Resenha - Ace Of Spades (Expanded Edition) - Motorhead

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Rodrigo Werneck
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Lançado num ano de grande importância para o ressurgimento do heavy metal (1980), o disco “Ace Of Spades” manteve o nome do Motorhead em destaque, com bons lugares nas paradas em diferentes países. A Sanctuary o relançou em versão dupla, com vários extras, como tem feito com todos os discos da banda que pertencem ao seu catálogo.
1180 acessosMikkey Dee: Obras de arte feitas a partir do movimento das baquetas5000 acessosGuns N' Roses x Nirvana: o que ocorreu em 1992?

Mantendo o padrão de discos curtos, “Ace Of Spades”, o quinto gravado pelo grupo, apresenta 12 faixas em apenas 35 minutos de duração total. A formação da banda ainda era a original, contando com Lemmy no baixo e vocal, Fast Eddie Clarke na guitarra e Philthy Animal Taylor na bateria.

Ouvir um disco do Motorhead é uma experiência interessante no seguinte sentido: o material soa às vezes muito parecido, mas uma audição mais cuidadosa nos mostra que existe sim bastante dinâmica nas composições da banda, que mistura suas influências como o blues, o hard rock, o rock’n’roll básico e o punk num liquidificador, e gera a partir daí seu som tão característico. É lógico que a voz de Lemmy, e o seu baixo também, são muito facilmente reconhecíveis, sem igual no cenário mundial. O mesmo se aplica à bateria de Taylor, simples e visceral, mas perfeita pro estilo, e à guitarra vibrante de Clarke, sempre bem posicionada e de bom gosto tanto nos riffs quanto nos solos. Se por um lado a repetição da fórmula não permite muita variação, por outro lado gera uma identidade muito forte.

Neste disco ora resenhado, o recado é certeiro como sempre, e só a música de abertura, a faixa-título por sinal, já é arrebatadora e contagiante e vale por si só o álbum. Um tremendo rockão com ótima letra, um “must” em shows. Mas há outros destaques, como “(We Are) The Road Crew”, “Jailbait”, “Love Me Like A Reptile” e a dupla “Bite The Bullet” e “The Chaser Is Better Than The Catch”. Por sinal, “The Road Crew” nada mais é que uma justa homenagem aos roadies da banda (citados nominalmente no encarte do disco), com um refrão totalmente empolgante.

O segundo disco contém algumas raridades. Fora “Dirty Love”, que é a música do lado B do single “Ace Of Spades”, em seguida são apresentadas várias versões incipientes de músicas do disco, provavelmente demos ou versões iniciais, bem mais cruas que as que acabaram entrando no disco definitivo. É de fato bastante interessante se verificar como as músicas foram desenvolvidas até chegarem às suas formas definitivas. Alguns casos são incríveis, como a própria música “Ace Of Spades”, quase irreconhecível. Fechando o disco, estão presentes músicas gravadas ao vivo na rádio BBC em 1981, para o programa do DJ David Jensen. Da mesma forma que ocorreu com as faixas da BBC incluídas no CD “Overkill”, algumas músicas dessa sessão específica foram propositalmente deixadas de fora aqui (neste caso, “White Line Fever” e ”Like A Nightmare”). Isso para que os fãs tenham que também adquirir o CD duplo “BBC Live & In-Session”, lançado no ano passado pela Sanctuary e contendo todas as sessões completas para a BBC. Coisas do mercado...

O encarte de 12 páginas mais uma vez é primoroso, com excelente texto de Malcolm Dome e várias fotos da época, capas de singles, pôsters, ingressos de shows, “buttons”, artigos de jornais, etc. O disco vem ainda com capa extra de papelão (a famosa “cardboard slipcase”), dando um toque de classe a essa caprichada reedição.

Tracklist:

CD 1 (original album)

1. Ace Of Spades
2. Love Me Like A Reptile
3. Shoot You In The Back
4. Live To Win
5. Fast And Loose
6. We Are The Roadcrew
7. Fire Fire
8. Jailbait
9. Dance
10. Bite The Bullet
11. The Chase Is Better Than The Catch
12. The Hammer

CD 2 (bonus tracks)

1. Dirty Love (b-side of “Ace Of Spades” single)
2. Ace Of Spades (alternative version)
3. Love Me Like A Reptile (alternative long version)
4. Love Me Like A Reptile (alternative version)
5. Shoot You In The Back (alternative version)
6. Fast And Loose (alternative version)
7. We Are The Roadcrew (alternative version)
8. Fire Fire (alternative version)
9. Jailbait (alternative version)
10. The Hammer (alternative version)
11. Dirty Love (alternative version)
12. Dirty Love (alternative long version)

BBC RADIO 1, DAVID JENSEN SESSION 1981:

13. Fast And Loose
14. Live To Win
15. Bite The Bullet/The Chase Is Better Than The Catch

Website da banda: http://www.imotorhead.com/

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Ozzy OsbourneOzzy Osbourne
Lemmy escreveu músicas famosas de sua carreira solo

1180 acessosMikkey Dee: Obras de arte feitas a partir do movimento das baquetas963 acessosLemmy: Dave Grohl não acreditou que ele tinha um coração0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Motorhead"

Metallica e MotorheadMetallica e Motorhead
A obsessão de James Hetfield por Lemmy Kilmister

MotörheadMotörhead
Morre, aos 61 anos de idade, Phil "Philthy Animal" Taylor

Bruce DickinsonBruce Dickinson
"Olhei para o Paul Di'Anno e pensei que deveria estar lá!"

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Motorhead"

Guns x NirvanaGuns x Nirvana
Desentendimentos e um ferido em show de 1992

AC/DCAC/DC
Brian revela segredo obscuro de Angus Young

Iron MaidenIron Maiden
"Se as bandas de Metal mandassem no mundo..."

5000 acessosAstros do rock: o patrimônio líquido de cada um5000 acessosMomentos bizarros: histórias de Ozzy, Stones, Who e outros5000 acessosKeith Richards: Metallica e Black Sabbath são "grandes piadas"5000 acessosBruno Sutter: O headbanger de antigamente tinha uma mente imbecil5000 acessosO Metaleiro: Quadradinho do Inferno, Quadradinho de 6665000 acessosDef Leppard: "Para ser uma banda perigosa não é preciso fazer como Axl Rose!"

Sobre Rodrigo Werneck

Carioca nascido em 1969, engenheiro por formação e empresário do ramo musical por opção, sendo sócio da D’Alegria Custom Made (www.dalegria.com). Foi co-editor da extinta revista Musical Box e atualmente é co-editor do site Just About Music (JAM), além de colaborar eventualmente com as revistas Rock Brigade e Poeira Zine (Brasil), Times! (Alemanha) e InRock (Rússia), além dos sites Whiplash! e Rock Progressivo Brasil (RPB). Webmaster dos sites oficiais do Uriah Heep e Ken Hensley, o que lhe garante um bocado de trabalho sem remuneração, mais a possibilidade de receber alguns CDs por mês e a certeza de receber toneladas de e-mails por dia.

Mais matérias de Rodrigo Werneck no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online