Matérias Mais Lidas

Manowar: por que o baterista brasileiro Marcus Castellani saiu da bandaManowar: por que o baterista brasileiro Marcus Castellani saiu da banda

Kiko Loureiro: as maiores lições que ele aprendeu com Dave MustaineKiko Loureiro: as maiores lições que ele aprendeu com Dave Mustaine

Kerrang: 10 capas polêmicas de álbuns de rock e metal que sofreram censuraKerrang: 10 capas polêmicas de álbuns de rock e metal que sofreram censura

Black Sabbath: Bill Ward sabia que primeiro álbum da banda causaria alguns problemasBlack Sabbath: Bill Ward sabia que primeiro álbum da banda "causaria alguns problemas"

Tony Iommi: surpreendendo ao eleger seu Deus do RockTony Iommi: surpreendendo ao eleger seu "Deus do Rock"

Megadeth: Mustaine diz que novo álbum está quase saindoMegadeth: Mustaine diz que novo álbum está quase saindo

Black Sabbath: Todos os álbuns ranqueados, do pior ao melhor, pela Kerrang!Black Sabbath: Todos os álbuns ranqueados, do pior ao melhor, pela Kerrang!

Angra: saída do Kiko custou muito, mas não pela razão que todos imaginam, diz empresárioAngra: saída do Kiko custou muito, mas não pela razão que todos imaginam, diz empresário

Zakk Wylde: cinco músicas que mudaram sua vida, incluindo uma inesperadaZakk Wylde: cinco músicas que mudaram sua vida, incluindo uma inesperada

Guns N' Roses: as 5 músicas mais polêmicas da bandaGuns N' Roses: as 5 músicas mais polêmicas da banda

Zakk Wylde: o riff que ele queria ter criado - e a música que ele nunca conseguiu tocarZakk Wylde: o riff que ele queria ter criado - e a música que ele nunca conseguiu tocar

Deep Purple: Ian Gillan diz que o Brasil é um dos seus lares espirituaisDeep Purple: Ian Gillan diz que o Brasil é um dos seus "lares espirituais"

Black Sabbath: Lars Ulrich surpreende ao revelar seu álbum favorito da bandaBlack Sabbath: Lars Ulrich surpreende ao revelar seu álbum favorito da banda

Zakk Wylde: tocar com Ozzy é como estar na melhor banda cover do mundoZakk Wylde: tocar com Ozzy é como estar na melhor banda cover do mundo

Post-Black Metal: uma lista com dez álbuns para conhecer o confuso rótuloPost-Black Metal: uma lista com dez álbuns para conhecer o confuso rótulo


Stamp

Gojira: L'enfant Sauvage mostra a banda em ótima fase

Resenha - L'Enfant Sauvage - Gojira

Por Thiago Pimentel
Em 15/07/12

No cenário da música pesada atual, há pouquíssimas bandas em ascensão que praticam um som tão singular e, em certos pontos, único como os franceses do Gojira.

A envolvente mistura dos atributos viscerais do death metal com doses de groove e experimentalismo, por fim, sobrepostos a letras ecológicas e espirituais, conferiu ao grupo uma base de fãs variada que aumenta gradativamente. Apesar das composições da banda serem bastante técnicas, os músicos nunca investiram claramente em virtuosismo - não há solos, por exemplo - e desde o primeiro registro ("Terra Incognita", de 2000), aparentam fugir dos clichês comuns a música pesada.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Atualmente, passando por uma ótima fase - que também inclui o lançamento, quase paralelo a este, do box "The Flesh Alive" -, o Gojira apresenta o seu quinto álbum intitulado "L'Enfant Sauvage" (em português, 'A Criança Selvagem'). Título este que remete a clássica obra cinematográfica francesa de mesmo nome, a propósito. Segundo Joe Duplantier (vocais e guitarra), o disco não fora nomeado em inglês ('The Wild Child') porque, em sua opinião, a expressão original é tão particular que não pode ser bem traduzido para a língua inglesa.

