Narnia: diferente, e talvez melhor do que no passado

Resenha - Course Of A Generation - Narnia

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8


Com uma trajetória que começou em 1996, o Narnia liberou seis álbuns que caíram nas graças do público cristão amante do Power Metal Melódico. Mas a surpresa veio no ano passado, com o anúncio de que o vocalista e fundador Christian Liljegren estava deixando seu posto para se concentrar na direção de sua gravadora CM Sweden/River Records, além de outros projetos musicais.

LGBT: confira alguns músicos que não são heterossexuaisSepultura: Pavarotti gravou uma versão de "Roots Bloody Roots"?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Bom... A vaga atrás do microfone foi preenchida por um uruguaio que cresceu no Rio de Janeiro, mas que afortunadamente vinha morando na Suécia desde sua adolescência, e que responde pelo nome Germán Pascual (Mind's Eye, Mendez). Mas não pense que as mudanças acabam por aí... Tudo no novo trabalho, "Course Of A Generation", soa diferente e, dirão alguns, melhor do que era proposto no passado.

A maior diferença está no grau de distorção que o Narnia está fazendo uso. Obviamente as melodias estão lá, mas entrelaçadas a bases inesperadamente tão mais pesadas que resultam em uma agressividade que pegará os desavisados de surpresa. Neste sentido, novamente Grimmark consegue elaborar um excelente trabalho com as guitarras, em especial os solos arrasadores - atentem para a épica "One Way To Freedom", por exemplo.

Quanto às vozes, aquele padrão mais agudo, típico do Narnia, também foi deixado de lado. Pascual opta por cantar em tons mais graves, algo rasgado, e em várias ocasiões até remete ao sempre muito bom Ronnie J. Dio, e toda a emoção que transmite se adaptou completamente na nova linha musical do Narnia. E o grupo preparou inúmeras canções interessantes, como "When The Stars Are Falling", com um contrabaixo e melodias realmente bonitas; ou "Armageddon", com alguns riffs que beiram a música extrema (!!!); e ainda a derradeira e cheia de variações "Behind The Curtain".

Todas as mudanças também se estendem à ilustração da capa, que é a primeira da discografia que não apresenta a imagem do Leão, e que inclusive também possui laços com nosso país, pois foi preparada pelo web designer brasileiro Carlos Barbosa (Art Side Design), que já assinou obras para artistas como Edu Falaschi, Almah, Ill Niño e Oficina G3.

De conteúdo bastante positivo, as letras estão abertas a várias interpretações e até mesmo o intolerante público às crenças cristãs não terá motivos para reclamar. E, mesmo que se distinga do que estamos acostumados a escutar em termos de Narnia, vale citar que sua nova orientação musical não foge da proposta que tantas outras bandas do Power Metal oferecem. Assim sendo, aqueles que apreciam Masterplan, Kamelot ou At Vance encontrarão uma infinidade de bons momentos em "Course Of A Generation".

Contato:
http://www.narniaworld.com
http://www.myspace.com/narniaofficial

Formação:
German Pascual - voz
Carl Johan Grimmark - guitarra e teclados
Andreas Passmark - baixo
Andreas Johansson - bateria

Narnia - Course Of A Generation
(2009 / Massacre Records - importado)

01. Sail Around The World
02. When The Stars Are Falling
03. Curse Of A Generation
04. Scared
05. Kings Will Come
06. Rain
07. Armageddon
08. One Way To Freedom
09. Miles Away
10. Behind The Curtain




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Narnia"


LGBT: confira alguns músicos que não são heterossexuaisLGBT
Confira alguns músicos que não são heterossexuais

Sepultura: Pavarotti gravou uma versão de Roots Bloody Roots?Sepultura
Pavarotti gravou uma versão de "Roots Bloody Roots"?


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

adGoo336