Anathema: cativam qualquer apreciador da boa música

Resenha - Weather Systems - Anathema

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Junior Frascá
Enviar Correções  

9


Não é novidade para ninguém que, desde o inicio de suas atividades, em meados dos anos 90, o ANATHEMA vem evoluindo e modificando sua sonoridade. Tanto que, atualmente, o termo "metal" já não é mais apropriado para se classificar o som da banda, e esse seu décimo primeiro disco é mais uma prova disso.

Hard Rock e Heavy Metal: Os 10 videos mais toscos "sem querer"Tradução - The Wall - Pink Floyd

Embora ainda mantenha alguns elementos de doom em sua música, o ANATHEMA de hoje tem uma sonoridade bem mais voltada à música progressiva, ambiental e experimental, com algumas nuances de post-rock e até de new age, com uma maestria poucas vezes vista.

Os riffs de guitarra distorcida (salvo raros momentos) deram lugar a dedilhados de violão clássico e belas notas de piano, com orquestrações equilibradas e muito, mas muito bom gosto. Porém, os climas emocionais continuam presente, e são o grande destaque do material. Aliás, poucas vezes ouvi um disco tão tocante quanto esse, em que as melodias e os climas melancólicos belíssimos cativam qualquer apreciador da boa música.

Tudo é muito bem encaixado e estruturado, com arranjos excelentes, e uma simplicidade sublime que diferencia a banda de qualquer outra da atualidade. E isso também graças à contribuição do vocalista Vincent Cavanagh, seja nos momentos solos, seja nos excelentes duetos com a vocalista Lee Douglas, com uma harmonia impressionante.

Além disso, a ótima produção do disco deixou tudo límpido e cristalino, o que torna a audição do disco uma experiência ainda mais encantadora.

E, nesse contexto, faixas como as duas partes de "Untouchable", a épica "Lightning Song", "The Storm Before the Calm" (a mais "pesada" do material, e também a mais experimental), "The Beginning and the End" e "Internal Landscapes" se mostram como verdadeiras obras de arte, fugindo do lugar comum e pegando o ouvinte desprevenido, e cativando logo na primeira audição.

Sem dúvida, "Wheater Systems" é um disco belíssimo e, como dito, muito tocante, de uma das bandas mais ousadas e criativas da atualidade. Mas que fique claro: não é um disco indicado para todos, pois quem procura por algo mais pesado, e não esteja disposto a "viajar" com a banda, fatalmente se decepcionará.

Para mim, uma grata surpresa, e um dos grandes discos de 2012, que deve ser escutado deixando de lado qualquer pré-conceito.

Weather Systems - Anathema
(2012- Importado)

Track List:

1. Untouchable, Part 1
2. Untouchable, Part 2
3. The Gathering of the Clouds
4. Lightning Song
5. Sunlight
6. The Storm Before the Calm
7. The Beginning and the End
8. The Lost Child
9. Internal Landscapes


Outras resenhas de Weather Systems - Anathema

Resenha - Weather Systems - AnathemaResenha - Weather Systems - Anathema



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Opeth: Fã de Metal só quer saber de ter seu McLanche FelizOpeth
"Fã de Metal só quer saber de ter seu McLanche Feliz"

Headbanger também chora: Músicas para (não) curtir uma fossaHeadbanger também chora
Músicas para (não) curtir uma fossa


Hard Rock e Heavy Metal: Os 10 videos mais toscos sem quererHard Rock e Heavy Metal
Os 10 videos mais toscos "sem querer"

Tradução - The Wall - Pink FloydTradução - The Wall - Pink Floyd


Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin