Apocalyptica: Instrumentais são destaque em álbum com vocal fixo

Resenha - Shadowmaker - Apocalyptica

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Victor de Andrade Lopes, Fonte: Sinfonia de Ideias
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Após 4,5 anos sem um álbum de inéditas, o quarteto pioneiro do cello metal lança um álbum apostando em uma nova fórmula: em vez de convidar vários vocalistas, ficaram com apenas um: o estadunidense Franky Pérez, que já cantou com vários artistas consagrados (Slash, Scars on Broadway e outros) e tem também três álbuns solo.

Slipknot: "para cada Mustaine falando merda há um Hetfield"Chester Bennington: a tocante carta que ele escreveu para Chris Cornell

Ele não é considerado membro oficial, mas trabalhou com a banda desde o início das gravações, auxiliando inclusive nos arranjos. A escolha de um único vocalista torna as coias mais práticas, especialmente quando se fala em uma turnê, mais sua integração ao disco não fica muito acima de projetos com vários convidados diferentes e não-compromissados com a banda, como os próprios álbuns anteriores do Apocalyptica. Mas talvez seja questão de tempo, caso eles decidam manter a parceria nos próximos lançamentos.

Lembrando que isso não quer dizer que ele não seja bom vocalista, muito pelo contrário. Eicca Toppinen, um dos violoncelistas, disse que a voz dele era perfeita para a banda por ser bem dinâmica, o que é essencial para se encaixar na variada lista de composições do quarteto.

O curioso de Shadowmaker é que as faixas instrumentais continuam sendo as melhores. A própria faixa título fica muito mais interessante devido ao interlúdio instrumental. "Reign of Fear" (não disponível na edição regular) e "Riot Lights" se juntam a este grupo de instrumentais competentes.

Mas não pensem que o álbum é um 8 ou 80. O nível geral é bom. Das faixas com vocal, os singles "Shadowmaker" e "Cold Blood", juntamente a "House of Chains" ajudam a tornar este um exemplar digno na discografia da banda. Mas a melhor faixa com vocal é, sem dúvidas, o encerramento "Dead Man's Eye", cuja primeira metade termina com uma linha melódica quase tão tocante quanto o encerramento de "Farewell", do álbum Apocalyptica, antecedendo um longo encerramento que revisa os principais riffs das outras faixas.

Os 4,5 anos de espera certamente fizeram a ansiedade acumular nos fãs, e o resultados final é, no mínimo, satisfatório. A escolha do vocalista único agrada, mas pode talvez melhorar com lançamentos posteriores. Um agrupamento de boas peças de cello metal - o que mais esperar dos fundadores do estilo?

Abaixo, o vídeo de "Shadowmaker":

Track-list:
1. "I-III-V-Seed of Chaos"
2. "Cold Blood"
3. "Shadowmaker"
4. "Slowburn"
5. "Reign of Fear" (faixa bônus)
6. "Hole in My Soul"
7. "House of Chains"
8. "Riot Lights"
9. "Come Back Down" (faixa bônus)
10. "Sea Song (You Waded Out)"
11. "Till Death Do Us Part"
12. "Dead Man's Eyes"


Outras resenhas de Shadowmaker - Apocalyptica

null




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Apocalyptica"


Apocalyptica: Natal na Finlândia é um período negroApocalyptica
"Natal na Finlândia é um período negro"

Metallica: Oito grandes covers feitas por outras bandas de Rock e MetalMetallica
Oito grandes covers feitas por outras bandas de Rock e Metal

Originalidade: 10 Bandas ou Projetos InusitadosOriginalidade
10 Bandas ou Projetos Inusitados


Slipknot: para cada Mustaine falando merda há um HetfieldSlipknot
"para cada Mustaine falando merda há um Hetfield"

Chester Bennington: a tocante carta que ele escreveu para Chris CornellChester Bennington
A tocante carta que ele escreveu para Chris Cornell

Regis Tadeu: a tsunami de lixo musical da atual música brasileiraRegis Tadeu
A tsunami de lixo musical da atual música brasileira

Quiet Riot: quebrando disco de banda brasileira em 1985Nicko McBrain: pedal duplo é pra caras como Aquiles PriesterLita Ford: "Sharon Osbourne nunca perdoa nem tampouco esquece"Shows: curtir música ao vivo te ajuda a viver por mais tempo, diz estudo

Sobre Victor de Andrade Lopes

Victor de Andrade Lopes é jornalista (Mtb 77507/SP) formado pela PUC-SP com extensões em Introdução à História da Música e Arte Como Interpretação do Brasil, ambas pela FESPSP, e estudante de Sistemas para Internet na FATEC de Carapicuíba, onde mora. É também membro do Grupo de Usuários Wikimedia no Brasil e responsável pelo blog Sinfonia de Ideias. Apaixonado por livros, ciências, cultura pop, games, viagens, ufologia, e, é claro, música: rock, metal, pop, dance, folk, erudito e todos os derivados e misturas. Toca piano e teclado nas horas livres.

Mais matérias de Victor de Andrade Lopes no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336