Resenha - Razorblade Romance - HIM

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Sílvio Costa
Enviar correções  |  Ver Acessos


Há alguns anos, um sub-estilo denominado pela imprensa especializada européia como "love metal" vem ganhando espaço e conquistando adeptos, em sua maioria, órfãos do movimento pós-punk ou ainda do gótico. Dentre as inúmeras bandas deste sub-estilo, os finlandeses do HIM (o nome é uma sigla - His Infernal Majesty) ganharam alguma notoriedade, conseguindo contrato com uma major (BMG) e lançando este Razorblade Romance.

Black Sabbath: Tony Iommi explica como tocar "Paranoid"Black Sabbath: o dia em que Tony Iommi quase matou Bill Ward

Explorando o visual andrógino do vocalista Ville Valo e temas que sempre oscilam entre o amor, solidão e morte, este disco está repleto de melodias pesadas e melancólicas, sem, no entanto, soarem depressivas ou densas demais. Devo confessar que ao ver a capa do disco pela primeira vez (uma foto do referido vocalista numa pose extremamente gay...) eu levei um susto. Mesmo assim, pus o disco para rolar e o resultado sonoro dos rapazes é surpreendente. Riffs marcantes, vocalizações densas (sem soarem arrastadas, como no To/Die/For, por exemplo)e uma cozinha monolítica (o baterista Gas é conhecido por quem já ouviu o disco solo de Timo Kotipelto, do Stratovarius) são as principais características desse álbum. Algumas faixas mostram com mais riqueza estes elementos. A pesada Poison Girl ou a belíssima balada deprê Join Me são algumas das faixas mais legais. Além delas, o cover para Wicked Game, do Chris Isaak (muitas vezes superior à chata versão original) merecem o devido destaque.

Este é um álbum indicado para pessoas de mente mais aberta e que não se assustam com a primeira impressão. Vale a pena.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "HIM"


Sedentos por Sangue: confira 5 belas canções sobre VampirosSedentos por Sangue
Confira 5 belas canções sobre Vampiros

Ramones: bandas de metal que já gravaram versões da bandaRamones
Bandas de metal que já gravaram versões da banda

Finlândia: as dez melhores bandas de Heavy Metal do paísFinlândia
As dez melhores bandas de Heavy Metal do país


Black Sabbath: Tony Iommi explica como tocar ParanoidBlack Sabbath
Tony Iommi explica como tocar "Paranoid"

Black Sabbath: o dia em que Tony Iommi quase matou Bill WardBlack Sabbath
O dia em que Tony Iommi quase matou Bill Ward

Viking Metal: Com um machado na mão, o que você quiser, você pode!Viking Metal
Com um machado na mão, o que você quiser, você pode!

Guitarra: os melhores solos da história segundo a Guitar WorldGuitarra
Os melhores solos da história segundo a Guitar World

Marilyn Manson: 7 coisas que você não sabia sobre eleMarilyn Manson
7 coisas que você não sabia sobre ele

The Voice: Bruce Dickinson disse não a reality-showThe Voice
Bruce Dickinson disse não a reality-show

AC/DC: Jesus era um homem inteligente, não filho de DeusAC/DC
"Jesus era um homem inteligente, não filho de Deus"


Sobre Sílvio Costa

Formado em Direito e tentando novos caminhos agora no curso de História, Sílvio Costa é fanzineiro desde 1994. Começou a colaborar com o Whiplash postando reviews como usuário, mas com o tempo foi tomando gosto por escrever e espera um dia aprender como se faz isso. Já colaborou com algumas revistas e sites especializados em rock e heavy metal, mas tem o Whiplash no coração (sem demagogia, mas quem sabe assim o JPA me manda mais promos...). Amante de heavy metal há 15 anos, gosta de ser qualificado como eclético, mesmo que isto signifique ter que ouvir um pouco de Poison para diminuir o zumbido no ouvido depois de altas doses de metal extremo.

Mais matérias de Sílvio Costa no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336