Ensiferum: peso e melodia na medida certa em novo registro

Resenha - Unsung Heroes - Ensiferum

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Junior Frascá
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8


Uma das bandas de maior ascensão do Viking Metal na atualidade é o ENSIFERUM. O conjunto finlandês, que agora chega a seu quinto disco de estúdio (que acaba de chegar ao mercado nacional, via Hellion Records) sempre conseguiu atrair muitos fãs com sua sonoridade variada e "bombástica", aliando como poucas bandas peso e melodia na medida certa, o que pode ser conferido novamente neste seu novo registro.

Kerrang!: os 100 melhores álbuns de Rock em lista da revistaSlipknot: Demissão de Joey Jordison foi a decisão mais difícil da carreira

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Se no disco anterior, "From Afar" (2009) já era perceptível uma tendência mais melódica e acessível no som dos caras, em "Unsung Heroes" isso se consolidou, pois temos aqui o disco mais melódico e épico da banda até o momento. Contudo, a banda não deixou de lado o peso, que ainda é bem perceptível ao longo de todo material, assim como as variações vocais, entre o gutural e o lírico, de forma bem homogênea.

E, para falar a verdade, essa tendência mais acessível deixou a sonoridade da banda ainda mais interessante e cativante, ou seja, as mudanças foram para melhor, posto que agora podemos perceber uma maior identidade nas faixas. Assim, temos aqui dez ótimas canções, como fossem verdadeiros hinos de guerra, com arranjos riquíssimos e ótimas harmonias, em climas épicos fantásticos, que instigam o ouvinte logo na primeira audição a ouvir o material por diversas vezes, em busca de todos os detalhes escondidos em cada faixa.

Podemos encontrar aqui diversas influências espalhadas, em especial de death, power e folk metal, mas tudo, como dito, encaixado de forma muito orgânica, criando uma sonoridade única. "In My Sword I Trust" é um dos grandes exemplos dessa variedade, pois temos aqui vocais que transitam entre o gutural e o melódico com muita facilidade, riffs pesadíssimos, e um refrão épico que gruda de imediato na cabeça do ouvinte, sem precisar fazer maiores esforços.

Há ainda diversos outros destaques no álbum, como na pesadíssima faixa título (com ótimos riffs); na agressiva "Retribution Shall Be Mine" (a que mais lembra os primeiros discos da banda); e na épica "Passion, Proff, Power", só para citar algumas.

O disco também possui uma qualidade de gravação excelente, assim como uma belíssima arte gráfica, sendo, pois, um registro muito acima da média, e um dos melhores momentos da banda até hoje. Altamente recomendado!

Unsung Heroes - Ensiferum
(2013 - Hellion Records - Nacional)

1. Symbols
2. In My Sword I Trust
3. Unsung Heroes
4. Burning Leaves
5. Celestial Bond
6. Retribution Shall Be Mine
7. Star Queen (Celestial Bond part II)
8. Pohjola
9. Last Breath
10. Passion, Proof, Power




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Ensiferum"


Riffs parecidos: ZZ Top, Motorhead, Slayer, Metallica, A7X e outrosRiffs parecidos
ZZ Top, Motorhead, Slayer, Metallica, A7X e outros


Kerrang!: os 100 melhores álbuns de Rock em lista da revistaKerrang!
Os 100 melhores álbuns de Rock em lista da revista

Slipknot: Demissão de Joey Jordison foi a decisão mais difícil da carreiraSlipknot
Demissão de Joey Jordison foi a decisão mais difícil da carreira


Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336