RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemOs 10 maiores vocalistas de heavy metal de todos os tempos, em lista do Ruthless Metal

imagemA música de Raul Seixas que salvou a carreira de Chitãozinho e Xororó

imagemComo Tommy Lee e o Mötley Crüe ajudaram Axl Rose a escrever "November Rain"

imagemQual era a opinião de Tony Iommi sobre Ozzy Osbourne solo e Randy Rhoads em 1984?

imagemEx-guitarrista do Megadeth não liga para Mustaine e diz que está "fazendo dinheiro para ele"

imagemOs 10 maiores álbuns da história do grunge, em lista do Brave Words

imagemPor que Lemmy odiava tocar "Ace of Spades" nos shows do Motörhead

imagemPaul McCartney quase foi atropelado ao tentar recriar famosa cena de capa de disco

imagemSlash se sente feliz por não existir internet nos primórdios do Guns N' Roses

imagemO Raul Seixas não era nada daquilo que ele falava, diz ex-parceiro musical

imagemO hit dos Beatles que talvez seja sobre drogas e que "Jesus" acompanhou gravação

imagemO brasileiro com a voz parecida com a de Axl Rose que viralizou no TikTok

imagemOs 4 fatores determinantes que levaram Renato Russo a dependência química

imagemOmelete diz que heavy metal pertence agora à nova geração e não ao tiozão headbanger

imagemQuatro músicas de artistas brasileiros que citam Os Paralamas do Sucesso


Stamp

Apocalyptica: Instrumentais são destaque em álbum com vocal fixo

Resenha - Shadowmaker - Apocalyptica

Por Victor de Andrade Lopes
Fonte: Sinfonia de Ideias
Postado em 01 de maio de 2015

Nota: 8

Após 4,5 anos sem um álbum de inéditas, o quarteto pioneiro do cello metal lança um álbum apostando em uma nova fórmula: em vez de convidar vários vocalistas, ficaram com apenas um: o estadunidense Franky Pérez, que já cantou com vários artistas consagrados (Slash, Scars on Broadway e outros) e tem também três álbuns solo.

Ele não é considerado membro oficial, mas trabalhou com a banda desde o início das gravações, auxiliando inclusive nos arranjos. A escolha de um único vocalista torna as coias mais práticas, especialmente quando se fala em uma turnê, mais sua integração ao disco não fica muito acima de projetos com vários convidados diferentes e não-compromissados com a banda, como os próprios álbuns anteriores do Apocalyptica. Mas talvez seja questão de tempo, caso eles decidam manter a parceria nos próximos lançamentos.

Lembrando que isso não quer dizer que ele não seja bom vocalista, muito pelo contrário. Eicca Toppinen, um dos violoncelistas, disse que a voz dele era perfeita para a banda por ser bem dinâmica, o que é essencial para se encaixar na variada lista de composições do quarteto.

O curioso de Shadowmaker é que as faixas instrumentais continuam sendo as melhores. A própria faixa título fica muito mais interessante devido ao interlúdio instrumental. "Reign of Fear" (não disponível na edição regular) e "Riot Lights" se juntam a este grupo de instrumentais competentes.

Mas não pensem que o álbum é um 8 ou 80. O nível geral é bom. Das faixas com vocal, os singles "Shadowmaker" e "Cold Blood", juntamente a "House of Chains" ajudam a tornar este um exemplar digno na discografia da banda. Mas a melhor faixa com vocal é, sem dúvidas, o encerramento "Dead Man's Eye", cuja primeira metade termina com uma linha melódica quase tão tocante quanto o encerramento de "Farewell", do álbum Apocalyptica, antecedendo um longo encerramento que revisa os principais riffs das outras faixas.

Os 4,5 anos de espera certamente fizeram a ansiedade acumular nos fãs, e o resultados final é, no mínimo, satisfatório. A escolha do vocalista único agrada, mas pode talvez melhorar com lançamentos posteriores. Um agrupamento de boas peças de cello metal - o que mais esperar dos fundadores do estilo?

Abaixo, o vídeo de "Shadowmaker":

Track-list:
1. "I-III-V-Seed of Chaos"
2. "Cold Blood"
3. "Shadowmaker"
4. "Slowburn"
5. "Reign of Fear" (faixa bônus)
6. "Hole in My Soul"
7. "House of Chains"
8. "Riot Lights"
9. "Come Back Down" (faixa bônus)
10. "Sea Song (You Waded Out)"
11. "Till Death Do Us Part"
12. "Dead Man's Eyes"


Outras resenhas de Shadowmaker - Apocalyptica

Resenha - Shadowmaker - Apocalyptica

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:
Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps



Velvet Revolver: vocalista do Apocalyptica chegou a ser contratado

Apocalyptica: Suas 10 melhores músicas, pela Classic Rock History

Finlândia: Hanoi Rocks, COB, Nightwish e outros em selos postais


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Victor de Andrade Lopes

Victor de Andrade Lopes é jornalista (Mtb 77507/SP) formado pela PUC-SP com extensões em Introdução à História da Música e Arte Como Interpretação do Brasil, ambas pela FESPSP, e estudante de Sistemas para Internet na FATEC de Carapicuíba, onde mora. É também membro do Grupo de Usuários Wikimedia no Brasil e responsável pelo blog Sinfonia de Ideias. Apaixonado por livros, ciências, cultura pop, games, viagens, ufologia, e, é claro, música: rock, metal, pop, dance, folk, erudito e todos os derivados e misturas. Toca piano e teclado nas horas livres.
Mais matérias de Victor de Andrade Lopes.