Resenha - Wasteland Serenades - Griffin

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rafael Carnovale
Enviar Correções  

7


Anos 80. Foi o que veio a minha mente ao ouvir este cd. A sonoridade do heavy oitentista se faz pulsante na música deste quarteto norueguês. Nada mal resgatar um som importante na vida de qualquer ouvinte de heavy que se preze. Mas o Griffin foi ainda mais adiante. Resolveu mescla-lo com elementos de hard, e até prog, em algumas passagens. O resultado: legal, mas um tanto confuso.

Slash: uso excessivo de drogas chocou David Bowie

Bruce Dickinson: vocalista elege seus 5 álbuns preferidos

"Mechanized Reality", a primeira faixa, de cara nos remete ao bom thrash dos anos 80, com o vocal de Tommy Sebastian sendo muito influenciado pelos bons anos de James Hetfield (Metallica). Logo após somos brindados com outra pérola heavy oitentista, que de cara me lembrou o Anthrax de "Among the Living",com uma pegada mais speed. O thrash rola solto no cd, através de faixas como "Bsession", "New Business Capitalized" (com vocais mais guturais) e "Punishiment Macabre" (muito influenciada pelo Metallica de "And Justice for All"). O clima de peso e agressividade só é quebrado na última faixa "Dream of the Dreamers (Bliss2)", uma semi-balada, que não mostra nenhuma empolgação, sendo entediante e desnecessária. Os momentos prog aparecem na fraca "Always Closing", que tenta remeter ao Dream Theater, mas sofre por ser cansativa e lenta... não emplaca.

O maior pecado do cd reside na tentativa de mesclar o heavy oitentista com elementos de outros estilos, como acontece na última faixa e em faixas como "Hunger Strikes", com uma pegada mais grunge, deixando o cd um tanto confuso, pois a banda não soube encaixar direito tais elementos, criando uma atmosfera bem esquisita para quem ouve. Sem contar o excesso de faixas speed no cd, o que o torna também um tanto repetitivo.

Uma boa banda, mas que não fez nada especial nesse cd. Vale ouvir antes de comprar. Quem sabe com uma orientação mais específica e mais cuidado na elaboração das músicas a banda não melhore sensivelmente?

Line Up:
Johnny Wandberg – Guitarras
Tommy Sebastian – Baixo, Vocais
Kai Nergard – Guitarra
Markus Karlsen – Bateria

Material cedido por:
Rock Brigade Records/Laser Company Records
http://www.rockbrigade.com.br
http://www.lasercompany.com.br




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Slash: uso excessivo de drogas chocou David BowieSlash
Uso excessivo de drogas chocou David Bowie

Bruce Dickinson: vocalista elege seus 5 álbuns preferidosBruce Dickinson
Vocalista elege seus 5 álbuns preferidos


Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin