Resenha - Bubblegum - Mark Lanegan

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Bruno Romani
Enviar correções  |  Ver Acessos


Cresceu, experimentou, amadureceu. Na vivência, nos percalços da vida artística, e nas contribuições a outros e por outros, Mark Lanegan, o outrora líder do Screaming Trees, gera "Bubblegum", seu novo trabalho solo.

Rolling Stone: as 10 melhores bandas de Heavy MetalHumor: o que os fãs de rock pedem para beber em um bar?

Um álbum de blues sem solos de guitarra, ou um trabalho de rock alternativo, por mais genérico que o rótulo possa parecer, muito sofisticado? "Like Little Willie John ou "Hit the City"? Sofisticação gerada a partir de texturas criadas por pianos, teclados, sintetizadores e violões. Muitos instrumentos mas que por vezes tocam notas poucas. Espaços silenciosos entre cada nota que nos fazem lembrar que para a existência do som é preciso o barulho do silêncio. Assim, há a fundação necessária para que a voz rouca que um dia cantou "Nearly Lost You" se entregue e comande as canções com belas melodias e/ou seqüências que parecem uma conversa numa mesa de algum pub no meio do deserto americano. Produção de tamanho bom gosto, que impressiona até mesmo pela sonoridade da bateria.

Lanegan preenche aonde parece estar vazio, e por momentos cria vazio nos corações de quem ouve a peça. O clima soturno é inevitável. É o negro americano do começo do século XX adaptado ao rock do início do novo milênio. Embala tristeza e envoca lembranças embaçadas pelos fracassos da memória. Canta sobre a morte, canta sobre sangue, canta não sobre as dificuldades da vida escrava do trabalho, mas da viciosa relação às drogas.

Não é, entretanto, um testemunho de autodestruição como os conterrâneos do Alice in Chains uma vez professaram. Lanegan mostra a maturidade de quem sobreviveu. E ele atinge a maturidade musical provando que se domina quase todo o álbum com sua voz, e porque conhece os caminhos pelos quais percorre. Não é um processo de masturbação do ego que muitos artistas criam ao se atirar a um projeto solo.

Ao lembrar dos tempos em que trabalhou na instituição do rock "Queens of the Stone Age", sabe do poder da contribuição entre artistas e aqui recruta para várias canções a musa do indie-rock PJ Harvey, e os ex-membros do Guns n' Roses Izzy Stradlin e Duff Mckagan para "Strange Religion". Está completa, assim, a receita para Lanegan mostrar do que anos sem acomodação são capazes.

Difícil é parar de ouvir.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Mark Lanegan"


Rolling Stone: as 10 melhores bandas de Heavy MetalRolling Stone
As 10 melhores bandas de Heavy Metal

Humor: o que os fãs de rock pedem para beber em um bar?Humor
O que os fãs de rock pedem para beber em um bar?

Blasfêmias?: Rockstars que atacaram a igreja, Jesus Cristo e DeusBlasfêmias?
Rockstars que atacaram a igreja, Jesus Cristo e Deus

Astros mortos: como estariam alguns se ainda estivessem vivos?Astros mortos
Como estariam alguns se ainda estivessem vivos?

Nirvana: Kurt Cobain era meio pau no cu, diz produtorNirvana
"Kurt Cobain era meio pau no cu", diz produtor

Slipknot: tatuador de Corey Taylor está angustiado e quer terminar rabisco inacabadoSlipknot
Tatuador de Corey Taylor está angustiado e quer terminar rabisco inacabado

Exodus: o Metallica é, de longe, a maior banda de Metal do mundoExodus
O Metallica é, de longe, a maior banda de Metal do mundo


Sobre Bruno Romani

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Mais matérias de Bruno Romani no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336