Blind Guardian: Novos atrativos em antigos clássicos

Resenha - Memories of a Time to Come - Blind Guardian

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Junior Frascá
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


O BLIND GUARDIAN é uma banda que dispensa maiores apresentações, visto que sempre se mantiveram relevantes ao longo de seus 25 anos de carreira, levando seu power metal fortemente influenciado por música folk e pelos livros de J.R.R. Tolkien, além de outros contos épicos, aos patamares mais elevados, e conquistando uma legião de fãs ao redor do mundo.
3932 acessos2000 a 2002: 10 shows/turnês pouco comentados5000 acessosOficina G3: Juninho Afram critica líderes evangélicos por ódio

E para comemorar estes 25 anos, a banda acaba de lançar esta coletânea dupla (há uma versão tripla, denominada Special Edition, com algumas versões de demos antigos da banda, quando ela ainda se chamava “Lucifer´s Heritage”), que apresenta 16 faixas que representam todas as fases da banda, sendo que "The Bard's song (The Hobbit)", "Valhalla" e "And Then There Was Silence" foram regravadas, e todas as demais remixadas (salvo “Sacred Worlds”, presente no último trabalho de estúdio da banda) o que deverá atrair a curiosidade dos fãs.

Muitos podem considerar o material como “caça níquel”, mas não vejo por este lado, principalmente tendo em vista os novos atrativos nas antigas versões.

Em primeiro lugar, quanto as músicas remixadas, e notório como algumas ficaram melhores e mais atualizadas, principalmente nas canções mais antigas, como “Traveler in Time” e “Somewhere Far Beyond”, sendo que nas mais atuais a diferença não é tão perceptível, tendo em vista que a qualidade de gravação destas já era excelente.

Em relação às regravações, destaque para o hino “Valhalla”, que foi atualizada mas sem perder sua essência, repleta de peso, agressividade e belas melodias, e novamente conta com uma excelente participação do mestre do power metal Kai Hansen, que engrandece a canção ainda mais. Mas "The Bard's song (The Hobbit)", "Valhalla" e "And Then There Was Silence" também ficaram bem interessantes nas novas versões, e devem agradar os fãs.

É claro que, como não poderia deixar de ser, alguns clássicos da banda fizeram falta neste material, como “Banish From Sanctuary”, “Journey Through the Dark", "The Quest For Tanelorn", "Welcome to Dying", "Lost In the Twilight Hall", “Into the Storm” (algumas destas estão presentes na versão tripla do álbum), entre outras, e também poderiam ter incluído alguma canção inédita, mas mesmo assim o material é bem interessante e recomendável, vez que, para compilar satisfatoriamente todos os clássicos da banda, seria necessário um disco no mínimo quíntuplo. E a banda também promete o lançamento de seu novo disco de inéditas para muito breve.

Além disso, a capa é novamente belíssima, e retrata muito bem as temáticas abordadas pela banda.

Enfim, trata-se de um material indispensável para todos os fãs deste verdadeiro monumento do Power Metal, trazendo alguns bons atrativos para os fãs. Pode adquirir de olhos fechados!

Memories of a Time to Come – Blind Guardian
(2011 – EMI - Importado)

CD 1:
Imaginations from the Other Side (7:11) *
Nightfall (5:34) *
Ride into Obsession (4:46) *
Somewhere Far Beyond (7:32) *
Majesty (7:29) *
Traveler in Time (6:01) *
Follow the Blind (7:11) *
The Last Candle (6:03) *

CD 2:
Sacred Worlds (9:17)
This Will Never End (5:07) *
Valhalla (5:13) **
Bright Eyes (5:15) *
Mirror Mirror (5:09) *
The Bard’s Song (In the Forest) (3:26) *
The Bard’s Song (The Hobbit) (3:41) **
And Then There Was Silence (14:06) *

* Remixed 2011
** Re-recorded 2011

CD3: Apenas na Special Edition

CD 3: Bonus
01. Brian (Re-Worked 2011)
02. Halloween (The Wizard's Crown) (Re-Worked 2011)
03. Lucifer's Heritage (Re-Worked 2011)
04. Symphonies of Doom (Re-Worked 2011)
05. Dead of the Night (Re-Worked 2011)
06. Majesty
07. Trial by the Archon
08. Battalions of Fear
09. Run for the Night
10. Lost in the Twilight Hall
11. Tommyknockers
12. Ashes to Ashes
13. Time What Is Time
14. A Past and Future Secret
15. The Script for My Requiem

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de Memories of a Time to Come - Blind Guardian

5000 acessosBlind Guardian: Discos com o melhor que os bardos fizeram

2000 a 20022000 a 2002
10 shows/turnês pouco comentados

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Blind Guardian"

TolkienTolkien
A influência do autor no rock e no heavy metal

CompridasCompridas
As músicas mais longas de grandes bandas

Blind GuardianBlind Guardian
As melhores participações de Hansi Kürsch

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Blind Guardian"

Oficina G3Oficina G3
Juninho Afram critica líderes evangélicos por ódio

SlashSlash
Alucinações, sexo, dinheiro e armas de fogo no auge do vício

Marty FriedmanMarty Friedman
"Não percam seu tempo com música instrumental"

5000 acessosIron Maiden: Nicko McBrain fala sobre conversão ao cristianismo5000 acessosMegadeth - Perguntas e Respostas5000 acessosSlayer: É difícil ser um pai responsável enquanto canta sobre morte?5000 acessosMad Max: inspirando W.A.S.P., Violator, Biohazard e outros4338 acessosMax Cavalera: mais histórias insanas de sua autobiografia5000 acessosBlender: revista elege os mais malucos da música

Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online