. Tanto a versão Deluxe quanto a disponível pela rede iTunes contém versões acústicas das músicas do álbum, mas a que eu acho mais interessante é a ShockHound Deluxe Edition, que vem com uma bonita demo extra, "Airplane Dance", algo bem próximo do som do Radiohead. Aqui neste álbum, o Circa Survive atinge, segundo os fãs de forma geral, uma beleza inigualável, que a banda não atingiu em seus outros discos. Na minha sincera opinião, é um disco realmente maravilhoso, mas eu sempre vou ficar entre ele e Violent Waves, não consigo estabelecer um desses dois como o meu favorito. Independente disso, eu recomendo muito que você vá atrás do som do Circa Survive, uma banda sensacional e que espero ainda que tenha vida muito longa.

Blue Sky Noise (2010)
(Circa Survive)

Tracklist:
01. Strange Terrain
02. Get Out
03. Glass Arrows
04. I Felt Free
05. Imaginary Enemy
06. Through the Desert Alone
07. Frozen Creek
08. Fever Dreams
09. Spirit of the Stairwell
10. The Longest Mile
11. Compendium
12. Dyed in the Wool

Selo: Atlantic Records

Circa Survive é:
Anthony Green: voz
Brendan Ekstrom: guitarra
Colin Frangicetto: guitarra rítmica
Nick Beard: baixo
Steve Clifford: bateria, percussão

Discografia:
- Descensus (2014)
- Violent Waves (2012)
- Blue Sky Noise (2010)
- On Letting Go (2007)
- Juturna (2005)

Site oficial:
http://www.circasurvive.com




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Circa Survive"


Rolling Stones: as 10 melhores segundo a... Rolling StoneRolling Stones
As 10 melhores segundo a... Rolling Stone

Semelhança: vocalistas de rock com vozes quase iguaisSemelhança
Vocalistas de rock com vozes quase iguais

Lauren Harris: Como é ser filha do baixista do Iron MaidenLauren Harris
Como é ser filha do baixista do Iron Maiden

Rita Lee: Ela participou de suruba com o Yes e furtou a cobra de Alice CooperMustaine: por que ele perdeu seu emprego no Metallica?Krisiun: banda lista os 5 picos mais demoníacos do BrasilNirvana: a mãe de Kurt ficou furiosa ao ver o documentário

Sobre Ricardo Pagliaro Thomaz

Roqueiro e apreciador da boa música desde os 9 anos de idade, quando mamãe me dizia para "parar de miar que nem gato" quando tentava cantarolar "Sweet Child O'Mine" ou "Paradise City". Primeiro disco de rock que ganhei: RPM - Rádio Pirata ao Vivo, e por mais que isso possa soar galhofa hoje em dia, escolhi o disco justamente por causa da caveira da capa e sim, hoje me envergonho disso! Sou também grande apreciador do hardão dos anos 70 e de rock progressivo, com algumas incursões na música pop de qualidade. Também aprecio o bom metal, embora minhas raízes roqueiras sejam mais calcadas no blues. Considero Freddie Mercury o cantor supremo que habita o cosmos do universo e não acredito que há a mínima possibilidade de alguém superá-lo um dia, pelo menos até o dia em que o Planeta Terra derreter e virar uma massa cinzenta sem vida.

Mais matérias de Ricardo Pagliaro Thomaz no Whiplash.Net.

adGooILQ