Matérias Mais Lidas

imagemMarcello Pompeu, em busca de emprego, pede ajuda a seguidores

imagemGene Simmons faz passagem de som antes de show do Kiss com roupa inusitada

imagemPaul McCartney lista os cinco músicos que formariam sua banda dos sonhos

imagemRegis Tadeu explica porque o vinil e o Spotify vão despencar e o CD vai bombar

imagemBill Hudson comenta sobre falta de público de Angra e outras bandas nos EUA

imagemMax Cavalera e o conselho dado por Ozzy Osbourne: "ambos nos sentimos traídos"

imagemJames Hetfield se emociona profundamente no show de BH e é amparado pelos amigos e fãs

imagemDez grandes músicas do Iron Maiden escritas pelo vocalista Bruce Dickinson

imagemDave Mustaine mostra a forma curiosa como se aquece antes de um show do Megadeth

imagemMax Cavalera é criticado por ucranianos pelo apoio a Rússia em 2014

imagemConheça a "melhor banda com as melhores músicas" para Robert Smith, do The Cure

imagemAbba e a imensa importância do Deep Purple na sonoridade de suas músicas clássicas

Marcello Pompeu: ele conta por que não se posiciona politicamente, apesar de cobranças

imagemQueen e a artimanha infantil de Roger Taylor pra ganhar mais dinheiro que os outros

imagemBlind Guardian divulga capa, nomes e duração das faixas de seu novo álbum


Stamp

Resenha - Power and The Myth - House Of Lords

Por Daniel Dutra
Em 28/08/04

Nota: 8

(Wet Music - nacional)

Analisando hoje, não é tão difícil descobrir o porquê de o House of Lords não ter passado do segundo escalão do hard rock americano. Seu primeiro e homônimo disco, lançado em 1988 pela então recém-inaugurada Simmons Recods (sim, a gravadora dele mesmo), não tinha, musicalmente falando, o apelo comercial de um Bon Jovi e muito menos chegou a empolgar. Com os outros três - I Wanna Be Loved (1989), Sahara (1990) e Demons Dawn (1992) - não foi muito diferente e em 1993 o quinteto encerrou as atividades.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Quase uma década depois, James Christian (vocal), Lanny Cordola (guitarra), Chuck Wright (baixo) e Ken Mary (bateria), sem o tecladista Gregg Giuffria, resolveram gravar um novo álbum. Curiosamente - ou ironicamente, como queiram - o quinto disco teve uma parto difícil e é o melhor trabalho do House of Lords. Os dois anos para conseguir aprová-lo junto à Frontiers Records foram o grande problema, mas ainda bem que os quatro não desistiram. The Power and The Myth não vai mudar o mundo, mas é quase todo muito agradável.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

A ótima Today abre o disco e de cara apresenta um refrão grudento sem ser piegas, além de melodias e arranjos simples mas muito bem cuidados. Ironicamente - ou curiosamente, como queiram - a música em questão não deveria ser a primeira do CD, mas a gravadora bateu o pé, e é uma das duas em que ninguém da banda aparece nos créditos de composição. Ela foi escrita pelo tecladista convidado Sven Martin (Tattoo) e outras três cabeças, assim como a bonita The Man Who I Am, que tem potencial para tocar em qualquer rádio pop ou alguma estação que se ache rock.

Mesmo com um quê de blues, All is Gone tem um andamento quebrado bastante interessante. Mais calma, Am I the Only One ajuda a manter o bom nível, assim como Living in Silence (com uma bateria tribal). Na verdade, o único ponto negativo é Child of Rage, clichê e totalmente dispensável, além de o seu início remeter a Knockin' on Heaven's Door, de Bob Dylan. O bom mesmo é que quatro músicas salvam o deslize e fazem a balança pesar a favor. A começar pela ótima faixa-título, que deveria ser a faixa de abertura, diga-se.

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

Instrumental, The Power and The Myth apresenta um Ken Mary destruidor e ainda tem um ótimo solo de teclado, cortesia de ninguém menos que o ex-Dream Theater Derek Sherinian - o CD também conta com mais dois na função: Allan Okuye e Ricky Phillips na função. The Rapture é a seqüência perfeita, com melodias árabes cativantes. Bitter Sweet Euphoria traz Wright e Cordola inspirados e ótimos backing vocals no fim, mais precisamente no último refrão.

Entre todas elas, no entanto, a excelente Mind Trip sobra naturalmente. Mais rápida, tem um instrumental poderoso, e aí você pode incluir Cordola largando o dedo com vontade, riffs de guitarra e baixo em perfeita harmonia e, impossível não ser repetitivo, um Ken Mary destruidor. Meu Deus, o que esse cara toca é brincadeira! Vale o disco. Ah, sim: além de Today e The Man Who I Am, por motivos já citados, o ex-baterista do Mr. Big, Pat Torpey, só não compôs outras três músicas: The Power and the Myth, The Rapture e Child of Rage.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Wet Music: www.wetmusic.com.br


Outras resenhas de Power and The Myth - House Of Lords

Resenha - Power and The Myth - House of Lords

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp