Sabbat: um marco muito à frente do seu tempo

Resenha - History Of A Time To Come - Sabbat

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rodrigo Simas
Enviar correções  |  Ver Acessos


A nova edição de "History Of A Time To Come" tenta trazer um pouco de justiça a um dos clássicos absolutos do Thrash Metal europeu. O Sabbat, banda que mostrou ao mundo talentos como Martin Walkyier (mais tarde integrante do seminal Skyclad) e Andy Sneap (produtor renomado e extremamente requisitado dentro do estilo), dava os primeiros passos rumo a uma posição consolidada dentro do cenário da época. Pioneiros em muitos sentidos, o impacto causado por seu lançamento em 1987 pode ser sentido até hoje em várias bandas, até nas mais extremas.

Slayer: "Raining Blood" é brutal, mesmo com a bateria da BarbieBlack Sabbath: Tony Iommi explica como tocar "Paranoid"

Composto por nove faixas (entre elas uma introdução e uma instrumental, "A Dead Man's Robe"), "History Of A Time To Come" foi gravado em um mês na Alemanha, com o produtor Roy Rowland, que já havia trabalhado com outras bandas como o Kreator (no disco "Terribly Certainty"). Além dessas, a nova edição traz cinco músicas bônus, gravadas ao vivo em Berlim, na turnê do subseqüente lançamento, "Dreamweaver", já em 1990.

O encarte é bastante informativo, traz uma biografia cobrindo todo o período até o lançamento do - em 1987 - vinil, com fotos ilustrativas, todas as letras e até mesmo fotos atuais, da turnê de reunião da banda. A qualidade sonora foi melhorada, mas ainda peca, ajudando "History Of A Time To Come" a soar estranhamente datado, mesmo sem perder sua importância histórica.

As letras do jovem Martin Walkyier já mostravam uma complexidade nunca antes vista no estilo. Longas e inteligentes, suas visões pagãs eram esmiuçadas pela primeira vez ao mundo. De críticas à igreja ("The Church Bizarre") a protestos anti-racistas ("I For Na Eye"), Martin caminhava a passos largos para se tornar o melhor letrista da sua geração. Sua voz ainda era bastante esganiçada, sem a potência que mais tarde iria se tornar sua marca registrada como nos primeiros anos com o Skyclad.

Instrumentalmente, a banda não seguia uma fórmula pré-definida, nem os padrões formais do Thrash Metal impostos naquela década. A guitarra de Andy Sneap, o baixo de Frazer Craske e a bateria de Simon Negus trabalhavam muito bem em conjunto, com difíceis - e na época originais e inovadoras - estruturas, quebras de ritmo e passagens, que mais tarde seriam "copiadas" por uma infinidade de outras bandas, como o próprio Cradle Of Filth.

"History Of A Time To Come" é um marco, talvez não tão conhecido como outros clássicos lançados no final dos anos 80, mas com certeza a frente de seu tempo. Talvez não compreendido ou mal interpretado, mas nem por isso menos reconhecido.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Sabbat"


Slayer: Raining Blood é brutal, mesmo com a bateria da BarbieSlayer
"Raining Blood" é brutal, mesmo com a bateria da Barbie

Black Sabbath: Tony Iommi explica como tocar ParanoidBlack Sabbath
Tony Iommi explica como tocar "Paranoid"

Traduções: Letras de rock relacionadas a ocultismo e satanismoTraduções
Letras de rock relacionadas a ocultismo e satanismo

Gosto é gosto: Quem ouve Heavy Metal ouve apenas Heavy Metal?Gosto é gosto
Quem ouve Heavy Metal ouve apenas Heavy Metal?

Fotos de Infância: Skid RowFotos de Infância
Skid Row

Richard Berry: se uma música pudesse definir o rock de garagem, seria Louie, LouieRichard Berry
Se uma música pudesse definir o rock de garagem, seria "Louie, Louie"

Gwar: Oderus Urungus é queimado em memorial ao vocalistaGwar
"Oderus Urungus" é queimado em memorial ao vocalista


Sobre Rodrigo Simas

Designer, carioca e tricolor. Começou a ouvir música aos 11 anos, com Iron Maiden, Metallica e Rush. Tem como hobby quase profissional, a música. Além de produzir shows e eventos, trabalhou por 5 anos em loja especializada em Heavy Metal, e já escreveu para alguns sites e revistas de música. Hoje escuta de tudo um pouco, e cada vez mais descobre que existem apenas dois tipos de música: a boa e a ruim, independente do estilo. Bandas e artistas favoritos: Dave Matthews Band, Peter Gabriel, Rush, Iron Maiden, Led Zeppelin, Ben Harper, Radiohead, System of a Down... e a lista continua...

Mais informações sobre Rodrigo Simas

Mais matérias de Rodrigo Simas no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336