Matérias Mais Lidas

imagemMarcello Pompeu agradece mobilização de fãs

imagemO reencontro entre Steve Harris e Paul Di'Anno na Croácia

imagemA opinião de Arnaldo Antunes sobre a competição interna que havia nos Titãs

imagemEvanescence coloca baixista no cargo de guitarrista e anuncia nova baixista

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim

imagemNicko McBrain, do Iron Maiden, mostra o seu novo (e enorme) kit de bateria

imagemAs composições de Paul McCartney nos Beatles preferidas de John Lennon

imagemDave Mustaine, do Megadeth, inicia vida de youtuber e mostra o ônibus de turnê da banda

imagemGene Simmons compartilha tweet com meme da ex-presidente Dilma Rousseff

imagemO clássico do Helloween que fez Angra mudar nome original de "Running Alone"

imagemMetade das pessoas com menos de 23 anos desconhecem Pink Floyd, David Bowie e Bon Jovi

imagemFrank Zappa disse a Steve Vai que ele soava como "um pão com mortadela elétrico"

imagemAdrian Smith conta como Iron Maiden permaneceu forte e era grunge passou

imagemDee Snider cutuca bandas com falsas aposentadorias e ingressos caros

imagemEddie aparece em versão samurai no primeiro show do Iron Maiden em 2022; veja foto


Stamp

R.E.M.: acertado retorno ao chamado rock sem fírulas

Resenha - Accelerate - R.E.M.

Por Fábio Cavalcanti
Em 25/12/08

Nota: 9

Em tão pouco tempo de duração, "Accelerate", novo álbum da consagrada banda de rock alternativo R.E.M., traz um formato ideal para levar o ouvinte a uma rápida viagem musical, ou mesmo uma rápida análise de suas músicas. Após muitos anos explorando uma sonoridade mais "madura e rebuscada", Peter Buck, Mike Mills, e o inconfundível vocalista Michael Stipe, acertam a mão em um retorno ao chamado "rock sem fírulas".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

São quase 35 minutos de duração neste novo álbum que, a depender das escolhas futuras dos integrantes do R.E.M., pode marcar o início de uma ótima fase para a banda. Mas, por que "ótima fase"? O ouvinte pode chegar a essa conclusão ao ouvir os competentes rocks do álbum, como a faixa de abertura "Living Well Is the Best Revenge", com sua temática deliciosamente ácida, e que não soa nem um pouco forçada, mesmo vindo de uma banda que esteve tão "baladeira" nos seus últimos álbuns.

A divertida "Man-Sized Wreath" é impactante e consideravelmente pesada para os padrões da banda, podendo ser eleita por muitos fãs como a melhor faixa do álbum. O single principal, "Supernatural Superserious", traz um certo ar indie rock, mas com uma qualidade musical claramente superior à de boa parte das novas bandas do gênero.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

E dá-lhe mais rocks: "Accelerate", "Horse To Water" e "I'm Gonna DJ" levarão o ouvinte a uma quase incontrolável vontade de levantar da cadeira para dançar. Até mesmo as faixas "Hollow Man" e "Mr. Richards", de sonoridade e arranjos mais "light" e puxados para o pop/rock, conseguem ser bem fiéis à proposta mais elétrica do álbum.

Mas, "Accelerate" também mostra que as baladas semi-acústicas continuarão fazendo parte da essência da banda. "Until the Day Is Done" é inspirada, e definitivamente uma das melhores músicas do álbum. "Sing for the Submarine" é boa e prende o ouvinte com seu clima mais "sombrio". Já "Houston", em seu curtíssimo tempo de duração, não possui atrativos e acaba passando meio despercebida.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O fato é que "Accelerate" consegue ser, no mínimo, um álbum extremamente simpático, e que dificilmente causará qualquer desconforto no ouvinte, mesmo aquele mais casual. E qualquer apreciador daquela sonoridade descompromissada presente nos primeiros álbuns do R.E.M., certamente colocará este novo trabalho entre os melhores da banda.

Músicas:
1. Living Well Is the Best Revenge
2. Man-Sized Wreath
3. Supernatural Superserious
4. Hollow Man
5. Houston
6. Accelerate
7. Until the Day Is Done
8. Mr. Richards
9. Sing for the Submarine
10. Horse to Water
11. I'm Gonna DJ

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

LGBT: confira alguns músicos que não são heterossexuais



Sobre Fábio Cavalcanti

Baiano, sempre morou em Salvador. Trabalha na área de Informática e ¨brinca¨ na bateria em momentos vagos, sem maiores pretensões. Além disso, procura conhecer novas - e antigas - bandas dos mais variados subgêneros do rock. Por fim, luta para divulgar, sempre que possível, o pouco conhecido cenário rocker da tão sofrida ¨Terra do Axé¨.

Mais matérias de Fábio Cavalcanti.