Matérias Mais Lidas

imagem"A ingenuidade do fã do Iron Maiden é um negócio que beira o patético", diz Regis Tadeu

imagemMorre Alan White, baterista do Yes e que gravou a clássica "Imagine", de John Lennon

imagemStjepan Juras retruca comentário de Regis Tadeu sobre reencontro de Di'Anno e Harris

imagemA dura crítica de Angus Young a Led Zeppelin, Jeff Beck e Rolling Stones em 1977

imagemFãs protestam contra Claustrofobia após banda fazer versão de música do Pantera

imagemJohn Bonham, Keith Moon ou Charlie Watts, quem era o melhor segundo Ginger Baker?

imagemMorre Andy Fletcher, tecladista e membro fundador da banda Depeche Mode

imagemProdutor de "Temple of Shadows" conta problemas que teve com voz de Edu Falaschi

imagemComo era a problemática relação do Angra no "Aurora Consurgens", segundo produtor

imagemZakk Wylde relembra ídolo: "tão relevante quanto Bach, Beethoven e Mozart"

imagemA apaixonada opinião de Elton John sobre "Nothing Else Matters", clássico do Metallica

imagemSteven Tyler dá entrada em clínica de reabilitação após sofrer recaída

imagemMichael Anthony diz que "Van Halen III" foi "a coisa mais louca que a banda já fez"

imagemComo foi 1º encontro de Nando Reis e Cássia Eller, ocorrido na casa de Marisa Monte

imagemA época em que Chuck Schuldiner deixou o Death temporariamente


Stamp

Destruction: o retorno do mito ao baixo e vocais

Resenha - Antichrist - Destruction

Por Junior Frascá
Em 14/11/12

Nota: 9

Após anos de ostracismo e diversos problemas internos, em 2000 o DESTRUCTION retornou a suas atividades, com a volta do mito Schmier ao baixo e vocais, lançando "All Hell Breaks Loose". Mas foi em 2001 que a banda mostrou que essa sua nova fase poderia ser tão boa quanto a primeira, com o lançamento do clássico "The Antichrist", um disco excelente, para fazer frente aos álbuns lançados pela banda nos anos 80.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sem deixar pedra sobre pedra, a banda nos brinda com 11 excelentes faixas (12, na versão especial, que conta com uma regravação para a clássica "Curse the Gods") do mais puro, ríspido e veloz thrash metal alemão, com levadas brutais e insanas, e demonstrando uma técnica muito apurada, judiando do pescoço do ouvinte ao longo de todo o play.

O baterista Sven Vormann tem sua melhor performance à frente da banda, destruindo seu kit sem piedade, e mostrando uma precisão absurda e brutal. Já Mike traz um repertório de riffs de deixar qualquer fã do estilo boquiaberto, sendo o carro chefe do disco, enquanto Schmier continua sendo a alma da banda, com seus vocais rasgados e precisos, transmitindo muita fúria e agressividade.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Então, o que dizer mais sobre um disco que apresenta faixas incríveis como "Dictators of Cruelty", "Thrash till Death", "Nailed to the Cross", "Bullets from Hell" e "The Heretic", que possuem aquela pegada clássica de discos como "Infernal Overkill" e "Eternal Devastation", mas com uma produção bem mais apurada? Simplesmente matador!

Alias, a produção do disco, feita pelo mestre Peter Tagtgren é excelente, realçando ainda mais todo o vigor e o peso da sonoridade da banda, sendo a melhor que os caras já tiveram até hoje. Vale lembrar ainda que, em 2010, a Metal Mind Productions lançou no exterior uma versão digipack do álbum, remasterizada e limitada a 2000 cópias, em que a sonoridade ficou ainda mais impecável e brutal.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

É óbvio que o DESTRUCTION possui discos clássicos, principalmente os lançados nos anos 80, mas na opinião deste que vos escreve, "The Antichrist" é o melhor disco da banda, seja pela qualidade das composições, seja pela excelente produção, muito mais apurada que nos discos anteriores do conjunto, sendo um verdadeiro clássico do thrash metal contemporâneo. E para você, qual o melhor disco da banda?

The Antichrist - Destruction
(2001 - Importado)

Formação:
Schmier - Bass, Vocals
Mike Sifringer - Guitars
Sven Vormann - Drums

Track List:

1. Days of Confusion
2. Dictators of Cruelty
3. Thrash til Death
4. Nailed to the Cross
5. Bullets from Hell
6. Strangulated Pride
7. Meet Your Destiny
8. Creations of the Underworld
9. Godfather of Slander
10. Let Your Mind Rot
11. The Heretic

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Bonus Track:
12. Curse the Gods

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Metal Heavy: 10 clássicos para entender o Thrash Metal


Exodus: "Rick Rubin é uma verdadeira fraude", diz Gary Holt


Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá.