Resenha - Zero Tolerance - Chuck Schuldiner

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago Sarkis
Enviar correções  |  Ver Acessos


Esta é a resenha mais incômoda que já escrevi na vida. Não creio que qualquer álbum envolvendo Chuck Schuldiner mereça uma nota menor que, no mínimo, 7.5. Isto só poderia acontecer sem a participação dele, na ausência de sua conhecida consideração aos fãs e pesar com a qualidade de seus discos.

Rockstars: filhos de roqueiros seguindo os passos dos paisHeavy Metal: 5 músicos que não são metaleiros mas amam o estilo

"Zero Tolerance" leva o nome do líder do Death e do Control Denied porque papéis e contratos assim delegaram à gravadora Hammerheart (Karmaggedon Media atualmente) o direito de fazê-lo. Apesar de gravações asquerosas de ensaios e demos que na verdade demonstram apenas o esqueleto do que seriam as músicas, inegavelmente é Schuldiner tocando. Seu estilo de tocar e cantar é único, assim como sua maneira de compor. Sim, é tudo dele e aparentemente o Control Denied lançaria um segundo CD matador.

O fato é que não há consentimento da família do artista para o lançamento, e logo notamos a razão dos Schuldiner, pois o resultado de trabalhos indefinidos e demos toscas datadas de 1985, 1986 é escabroso.

"Zero Tolerance" é um álbum intitulado por um alguém que não o próprio Chuck, cuja renda vai para um alguém que não a família de Chuck, e, como se não bastasse, que depõe - pelas mãos deste mesmo "alguém" (podemos colocar no plural), o qual, como já dito, NAO É CHUCK - contra o próprio Chuck, como se algum dia ele fosse imbecil o bastante de dar um presente de grego destes aos seus fãs. Seguindo o raciocínio, a nota deste CD vai para este alguém que não o próprio Chuck, e a nota é ZERO!




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Chuck Schuldiner"


Ídolos imortais: Chuck Schuldiner, o padrinho do death metalÍdolos imortais
Chuck Schuldiner, o padrinho do death metal


Rockstars: filhos de roqueiros seguindo os passos dos paisRockstars
Filhos de roqueiros seguindo os passos dos pais

Heavy Metal: 5 músicos que não são metaleiros mas amam o estiloHeavy Metal
5 músicos que não são metaleiros mas amam o estilo


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336