Matérias Mais Lidas

imagemA bizarra exigência de Ace Frehley para participar da última turnê do Kiss

imagemVital, o ex-Paralamas que virou nome de música e depois foi pro Heavy Metal

imagemPink Floyd: Gilmour nega alegação de Waters sobre "A Momentary Lapse of Reason"

imagemEngenheiros do Hawaii e as tretas com Titãs, Lulu Santos, Lobão e outros

imagemMax Cavalera revela como "selou a paz" com Tom Araya, vocalista do Slayer

imagemO álbum do The Who que Roger Daltrey achou "uma m*rda completa

imagemRegis Tadeu explica porque Ximbinha é um dos melhores guitarristas do Brasil

imagemPink Floyd: Suas 10 músicas mais subvalorizadas, segundo a What Culture

imagemLobão explica porquê todo sertanejo gostaria, no fundo, de ser roqueiro

imagem"Stranger Things" traz cena com "Master of Puppets", do Metallica

imagemAndreas Kisser conta quais os dez álbuns que mudaram a sua vida

imagemO grave problema do refrão de "Eagle Fly Free", segundo Fabio Lione

imagemAlice Cooper diz que em sua equipe "todo mundo é tratado como a banda"

imagemGregório Duvivier: "Perto de Chico Buarque, Bob Dylan é uma espécie de Renato Russo!"

imagemMax Cavalera diz quais foram os dois discos mais difíceis que já gravou


Stamp

Resenha - Operation: MindCrime - Queensryche

Por Fábio Trovão
Em 29/03/00

Quais são os fatores que fazem um álbum de heavy rock ser ótimo? Guitarras pesadas, entrosadas e com solos virtuosos. Vocais poderosos e backing vocals emocionantes. Baixo pulsante, adicionando peso às músicas. Bateria vibrante e complexa. E claro, uma produção excelente. E se além disso, esse álbum for conceitual contando uma estória de tirar o folêgo? Aí nós temos uma obra-prima chamada Operation: MindCrime.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Operation foi o quarto álbum da banda Queensryche. Banda que até então era considerada apenas mais uma boa banda de heavy metal que explorava o estilo desenvolvido por bandas como Iron Maiden, Van Halen e Pink Floyd. Mas com Operation: MindCrime a banda definiu um estilo que começou a ser forjado no álbum anterior, Rage For Order. Esse álbum provavelmente foi o primeiro do estilo que viria a fazer muito sucesso nos anos 90, o chamado Prog Metal. Uma mistura de Heavy Metal (guitarras distorcidas, baixo pesado) com progressivo (teclados climáticos, corais, vocais em contraponto, harmonias complexas).

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O álbum conta a estória de de Nikki, um carinha que faz parte de uma organização revolucionária comandada pelo personagem Dr.X. O lema era bem simples: "Assassination and Replacement", ou seja, "Assassinato e substituição".

A estória começa na primeira música, I Remember Now, que é apenas um diálogo. Nikki está no Hospital Penitenciário e começa a se lembrar dos últimos acontecimentos até ele chegar ali.

Anarchy-X é apenas um trecho instrumental e serve de introdução para Revolution Calling, que a letra conta quando Nikki foi recrutado por Dr.X e os motivos que o levou à organização. Nessa música aparecem duas frases que marcam profundamente: "I used to trust the media to tell me the thruth, tell us the truth. But now I see the pay-offs everywhere I look, who do you trust when everyone's a crook", que significa "Eu costumava acreditar que a mídia me dizia, nos dizia a verdade. Mas agora eu vejo as propinas em todo o lugar que eu olho, em quem você acredita quando todos são safados", e a outra é: "I used to think that only America's way was right, but now the Holy Dollar rules everybody's lives, gotta make a million doesn't matter who dies", que significa "Eu costumava achar que somente o modelo de vida Americano estava certo, mas agora o Dólar Sagrado manda na vida de todo mundo, há de se fazer 1 milhão não importam quantos morram".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

As músicas seguintes, Operation: MindCrime e Speak falam sobre os métodos da organização e os assassinatos cometidos por Nikki. Spreading The Disease apresenta a personagem Mary, uma ex-prostituta que foi tirada das ruas pelo Padre Willian, mas com algumas "coisas" em troca, e por quem Nikki se apaixona em The Mission.

Suite Sister Mary é o ponto alto do álbum. Nikki recebe ordem para matar Padre Willian e sua amada Mary. Musicalmente uma obra-prima. Corais, orquestrações, e principalmente, uma excelente cantora, Pamela Moore, fazendo o papel de Mary. A interpretação de Geoff Tate (Nikki) e Pamela (Mary) são impressionantes. Digno de uma ópera.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em The Needle Lies, a música mais heavy metal tradicional do álbum, com uma levada que lembra Iron Maiden ou Judas Priest, Nikki tenta sair da organização, adrenalina pura. E na pequena, porém tensa, Electric Requiem Nikki acha Mary morta. E aí fica a grande dúvida do cd: Quem matou Mary? O próprio Nikki? Dr.X? Padre Willian? Veja as letras e tente descobrir por você mesmo! Em Breaking The Silence Nikki é preso por arruaça ao ser encontrado gritando nas ruas. E portando a arma que matou muitas pessoas.

I Don't Believe In Love mostra toda a tristeza de Nikki por perder Mary. Waiting For 22/My Empty Room carrega toda sua preocupação por não ter ninguém no mundo. Na última música do álbum, Eyes Of A Stranger, Nikki é condenado a ir para o manincômio, onde ele tenta procurar no seu passado as razões para suas ações. E ao se olhar no espelho ele vê um estranho. E o álbum acaba com Nikki finalmente se lembrando de tudo. "I Remember Now".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O álbum teve tanto sucesso que foi lançado um vídeo chamado Video:MindCrime, com clips de várias músicas do álbum, e em 1991 foi lançada a caixa Operation: LiveCrime, composta por um cd e um vídeo com todo o álbum tocado ao vivo. Provavelmente um dos melhores álbuns ao vivo na história do Heavy Metal. Produção e execução nada menos do que perfeitas. Infelizmente essa caixa está fora de catálogo. E em 1999 o álbum foi relançado remasterizado na Europe com uma capa de couro e ainda com o primeiro EP de bônus, essa caixa ficou conhecida como Leather Box.

Para quem já conhece o Queensryche, já sabe a grandeza de Operation: MindCrime e pra quem não conhece, ou conhece apenas o álbum Empire (o mais popular da banda) está mais do que na hora de comprar essa obra-prima.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Airbourne 2022
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp




Sobre Fábio Trovão

Guitarrista e professor de Inglês! Adora Heavy Metal em geral, principalmente Heavy Progressivo!

Mais matérias de Fábio Trovão.