Resenha - Bells of Malediction - Guardians of Hell

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Maurício Dehò
Enviar correções  |  Ver Acessos


O que esperar de uma demo cuja capa tem aquele logotipo quase ilegível? Black metal! E dos bons? Aí está a dúvida. Esta primeira gravação do Guardians of Hell, intitulada "Bells of Malediction" chega até a surpreender. O trio paulistano formado há sete anos e que, após mudanças de formação, se estabilizou com Marcus Vinicius Tremonti (vocal, baixo e o idealizador do grupo), seu irmão, Fernando Tremonti (bateria) e Rafael "Podrinho" Rúbio (Guitarra), toca um death/black metal de qualidade e com futuro.

Motorhead: a gafe nazista de Lemmy em NurembergRachel Sheherazade: uma bela versão de Iron Maiden a capella em novo vídeo

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Para começar, a produção não chega à tosquera esperada e consegue um bom balanço dos instrumentos durante os 20 minutos do play. As composições são bem legais, criativas principalmente no que diz respeito aos riffs, bem técnicos e rápidos - as músicas são bem velozes -, e às linhas vocais, como a faixa que dá nome à banda, que fica bem na cabeça. O problema em alguns momentos é a execução, que parece precisar de um pouco de aperfeiçoamento. A bateria também tem problemas, se perdendo um pouco nas mudanças de andamento.

Um destaque fica para o vocal de Marcus Vinicius, que é aquele gutural bem parecido com o de Chuck Schuldiner (DEATH), recheado de agudos. Ponto positivo.

Quanto às faixas, em si, o destaque na qualidade vai para a primeira, "Bells of Malediction" e a terceira, a já citada "Guardians of Hell". A que fecha a demo, "Apocalypse's Night" tem momentos bons, com duetos de guitarra e trechos bem originais. O porém vai para um solo no fim da música em que duas guitarras trabalham em sons completamente diferentes.

Como qualquer banda iniciante que se preze, é hora de trabalhar: procurar gravadora, tocar muito ao vivo e compor (muito também!). O mais importante é procurar um diferencial, algo que dê cara à banda e que a faça ser reconhecida, assim como se reconhece uma voz parecida ao do Chuck Schuldiner. Com esforço e aquela pitada de sorte, Guardians of Hell pode ser um nome bom para o futuro.

Formação:
Marcus Vinicius Tremonti (vocal, baixo)
Fernando Tremonti (bateria)
Rafael "Podrinho" Rúbio (Guitarra)

Track list* (20:58):
1. Bells of Malediction
2. Crucify All Divinities
3. Guardians of Hell
4. Apocalypse's Night

* As quatro faixas da demo estão disponíveis no site oficial da banda: http://www.guardiansofhell.cjb.net/




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Guardians of Hell"


Motorhead: a gafe nazista de Lemmy em NurembergMotorhead
A gafe nazista de Lemmy em Nuremberg

Rachel Sheherazade: uma bela versão de Iron Maiden a capella em novo vídeoRachel Sheherazade
Uma bela versão de Iron Maiden a capella em novo vídeo


Sobre Maurício Dehò

Nascido em 1986, é mais um "maidenmaníaco". Iniciou-se no metal ao som da chuva e dos sinos de "Black Sabbath", aos 11 anos, em Jundiaí/SP. Hoje morando em São Paulo, formou-se em jornalismo pela PUC e é repórter de esportes, sem deixar de lado o amor pela música (e tentando fazer dela um segundo emprego!). Desde meados de 2007, também colabora para a Roadie Crew. Tratando-se do duo rock/metal, é eclético, ouvindo do hard rock ao metal mais extremo: Maiden, Sabbath, Kiss, Bon Jovi, Sepultura, Dimmu Borgir, Megadeth, Slayer e muitas, muitas outras. E é de um quarteto básico que espera viver: jornalismo, esporte, música e amor (da eterna namorada Carol).

Mais matérias de Maurício Dehò no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336