Destruction: o retorno do mito ao baixo e vocais

Resenha - Antichrist - Destruction

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Junior Frascá
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Após anos de ostracismo e diversos problemas internos, em 2000 o DESTRUCTION retornou a suas atividades, com a volta do mito Schmier ao baixo e vocais, lançando "All Hell Breaks Loose". Mas foi em 2001 que a banda mostrou que essa sua nova fase poderia ser tão boa quanto a primeira, com o lançamento do clássico "The Antichrist", um disco excelente, para fazer frente aos álbuns lançados pela banda nos anos 80.
3711 acessosThrash Metal: os melhores álbuns de 1983 a 20165000 acessosRock in Rio: Os cachês e exigências dos artistas na edição de 1991

Sem deixar pedra sobre pedra, a banda nos brinda com 11 excelentes faixas (12, na versão especial, que conta com uma regravação para a clássica "Curse the Gods") do mais puro, ríspido e veloz thrash metal alemão, com levadas brutais e insanas, e demonstrando uma técnica muito apurada, judiando do pescoço do ouvinte ao longo de todo o play.

O baterista Sven Vormann tem sua melhor performance à frente da banda, destruindo seu kit sem piedade, e mostrando uma precisão absurda e brutal. Já Mike traz um repertório de riffs de deixar qualquer fã do estilo boquiaberto, sendo o carro chefe do disco, enquanto Schmier continua sendo a alma da banda, com seus vocais rasgados e precisos, transmitindo muita fúria e agressividade.

Então, o que dizer mais sobre um disco que apresenta faixas incríveis como "Dictators of Cruelty", "Thrash till Death", "Nailed to the Cross", "Bullets from Hell" e "The Heretic", que possuem aquela pegada clássica de discos como "Infernal Overkill" e "Eternal Devastation", mas com uma produção bem mais apurada? Simplesmente matador!

Alias, a produção do disco, feita pelo mestre Peter Tagtgren é excelente, realçando ainda mais todo o vigor e o peso da sonoridade da banda, sendo a melhor que os caras já tiveram até hoje. Vale lembrar ainda que, em 2010, a Metal Mind Productions lançou no exterior uma versão digipack do álbum, remasterizada e limitada a 2000 cópias, em que a sonoridade ficou ainda mais impecável e brutal.

É óbvio que o DESTRUCTION possui discos clássicos, principalmente os lançados nos anos 80, mas na opinião deste que vos escreve, "The Antichrist" é o melhor disco da banda, seja pela qualidade das composições, seja pela excelente produção, muito mais apurada que nos discos anteriores do conjunto, sendo um verdadeiro clássico do thrash metal contemporâneo. E para você, qual o melhor disco da banda?

The Antichrist - Destruction
(2001 - Importado)

Formação:
Schmier - Bass, Vocals
Mike Sifringer - Guitars
Sven Vormann - Drums

Track List:

1. Days of Confusion
2. Dictators of Cruelty
3. Thrash til Death
4. Nailed to the Cross
5. Bullets from Hell
6. Strangulated Pride
7. Meet Your Destiny
8. Creations of the Underworld
9. Godfather of Slander
10. Let Your Mind Rot
11. The Heretic

Bonus Track:
12. Curse the Gods

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Thrash MetalThrash Metal
Os melhores álbuns de 1983 a 2016

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Destruction"

Kai HansenKai Hansen
Escolhendo as dez maiores bandas de metal da Alemanha

Rock e metalRock e metal
O outro lado das capas de discos

MetalMetal
Dez álbuns provam que 1986 foi o ano do Thrash

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Destruction"

Rock in RioRock in Rio
Os cachês e exigências dos artistas na edição de 1991

SlashSlash
Um dia Michael Jackson ficou puto com ele?

Corey TalorCorey Talor
"Axl é um pau no cu e quem espera por ele é otário"

5000 acessosLuxúria: uma lista de alguns dos clipes mais sexys da história5000 acessos"Cê tá de brincadeira, né?": quando grandes nomes vacilam5000 acessosBizarre Magazine: Quão bizarro é... Ronnie James Dio5000 acessosHeavy Metal: um vocalista com 15 vozes e estilos diferentes5000 acessosUnder The Radar: Rush e Sabbath ao vivo, o mais velho tem 12 anos5000 acessosMotley Crue: Sebastian Bach chegou a ser chamado para o vocal

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online