Gene Simmons: o empresário do rock

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Fotoboard Tramparia, Fonte: Gene Simmons - Eu, S.A.
Enviar correções  |  Ver Acessos

Um dos fundadores do KISS, uma das maiores bandas de hard rock da história, GENE SIMMONS, têm outros negócios mega rentáveis além da música, e um deles é no ramo de palestras motivacionais.

Hetfield: egos, Mustaine, Load e homossexualidade no MetallicaEm cana: os rockstars em suas fotos mais constrangedoras

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O conteúdo do livro a seguir, é de grande valia, pois mostra ao leitor os caminhos para a auto-realização, a partir de experiências próprias de CHAIM WEITZ (nome de nascença antes de tornar-se GENE SIMMONS), onde conseguiu tirar leite de pedra.

GENE SIMMONS conta como um garoto judeu pobre, que saiu de Israel para os Estados Unidos, em busca de uma vida melhor, soube criar, trabalhar, persistir e aproveitar as oportunidades que apareceram.

Inspire-se, na pequena parte da imensa trajetória de atividades laborais do baixista do KISS, retirada do livro Eu, S.A. - do autor, palestrante e empresário do Rock, GENE SIMMONS.

Fotografia: Fernando Yokota

Local de Publicação: Rio de Janeiro| Ano: 2015 |
Páginas: 258 | Editora: Fábrica 231.

Já fiz por volta de cinquenta palestras pelo mundo por meio da minha marca Gene Simmons Rich & Famous Expos. Sou dono dessa marca registrada.

O motivo de sempre ter tido o desejo de palestrar para as pessoas é que a educação que recebi nas escolas públicas não me preparou para o que a vida realmente era e, mais especificamente, para como iria pagar meu aluguel.

Queria me conectar com as pessoas, dividir minhas experiências e mostrar como elas podem melhorar a vida delas imediatamente. E, em alguns casos, como alguns poucos deles podem se tornar ultrarricos. Isso já aconteceu, mais de uma vez.

Inicialmente quis que a Creative Artists Agency me agendasse em palestras e eventos, mas me foi dito que meu cachê por palestra poderia ser apenas na faixa de 15 a 20 mil dólares.

Não concordei com essa avaliação, então decidi eu mesmo agendar os eventos.

Então espalhei a notícia. Não me custou um centavo, e nunca contratei uma agência de relações públicas ou um agente ou um organizador de eventos para fazer isso.

Simplesmente mencionei quando dei entrevistas na TV ou no rádio e, pronto, fui convidado para o meu primeiro evento. Fizeram uma oferta, negociei e fechamos em 100 mil dólares. Desde então esse é o meu cachê mínimo.

Multiplique isso por cinquenta e verá por que profissionais nem sempre podem ajudá-lo a chegar aonde você quer ir.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

De uma forma ou outra, lidar diretamente com as coisas é algo que em geral acabo fazendo. Se você quer algo bem-feito, faça você mesmo. Não inventei essa frase, mas é meu lema de vida.

A primeira vez que você tenta algo sozinho, será sem dúvida bem difícil. Conforme você obtém sucesso e firmeza e consegue provar a si mesmo nos campos de batalhas, as pessoas confiarão na sua habilidade de vender.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

No meu nível, fazer você mesmo é simplesmente mais fácil. E se você está comprometido em se tornar seu próprio chefe, é preferível.

Palestras me são solicitadas por todos os lados, mas quase nunca os pedidos vêm de agências. Corporações normalmente fazem contato direto comigo. E o que faço é uma mistura de um discurso autobiográfico com uma fala que espero que seja inspiradora e motivadora.

Nunca levo anotações e nunca estou preparado. Analisando a reação da plateia posso ir direcionando o conteúdo e com sorte a maioria deles "pega a ideia".

"Pegar a ideia" tem a ver com uma mentalidade: a ideia de que você pode fazer quase tudo, estando no lugar certo e na hora certa para a coisa certa.

E o bom e velho trabalho duro. Essa é a razão de eu não usar anotações porque nunca usei anotações na minha carreira. Nade ou afunde, você tem que pular com tudo. Se esperar até estar pronto, como diz o ditado, esperará para sempre.

Essa é uma das razões pela qual sou eu que estou escrevendo esse livro e não uma outra pessoa. Existem professores de teatro que não sabem atuar, mas que lhe dirão o que você está fazendo de errado.

Existem técnicos de futebol que lhe dirão o que você está fazendo errado no jogo, mesmo que nunca tenham jogado futebol.

Eu sou um híbrido. Estou na frente da câmera. E estou atrás da câmera. No palco. E nos bastidores. Trabalho com negócios e tenho um senso de estrutura de negócios. Não de todos os negócios, veja você. Ninguém tem isso.

Mas acumulei certo senso comum dos negócios, o suficiente para ser capaz de aplicá-lo e ganhar dinheiro.

O meu propósito em recontar todas essas empreitadas é explicar que você não deve ter medo de tentar se aventurar em coisas novas. Você pode precisar de bons sócios, bons roteiristas, boas produtoras, investidores e acionários que podem preencher o que lhe faltar em conhecimento e experiência para ajudar a fazer seu projeto decolar.

Mas não deixe o medo de falhar impedi-lo de ao menos tentar. A maioria dos chutes vão para fora, mas se você chutar o bastante, alguns entrarão no gol.

Essa matéria faz parte da categoria Trecharias BioRockers e da Biblioteca Cifranegriana - Portalblog cifranegramisterial.com

Contracapa do livro EU, S.A. - GENE SIMMONS: Construa um exército de um homem só, liberte seu deus interior e vença na vida e nos negócios.

Seu Cifro vestido com a camiseta com desenho da maquiagem que GENE SIMMONS usa nos palcos.

Faixa 13: Right Here, Right Now | Álbum: Monster(2012) | KISS | Gravadora: Universal Music Group |Produtores: PAUL STANLEY, Greg Collins.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção MatériasTodas as matérias sobre "Kiss"Todas as matérias sobre "Gene Simmons"


Kiss: Paul Stanley recorda a dor de ser chamado de monstro de uma orelhaKiss
Paul Stanley recorda a dor de ser chamado de "monstro de uma orelha"

Gene Simmons: Ele recusou papel em filme para manter imagem de mauGene Simmons
Ele recusou papel em filme para manter imagem de mau


Hetfield: egos, Mustaine, Load e homossexualidade no MetallicaHetfield
Egos, Mustaine, Load e homossexualidade no Metallica

Em cana: os rockstars em suas fotos mais constrangedorasEm cana
Os rockstars em suas fotos mais constrangedoras


Sobre Fotoboard Tramparia

Fotógrafo artístico que registra e cria cenários com objetos ligados a cultura pop/rock, como CDs, livros, camisetas etc. Edita textos, fotos e divulga bandas no Portalblog cifranegramisterial.com. Desde os tempos de guri, ouve Led Zeppelin, The Cult, Rush, AC/DC, Iron Maiden, Guns N' Roses, Alice In Chains, entre outras inúmeras lendas do rock/metal. Toca piano e teclado, pratica esportes e está sempre em busca de energia rock and roll e da natureza.

Mais matérias de Fotoboard Tramparia no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280 Cli336x280