Matérias Mais Lidas

imagemMorre Patricia Kisser, esposa do guitarrista Andreas Kisser

imagemBruce Dickinson: ouça o teste dele para entrar no Iron Maiden

imagemFilho de Trujillo fez guitarra na "Master of Puppets" que toca em Stranger Things

imagemMetallica em "Stranger Things" deixa fãs preocupados com a "popularização" da banda

imagemZakk Wylde: "Black Sabbath com o Dio não é Black Sabbath"

imagemCantora country-pop Carrie Underwood sobe ao palco com Guns N' Roses em Londres

imagemA bizarra exigência de Ace Frehley para participar da última turnê do Kiss

imagemMega-hits Manjados: 10 clássicos que se tornaram clichês

imagemLed Zeppelin ou Pink Floyd, qual dos dois vendeu mais discos de estúdio?

imagemRob Halford posa para foto ao lado de Paul Stanley

imagemPink Floyd: Suas 10 músicas mais subvalorizadas, segundo a What Culture

imagemKirk Hammett deixa escapar que Metallica pode estar trabalhando em um novo álbum

imagemMax Cavalera revela como "selou a paz" com Tom Araya, vocalista do Slayer

imagemAvenged Sevenfold e o álbum do Guns N' Roses que deveria ser mais valorizado

imagemLobão explica porquê todo sertanejo gostaria, no fundo, de ser roqueiro


Airbourne 2022

Resenha - Overkill (Deluxe Expanded Edition) - Motorhead

Por Rodrigo Werneck
Em 11/03/06

Nota: 9

O Motorhead é uma daquelas bandas amadas por uns e odiadas por outros, mas ignoradas por poucos. Criando em meados dos anos 70 o seu estilo próprio que se situava entre o heavy metal e o punk, Lemmy & Cia têm mantido desde então uma coerência rara de se achar em outros grupos. "Overkill" talvez seja a melhor expressão de tudo o que o Motorhead representa, e essa nova versão dupla contendo várias faixas bônus faz jus a essa responsabilidade.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

10 clássicos, menos de 35 minutos de duração. Este é o resumo do que é "Overkill". Dando uma aula sobre como é possível ser simples e ao mesmo tempo talentoso, o trio formado por Lemmy Kilmister (baixo e vocais), Fast Eddie Clarke (guitarra) e Philthy Animal Taylor (bateria) gravou em 1979 o seu mais brilhante álbum. Esclarecendo um pouco a confusão que existe com relação aos primeiros discos do Motorhead, o primeiro gravado ("On Parole") somente foi de fato lançado em 1979, 3 anos após sua gravação, e com o Motorhead já tendo 3 discos na praça. O segundo disco gravado, "Motorhead", foi na realidade o primeiro a sair, em 1977. "Overkill" é na realidade o terceiro a ser gravado, mas o segundo lançado. E "Bomber" foi o quarto gravado, mas o terceiro lançado. Confuso? Sim, de fato, mas a partir daí as coisas se acertaram, devido ao sucesso da banda e a seu novo contrato com a Bronze Records de Gerry Bron.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

O mais difícil é se destacar alguma faixa em "Overkill",, pois todas possuem riffs sensacionais e empolgantes, e refrãos idem. Muitas delas, tocadas ao vivo pela banda até o dias de hoje. Numa mistura de ingredientes do Hawkwind (banda anterior de Lemmy, e que fazia/faz um som mais na linha de um "punk progressivo"), do heavy metal visceral e cru, e do punk propriamente dito, músicas como "Overkill", "Stay Clean", "I’ll Be Your Sister", "No Class", "Damage Case" e "Tear Ya Down" são de tirar o fôlego e de fazer até um monge tibetano sair de sua reclusão e bater a cabeça. O vocal rouco de Lemmy, junto a seu baixo Rickenbacker destorcido (ouça seu solo em "Stay Clean"), a guitarra certeira de Clarke e a bateria agressiva de Taylor, estão aqui em sua melhor forma e desenvolvendo o som tão característico da banda.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Esta novíssima edição em CD duplo, luxuosa e caprichada, inclui o disco original completo no primeiro CD, e várias "bonus tracks" no segundo. Entre elas, estão "Louie Louie", "Too Late Too Late" e "Like A Nightmare", tão clássicas quanto as faixas do disco original em si, e que fizeram parte de singles lançados antes e depois do LP. Além dessas, foram incluídas gravações em shows, habitat natural da banda, especificamente para o programa do DJ John Peel na rádio BBC londrina (em 1978, antes do disco sair) e ao vivo no Paris Theater em 1979, gravação que depois também faria parte da programação da BBC Radio 1, no programa "In-Concert". Um detalhe que valhe a pena comentar é que foram sacadas deste lançamento uma música de cada gravação ao vivo citada. No CD "BBC Live & In-Session", também lançado recentemente, estão incluídas as gravações completas, porém. A música "Keep Us On The Road" aqui está faltando no show de John Peel, e "White Line Fever" ficou de fora do registro do "In-Concert".

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

O encarte deste CD inclui texto de Malcolm Dome, da rádio TotalRock e da revista Classic Rock inglesas, dando uma perfeita perspectiva do momento em que o mesmo foi gravado, assim como várias fotos, pôsters, recortes de jornais e outras imagens da época. Definitivamente um grande lançamento para os "hardcore fans", mas também para fãs de rock pesado em geral.

Tracklist:

CD 1 (original album)

1. Overkill
2. Stay Clean
3. (I Won't) Pay Your Price
4. I'll Be Your Sister
5. Capricorn
6. No Class
7. Damage Case
8. Tear Ya Down
9. Metropolis
10. Limb From Limb

CD 2 (bonus tracks)

1. Louie Louie (single a-side)
2. Louie Louie (alternative version)
3. Louie Louie (alternative long version)
4. Tear Ya Down (b-side single "Louie Louie")
5. Tear Ya Down (alternative version)
6. Tear Ya Down (Instrumental version)
7. Too Late Too Late (b-side single "Overkill")
8. Like A Nightmare (b-side single "No Class")
9. Like A Nightmare (alternative version)

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

BBC JOHN PEEL SESSION '78:

10. Louie Louie
11. I'll Be Your Sister
12. Tear Ya Down

BBC RADIO 1 IN-CONCERT '79:

13. Stay Clean
14. No Class
15. I'll Be Your Sister
16. Too Late, Too Late
17. (I Won't) Pay Your Price
18. Capricorn
19. Limb From Limb

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Grupo de post-metal Tombs lança "Killed by Death", do Motörhead


Motorhead: Quando os deuses se encontram


Câncer na língua: entenda a doença de Bruce Dickinson


Sobre Rodrigo Werneck

Carioca nascido em 1969, engenheiro por formação e empresário do ramo musical por opção, sendo sócio da D'Alegria Custom Made (www.dalegria.com). Foi co-editor da extinta revista Musical Box e atualmente é co-editor do site Just About Music (JAM), além de colaborar eventualmente com as revistas Rock Brigade e Poeira Zine (Brasil), Times! (Alemanha) e InRock (Rússia), além dos sites Whiplash! e Rock Progressivo Brasil (RPB). Webmaster dos sites oficiais do Uriah Heep e Ken Hensley, o que lhe garante um bocado de trabalho sem remuneração, mais a possibilidade de receber alguns CDs por mês e a certeza de receber toneladas de e-mails por dia.

Mais matérias de Rodrigo Werneck.