O álbum tem sua introdução com a agressiva "Explosia". Uma abertura digna com riffs bem ao 'estilo Gojira', ou seja, dissonantes e repletos de groove, pick scrape - recursos que envolvem palhetas raspando as cordas e, em algumas outras ocasiões, até a troca de seletores/captadores etc. -, assim, possibilitando uma sonoridade moderna e distinta. Aliás, isso já é quase uma marca registrada dos riffs desenvolvidos pelos guitarristas Joe Duplantier e Christian Andreu.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Principalmente na segunda parte de "Explosia", o incrível trabalho de bateria feito por Mario Duplantier - sim, ele é irmão de Joe - também se destaca. Entretanto, é a finalização cadenciada com melodias pouco usuais, em um clima quase western, que rouba a cena.

A audição de "L'Enfant Sauvage" tem prosseguimento com a incrível faixa-título - primeiro single do álbum que, consequentemente, fora divulgada antes das demais - e "The Axe". Com boas variações, a primeira destaca-se pelo incrível trabalho de Joe Duplantier nos vocais - sua interpretação, nos guturais, é incrível - e linhas de guitarras 'soladas' atípicas ao Gojira. Já a segunda, eleva o peso - remetendo bastante os americanos do Morbid Angel na fase 'Domination' (1994), por exemplo - e na metade final, apresenta um dos riffs mais grudentos criados pela banda. Excelente!

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A quarta faixa ("Liquid Fire") também fora disponibilizada previamente. Aqui roubam atenção as linhas de bateria e, como sempre, a afiada dupla de guitarras. Saliento que esta é uma das composições com um apelo mais moderno do álbum e que utiliza, inclusive, o efeito vocoder nos vocais de Joe em certos momentos. Esse efeito causa uma impressão robótica na voz o que, em minha opinião, cai como uma luva na sonoridade do Gojira - ele já foi utilizado em 'A Sight to Behold', do álbum anterior, na realidade. Aos saudosos, lembrará o trabalho de Paul Masvidal, do Cynic.

O disco segue com a pequena instrumental "The Wild Healer" - instrumentais com 'climas de jam' são quase uma obrigatoriedade nos álbuns da banda, vale lembrar - e "Planned Obsolescence". Esta última é uma das melhores e mais brutais do disco - aqui a influência de death metal é latente. Além disso, sua conclusão limpa introduz a também violenta, "Mouth of Kala". Nesta sétima faixa, os vocais limpos reaparecem e o groove criado pela bateria / baixo soa ainda mais cativante que nas músicas anteriores. Não há muito o que comentar: apenas ouça o encerramento da composição e ateste a criatividade dos músicos em elaborar riffs realmente pesados, mas que ainda assim soam marcantes.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Da esquerda para a direita: Mario e Joe Duplantier, Christian Andreau e Jean-Michel Labadie

Conclusão do disco:

A metade final do álbum é marcada por músicas mais cadenciadas e experimentais. A primeira delas ("The Gift of Guilt") destaca-se pelos belos temas de tapping - creio que seja uma herança do Death, pois a banda sempre investe nesse tipo de tema - e pelo refrão absurdamente grudento. Com certeza uma das músicas mais radiofônicas que a banda já produzira! Por fim, encerram o disco "Pain Is A Master" - cheia de variações, mas que parece um pouco 'mal costurada' -, 'Born In Winter' - bem limpa e experimental, com 'ecos' de "From Mars...", do álbum de 2006 - e, com o baixo bem 'na cara', a boa 'The Fall'.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

No geral, "L'Enfant Sauvage" é uma grande obra e um dos trabalhos mais melódicos do Gojira, senão o mais. Apesar das últimas composições não soarem tão consistentes, se comparadas as presentes no início do disco, elas estão longe de comprometer o álbum que, no geral, se mantém coeso. Liricamente, o disco aponta para questões mais sociais - a faixa título deixa isso claro - e conflitos internos ao ser humano. Consequentemente, há uma redução no direcionamento ecológico tão comuns as letras da banda. Também vale ressaltar que a ótima produção contribuiu, em muito, para que o som - pesado e dissonante, lembrando - soe bem.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

