Neal Morse: sonoridades do Spock's Beard e Transatlantic

Resenha - Lifeline - Neal Morse

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

9


Neal Morse é um destes casos atípicos do mundo musical... Oriundo da cena musical de Los Angeles, Morse passou anos tentando ser bem-sucedido com a música pop, mas não deu certo. Então deixou toda a simplicidade dos antigos arranjos e deu um passo corajoso: investiu na complexidade do rock progressivo.

E foi a partir daí que, em parceria com seu irmão Alan, começou a fazer sucesso com sua nova orientação musical no então Spock´s Beard, para espanto da pequena comunidade do gênero. Desde então, passaram-se 10 anos e 10 álbuns aclamados pela crítica. E a coisa toda não parou por aí, pois Neal também lançou seis registros com o Transatlantic, outro super grupo com os melhores músicos da cena atual.

publicidade

E, mesmo assim, o incansável músico sentia a falta de algo. E esse ‘algo’ foi preenchido com a fé cristã e culminou em "Snow" (02), do próprio Spock´s Beard, que funciona como uma extraordinária longa canção ocupando o espaço físico de dois CDs (... não disse que era longa?) e é reconhecido como o melhor trabalho da banda.

E aí termina uma era para Neal Morse, pois ele tomou a difícil decisão de deixar o Spock´s Beard e o Transatlantic... Alcançou todo o sucesso que quis, mas decidiu começar tudo de novo, musicalmente, emocionalmente e espiritualmente. E aí começa a fase solo deste músico, que desde então vem tocando frequentemente ao lado do baixista Randy George e do baterista Mike Portnoy (Dream Theater).

publicidade

"Lifeline" é seu quinto álbum e se caracteriza principalmente por ser o primeiro disco desta etapa que não é conceitual. E, livre deste seguimento, Morse literalmente ‘atira para todos os lados’ ao revisitar as sonoridades do Spock´s Beard, do Transatlantic, naturalmente dos álbuns de sua carreira solo e passeando ainda por novos territórios em canções que, oras vejam, muitas vezes beiram os meros cinco minutos em um repertório verdadeiramente comovente.

publicidade

A fé, amor e esperança são explorados em "God's Love" e "Children Of The Chosen", sendo que esta última lembra mesmo um hino repleto de harmonias. Outro grande momento fica por conta de "So Many Roads", que honra as principais características do Rock Progressivo com seus quase trinta minutos de duração, repletos de texturas e mudanças de andamento dividido em seis partes, que emocionará os apaixonados por longas epopéias.

publicidade

"Lifeline" se mostra magistral em sua totalidade, tanto que novamente vem conquistando elogios rasgados por parte da crítica especializada. Uma pequena obra-prima que, com toda a certeza, também dará o que falar entre o sempre exigente público devoto da música progressiva. Totalmente recomendável!

Formação:
Neal Morse - voz, guitarra e teclados
Randy George - baixo
Mike Portnoy - bateria

publicidade

Neal Morse – Lifeline
(2008 / Radiant Records – importado)

01. Lifeline
02.The Way Home
03. Leviathan
04. God's Love
05. Children Of The Chosen
06. So Many Roads
I. So Many Roads
II. Star For A Day
III. The Humdrum Life
IV. All The Way To The Grave
V. The Eyes Of The Saviour
VI. So Many Roads Reprise
07. Fly High

Homepage: www.nealmorse.com




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Neal Morse: álbum "expresso" não faz feio diante da discografia do mestre


Mike Portnoy: baterista diz qual o maior disco que ele já gravouMike Portnoy
Baterista diz qual o maior disco que ele já gravou


Felipe Andreoli: Se você quiser se arriscar a ligar para o ex-cantor do Angra...Felipe Andreoli
"Se você quiser se arriscar a ligar para o ex-cantor do Angra..."

Sepultura: Pavarotti gravou uma versão de Roots Bloody Roots?Sepultura
Pavarotti gravou uma versão de "Roots Bloody Roots"?


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin