Type O Negative: honrando com sobras a tradição

Resenha - Dead Again - Type O Negative

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Maurício Gomes Angelo
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Os nova-iorquinos do Type O Negative sempre foram uma das bandas, para ficar num termo adequado, mais “idiossincráticas” do metal. Longe de praticar uma melancolia modorrenta e insuportável (um mal de alguns nomes do “goth” e “doom”) o Type descende da melhor fonte possível: Christian Death, Celtic Frost, Candlemass e Trouble, dentre outros.

10 acessosEm 13/03/2007: Type O Negative lança seu último álbum, Dead Again5000 acessosRockstars que atacaram a igreja, Jesus Cristo e Deus

Peter Steele e seus asseclas sempre se caracterizaram pelo humor peculiar (a exemplo do título da coletânea “The Least Worst Of”), a profunda influência de Black Sabbath, o reconhecido toque punk de sua sonoridade, o vocal inconfundível de Peter e a atmosfera tensa e soturna, no sentido de rir-se, até, da própria agonia.

“Dead Again”, portanto, honra com sobras a tradição do grupo, que, se nos últimos tempos tem mantido um intervalo de 3 a 4 anos entre um álbum e outro, acaba compensando em sua duração - uma hora e dezessete minutos - algo constante desde a estréia. Este aqui acaba funcionando como um compêndio do melhor já visto em obras como “Slow, Deep And Hard”, “Bloody Kisses” e “October Rust”.

A morte, tema corriqueiro para eles, aparece junto às reflexões angustiadas (e agora mezzo “religiosas”) de Peter, sempre capaz de gerar polêmicas. O longo processo de composição e feitura do álbum, se reflete, naturalmente, em faixas como “Tripping A Blind Man”, “The Profits Of Doom” e “September Sun”, uma trinca de respeito que traz a banda em ótima forma, explorando com notável competência a força criativa de seus integrantes. As estruturas estão bem orgânicas, numa relação envolvente entre o instrumental e as linhas vocais, ainda que por vezes pequem pelo exagero e prolixidade.

O épico “These Three Things”, de 14 minutos, no entanto, não se torna pesaroso de escutar, resumindo o clima pesado e nebuloso de sua discografia, reforçado pela produção propositadamente suja que o álbum teve. Destaque também para “Halloween In Heaven”, excelente balada que traz o interessantíssimo contraponto da voz de Steele com a vocalista Tara Vanflower.

Desde a arte gráfica, seja com a lendária figura russa de Rasputin estampada, seja no encarte – que, aberto, forma uma cruz – além das letras invertidas e todo o tratamento que teve, até a contracapa, “Dead Again” é um exemplar puro – e inspirado – do Type O Negative. O verso, aliás, contém uma citação do imperdível comediante estadunidense Groucho Marx, que sintetiza perfeitamente o espírito do grupo: “o que quer que seja, nós somos contra”. Nada mais Type O do que isto.

Formação:

Peter Steele (Baixo/Vocal)
Kenny Hickey (Guitarra/Vocal)
Johnny Kelly (Bateria)
Josh Silver (Teclados)

Site Oficial: www.typeonegative.net

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Dead Again - Type O Negative

2800 acessosType O Negative: ainda gótico, punk, doom e metal


Gigantes do Rock e MetalGigantes do Rock e Metal
Alguns músicos muito, muito altos

10 acessosEm 13/03/2007: Type O Negative lança seu último álbum, Dead Again28 acessosEm 21/09/1999: Type O Negative lança o álbum World Coming Down0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Type O Negative"

CuriosidadesCuriosidades
10 músicas que foram "tomadas" emprestadas

Rock e MetalRock e Metal
Dez covers que são melhores que as originais

RoadrunnerRoadrunner
Os álbuns mais desprezados de todos os tempos

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Type O Negative"


Blasfêmias?Blasfêmias?
Rockstars que atacaram a igreja, Jesus Cristo e Deus

SlayerSlayer
A trágica história do fim de Jeff Hanneman

Coisa do demo?Coisa do demo?
O rock sempre foi relacionado como música do diabo

5000 acessosLindo Demais: conheça o London, o primeiro smartphone da Marshall5000 acessosRaul Seixas - Perguntas e Respostas5000 acessosAxl Rose: Um dos vocalistas com maior alcance5000 acessosMetallica: o jogo sujo da banda com o baixista Ron McGovney5000 acessosScott Weiland: A relação com as drogas segundo ele próprio5000 acessosOzzy Osbourne: produtor confessa trambicagem na gravação de disco ao vivo

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.


Sobre Maurício Gomes Angelo

Jornalista. Escreve sobre cultura pop (e não pop), política, economia, literatura e artigos em várias áreas desde 2003. Fundador da Revista Movin' Up (www.revistamovinup.com) e da revrbr (www.revrbr.com), agência de comunicação digital. Começou a escrever para o Whiplash! em 2004 e passou também pela revista Roadie Crew.

Mais matérias de Maurício Gomes Angelo no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online