Resenha - Wasteland Serenades - Griffin

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rafael Carnovale
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 7


Anos 80. Foi o que veio a minha mente ao ouvir este cd. A sonoridade do heavy oitentista se faz pulsante na música deste quarteto norueguês. Nada mal resgatar um som importante na vida de qualquer ouvinte de heavy que se preze. Mas o Griffin foi ainda mais adiante. Resolveu mescla-lo com elementos de hard, e até prog, em algumas passagens. O resultado: legal, mas um tanto confuso.

Drogas e Álcool: protagonistas nos piores shows de grandes astrosFreddy Frenzzy: O vocal que trocou Hard Rock por forró ostentação

"Mechanized Reality", a primeira faixa, de cara nos remete ao bom thrash dos anos 80, com o vocal de Tommy Sebastian sendo muito influenciado pelos bons anos de James Hetfield (Metallica). Logo após somos brindados com outra pérola heavy oitentista, que de cara me lembrou o Anthrax de "Among the Living",com uma pegada mais speed. O thrash rola solto no cd, através de faixas como "Bsession", "New Business Capitalized" (com vocais mais guturais) e "Punishiment Macabre" (muito influenciada pelo Metallica de "And Justice for All"). O clima de peso e agressividade só é quebrado na última faixa "Dream of the Dreamers (Bliss2)", uma semi-balada, que não mostra nenhuma empolgação, sendo entediante e desnecessária. Os momentos prog aparecem na fraca "Always Closing", que tenta remeter ao Dream Theater, mas sofre por ser cansativa e lenta... não emplaca.

O maior pecado do cd reside na tentativa de mesclar o heavy oitentista com elementos de outros estilos, como acontece na última faixa e em faixas como "Hunger Strikes", com uma pegada mais grunge, deixando o cd um tanto confuso, pois a banda não soube encaixar direito tais elementos, criando uma atmosfera bem esquisita para quem ouve. Sem contar o excesso de faixas speed no cd, o que o torna também um tanto repetitivo.

Uma boa banda, mas que não fez nada especial nesse cd. Vale ouvir antes de comprar. Quem sabe com uma orientação mais específica e mais cuidado na elaboração das músicas a banda não melhore sensivelmente?

Line Up:
Johnny Wandberg - Guitarras
Tommy Sebastian - Baixo, Vocais
Kai Nergard - Guitarra
Markus Karlsen - Bateria

Material cedido por:
Rock Brigade Records/Laser Company Records
http://www.rockbrigade.com.br
http://www.lasercompany.com.br




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Griffin"


Drogas e Álcool: protagonistas nos piores shows de grandes astrosDrogas e Álcool
Protagonistas nos piores shows de grandes astros

Freddy Frenzzy: O vocal que trocou Hard Rock por forró ostentaçãoFreddy Frenzzy
O vocal que trocou Hard Rock por forró ostentação

Eddie Van Halen: falando sobre o solo de Beat ItEddie Van Halen
Falando sobre o solo de "Beat It"

The Simpsons: 10 melhores aparições de roqueiros no desenhoThe Simpsons
10 melhores aparições de roqueiros no desenho

Históricas: Fotos de encontros inusitados entre rockstarsHistóricas
Fotos de encontros inusitados entre rockstars

Umagumma: Literatura que trata do Rock Progressivo e suas bandasUmagumma
Literatura que trata do Rock Progressivo e suas bandas

Skid Row: ninguém sabia, mas John 5 apareceu em um clipe delesSkid Row
Ninguém sabia, mas John 5 apareceu em um clipe deles


Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale no Whiplash.Net.

adClioIL