Resenha - Means To An End - Biohazard

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rafael Carnovale
Enviar Correções  

6


E lá se foi o Biohazard... uma banda que ajudou a popularizar a fusão de rap e hardcore (alguém se lembra do vídeo de "Slam", com o extinto grupo Onyx?) e produziu algumas pérolas do estilo finalmente decidiu soltar seu canto de cisne.

Aparentemente os projetos de Billy Graziadei (vocais/guitarras) e a carreira de ator de Evan Seinfeild (baixo/vocais – chegando a atuar no famoso seriado americano "OZ") não permitiram que o quarteto fosse adiante. Além do que a banda vivia um certo declínio criativo, tanto que alguns CDs sequer chegaram a ser lançados no Brasil.

publicidade

"Means To An End" é um disco de despedida. Mas não quer dizer que a banda resolveu apenas soltar um CD para fechar o contrato, trocar uns abraços e sair fora: "My Life My Day" soa furiosa com alarmes por todos os lados e riffs cortantes, mesclados pelos vocais de Billy e Evan."The Fire Burns Inside" é mais hardcore, e soa um tanto quanto perdida (parece sinceramente ter sido mal aproveitada). Já "Killing To Be Free" é fruto das influências de Sabbath que a banda absorveu (ou alguém se lembra da versão arrasa quarteirão para "After Forever"?).

publicidade

No geral temos um CD legal, mas que mostra uma banda que definitivamente parece ter esgotado suas possibilidades: "Filled With Hate" flerta com o metal, assim como "Devotion", enquanto que "Break It Away From Me" soa furiosa, mas burocrática (a banda já foi bem melhor nesse estilo). Um dos melhores momentos aparece em "Don´t Stand Alone" (com suas melodias e vocais) e em "Set Me Free", com sua levada lenta e cadenciada.

publicidade

Foi uma despedida meia-boca, falta pique ao CD. Tomara que os projetos de Billy (incluindo o Endrah, com Fernandão, ex-Korzus) e a carreira de Evan decolem, porque talento os caras têm, e os anos de Biohazard justificam isso. Mas cá entre nós, precisava fazer um produto meia-boca como este?

10 faixas – Duração: 33min 48seg

Site Oficial: http://www.biohazard.com

publicidade

Formação:
Scott Roberts – Guitarras
Danny Schuler – Bateria
Evan Seinfield – Baixo/Vocais
Billy Graziadei – Guitarras/Vocais

2005 – Hellion Records (NACIONAL)




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Mad Max: inspirando W.A.S.P., Violator, Biohazard e outrosMad Max
Inspirando W.A.S.P., Violator, Biohazard e outros

Nu-Metal: 10 trabalhos que definem as raízes do gêneroNu-Metal
10 trabalhos que definem as raízes do gênero


Two and a Half Men: Participações de astros do rockTwo and a Half Men
Participações de astros do rock

Iron Maiden: o passado vergonhoso registrado em fotosIron Maiden
O passado vergonhoso registrado em fotos


Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin