Twisted Sister: 30 anos de "Stay Hungry"

Resenha - Stay Hungry - Twisted Sister

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Igor Miranda, Fonte: IgorMiranda.com.br
Enviar correções  |  Ver Acessos


A fusão do visual glamouroso e extravagante com um som pesado, nos moldes do heavy clássico e do hard rock, deu bastante certo para o Twisted Sister. Tanto que é difícil encontrar alguém que viveu a época ou conhece o básico de rock mas não tenha visto nenhum clipe da banda. No entanto, nem sempre as coisas foram fáceis para os caras.

Iron Maiden: curiosidades sobre o "The Number Of The Beast"Alice In Chains: seria essa a última foto de Staley com vida?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A banda foi formada ainda na década de 1970 pelo guitarrista Jay Jay French. Após várias mudanças, já contava com o mesmo e Eddie "Fingers" Ojeda nas guitarras, Kenny Neill no baixo e Kevin John Grace na bateria. Surgiu, então, o vocalista Dee Snider, que integrou o grupo em 1976. Mais e mais mudanças aconteceram até que o baixista Mark "The Animal" Mendoza" e o baterisat A.J. Pero entraram, respectivamente, em 1978 e 1982.

A formação definitiva, que só se consolidou quase dez anos depois do início da banda, gravou o debut "Under The Blade", que contou com a produção de Pete Way (UFO/Fastway). O trabalho foi responsável por dar um contrato da Atlantic Records à banda. O sucessor, "You Can't Stop Rock N' Roll", foi bem recebido, mas o estouro não vinha.

O boom só veio há exatos 30 anos, com "Stay Hungry". O disco surpreende pelo resultado final. É uma nítida evolução do bom trabalho que o Twisted Sister já vinha fazendo. O investimento mais pesado da gravadora também colaborou: a boa produção e os lendários videoclipes dos singles ajudaram bastante.

O hard rock aqui apresentado é de primeira qualidade. Não é legítimo confiar apenas no visual dos caras, que é nitidamente exagerado. O grupo aliou influências de NWOBHM, glam rock do início dos anos 1970 e uma pequena pitada do hard oitentista, até então ascendente e muito próximo ao heavy metal - basta conferir os primeiros trabalhos do Quiet Riot, Ratt e Mötley Crüe.

A banda toda soa muito bem. As guitarras muito bem encaixadas mostram que não era necessário soar como cover de Eddie Van Halen, como a maioria dos grupos do gênero. A cozinha é básica e confere solidez, mas acaba sendo colocada como plano de fundo pela produção, que não atribui tanto foco aos graves. O destaque, no entanto, é Dee Snider: grande intérprete e ótimo compositor, o vocalista assinou todas as composições do álbum.

O sucesso veio rapidamente. Em seis meses, "Stay Hungry" já havia vendido dois milhões de cópias nos Estados Unidos. A boa repercussão também ocorreu em outras regiões do planeta, o que garantiu à banda uma turnê mundial. Trata-se de um incontestável clássico do gênero.

Twisted Sister: "Stay Hungry"

Lançado em 10 de maio de 1984

Dee Snider (vocal)
Eddie "Fingers" Ojeda (guitarra)
Jay Jay French (guitarra)
Mark "The Animal" Mendoza (baixo)
A. J. Pero (bateria)

01. Stay Hungry
02. We're Not Gonna Take It
03. Burn In Hell
04. Horror-Teria:
- The Beginning
- Captain Howdy
- Street Justice
05. I Wanna Rock
06. The Price
07. Don't Let Me Down
08. The Beast
09. S.M.F.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Twisted Sister"


Anos 80: Dez grandes discos de estreia - Parte 2Anos 80
Dez grandes discos de estreia - Parte 2

Spike: os sete piores solos de guitarraSpike
Os sete piores solos de guitarra


Iron Maiden: curiosidades sobre o The Number Of The BeastIron Maiden
Curiosidades sobre o "The Number Of The Beast"

Alice In Chains: seria essa a última foto de Staley com vida?Alice In Chains
Seria essa a última foto de Staley com vida?


Sobre Igor Miranda

Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e apaixonado por rock há mais de uma década. Começou a escrever sobre música em 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Atualmente, é redator-chefe da área editorial do site Cifras e mantém um site próprio (www.IgorMiranda.com.br). Também co-fundou o site Van do Halen, para o qual trabalhou até 2013.

Mais matérias de Igor Miranda no Whiplash.Net.

adGoo336