Matérias Mais Lidas

imagemRegis Tadeu e os cinco grandes vocalistas que o mundo do Rock não dá valor

imagemA música do Metallica que James não queria apresentar aos outros integrantes

imagemFãs detonam produção do Knotfest após anúncio do Pantera

imagemDez músicas de outros estilos que ganharam ótimas versões rock/metal - Parte I

imagemA melhor música de heavy metal lançada a cada ano desde 1970, em lista do Loudwire

imagemO carinhoso jeito de Axl Rose se desculpar com sua equipe pelo seu jeito imprevisível

imagemAngra e Shaman, Edu Falaschi fala sobre a treta que havia entre as bandas

imagemAmy Lee surpreende ao escolher os melhores cantores (e cantoras) de todos os tempos

imagemJô Soares comprou uma obra de arte do Rock por causa do Regis Tadeu

imagemA música do Raul Seixas com erro gramatical que parece um plágio mas é uma homenagem

imagemBruno Sutter explica semelhança problemática entre Ayrton Senna e Fausto Fanti

imagemFrank Zappa surpreende ao eleger seus dez álbuns favoritos

imagemPor que som do Angra não era novidade em 1993, segundo Alex Holzwarth

imagemSamuel Rosa chama guitarrista do Pearl Jam de "menino mimado" por quebrar instrumentos

imagemOzzy Osbourne revela que Lemmy Kilmister era um leitor voraz


Stamp
2022/07/09

Resenha - Heathen Machine - Balance Of Power

Por Maurício Gomes Angelo
Em 23/01/04

Nota: 9

Mudança de vocalista é sempre algo complicadíssimo para uma banda. E com o Balance não foi diferente, certa apreensão por parte dos fãs foi natural após a saída de Lance King (que se aventurou numa frustrada tentativa com o Shining Star, aqui do Brasil), mas não vejo com o que se preocupar após a audição desse novo trabalho.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Heathen Machine traz frescor e leva o Balance Of Power a uma sonoridade muito interessante, conseguindo se destacar em meio a tantas bandas que praticam metal melódico na atualidade.

É só ouvir a faixa título ou I Wish You Were Here para perceber o prog/power de muita classe que eles proporcionam. Dono de um timbre agradabilíssimo, a voz de John K. é perfeita para este estilo e combina absurdamente com a proposta da banda, transmitindo segurança e talento em qualquer tipo de música, tanto nas partes lentas como nas mais pesadas, uma escolha consciente e que poderá leva-los a alcançar patamares mais altos inclusive.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Heathen Machine é um típico álbum da fusão prog/power. Está tudo lá: os riffs pesados e bem construídos, os solos harmoniosos e marcantes, o baixo pulsante e virtuoso, a bateria eficiente e os teclados de fundo, dando o acabamento final. Quando eles resolvem injetar um refrão mais pegajoso (típico do Power Metal), também o fazem muito bem, como na ótima Chemical Imbalance.

Outros destaques são Just Before You Leave (a balada que não pode faltar), fazendo mais do que cumprir o seu papel, bela música e feita com inteligência, chutando a pieguice para bem longe, e Necessary Evil pelo "punch" absurdo e pela insana quebradeira proporcionada.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

O peso das guitarras está bem presente (como deve ser), todos os integrantes soam entrosados e dando o melhor de si em seus instrumentos e John K. chega para mostrar do que talento, técnica e uma boa voz (tudo isso bem balanceados – desculpe o trocadilho) podem fazer.

O Balance Of Power é uma das ótimas bandas que estão ressuscitando o metal inglês (já há algum tempo sobrevivendo de seus grandes ícones e agora experimentando o nascimento de novos nomes de respeito).

Excelente álbum, altamente recomendado.

Formação:
John K. (vocal)
Pete Southern (guitarra)
Tony Ritchie (baixo)
Lionel Hicks (bateria)
Leon Lawson (teclados)

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Track – List:
01 – The Rising
02 – Heathen Machine
03 – I Wish You Were Here
04 – Chemical Imbalance
05 – No Place Like Home
06 – The Eyes Of The World
07 – Just Before You Leave
08 – Wake Up Call
09 – Necessary Evil

Tempo Total: 56:40 min.

Site Oficial: www.balance-of-power.com

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

2022/08/18


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Iron Maiden: Perguntas e respostas e curiosidades diversas

King Diamond: O que significa ser Satanista?


Sobre Maurício Gomes Angelo

Jornalista. Escreve sobre cultura pop (e não pop), política, economia, literatura e artigos em várias áreas desde 2003. Fundador da Revista Movin' Up (www.revistamovinup.com) e da revrbr (www.revrbr.com), agência de comunicação digital. Começou a escrever para o Whiplash! em 2004 e passou também pela revista Roadie Crew.

Mais matérias de Maurício Gomes Angelo.