É ótimo ver que a banda se consolida cada vez mais e que, mesmo assim, adiciona novos elementos a sua arte o que, em minha opinião, tem um efeito positivo. Por exemplo, apesar de ser um álbum predominante focado na música extrema, ainda assim "L'Enfant Sauvage" pode atingir um público diferente com, inclusive, mais facilidade que os registros anteriores. Para quem gosta de som pesado - realmente bem pesado - e está saturado da obviedade em que a maioria das bandas de metal insistem, Gojira sempre é - e sempre será, espero - uma ótima recomendação. Com certeza um dos candidatos a melhor álbum do ano de 2012.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Faixas bonus:

Quem conferir a versão especial do disco irá se deparar com duas músicas extras, são elas: "This Emptiness" e "My Last Creation". A primeira, apesar de possuir ótimos riffs - , não soa tão marcante por conta das linhas vocais; já a segunda vai pra um caminho mais "Panteresco", ou seja, bem cheio de groove e, assim como a anterior, apesar de contar com boas linhas de guitarra falta 'algo'. Mas, no geral, ambas são boas bonus.

Músicas-chave:
"The Gift of Guilt" ; "The Axe" ; "Planned Obsolescence"

Formação:
Joe Duplantier - vocal, guitarra
Christian Andreu - guitarra
Jean-Michel Labadie - baixo
Mario Duplantier - bateria

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Tracklist:
1.Explosia 06:39
2.L'enfant Sauvage 04:18
3.The Axe 04:34
4.Liquid Fire 04:17
5.The Wild Healer 01:48
6.Planned Obsolescence 04:39
7.Mouth of Kala 05:51
8.The Gift of Guilt 05:56
9.Pain Is a Master 05:07
10.Born in Winter 03:51
11.The Fall 05:25

Originalmente em:
http://hangover-music.blogspot.com.br/2012/07/resenha-gojira-lenfant-sauvage.html


Outras resenhas de L'Enfant Sauvage - Gojira

Gojira: Uma das grandes bandas do metal contemporâneo

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

WhatsApp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Metal: as 35 melhores músicas lançadas em 2021, segundo o staff do site LoudwireMetal: as 35 melhores músicas lançadas em 2021, segundo o staff do site Loudwire

Greta Van Fleet: vocalista do Gojira gosta da banda e achou novo álbum incrívelGreta Van Fleet: vocalista do Gojira gosta da banda e achou novo álbum "incrível"

Grammy: Dream Theater, Mastodon e Gojira estão na disputa da categoria Metal PerformanceGrammy: Dream Theater, Mastodon e Gojira estão na disputa da categoria Metal Performance

Gojira: por que Joe Duplantier resolveu viajar a Brasília para apoiar indígenasGojira: por que Joe Duplantier resolveu viajar a Brasília para apoiar indígenas

Gojira: assista vídeo oficial de "Sphinx", lançado nesta quinta-feira (28)


França: dez bandas de heavy metal que foram formadas no país da Torre EiffelFrança: dez bandas de heavy metal que foram formadas no país da Torre Eiffel

Metallica: por que James não ouve bateria de Lars no fone de retorno dos showsMetallica: por que James não ouve bateria de Lars no fone de retorno dos shows

Gojira: Suas 5 melhores músicas, segundo os leitores da RevolverGojira: Suas 5 melhores músicas, segundo os leitores da Revolver


Black Sabbath: um Tony Iommi que você não conheciaBlack Sabbath
Um Tony Iommi que você não conhecia

The Voice Kids: garotinha canta Led Zeppelin e conquista todosThe Voice Kids
Garotinha canta Led Zeppelin e conquista todos


Sobre Thiago Pimentel

Tenta, desde meados de 2010, escrever textos que abordem as vertentes da mais peculiar - em seu ponto de vista - manifestação artística do ser humano, a música. Para tal, criou o blog Hangover-Music e contribui no Whiplash.Net. Além disso, é estudante de jornalismo, guitarrista e acredita que se algum dia o Deus metal existira, ele morreu em 13/12/2001.

Mais matérias de Thiago Pimentel.