Versões: Clássicos que você talvez não saiba, ou não lembre que são

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Carlos Garcia
Enviar correções  |  Ver Acessos

Existem músicas as quais seria praticamente uma heresia alguém regravar, ou fazer uma nova versão. Diria que é impossível melhorar ou tornar mais conhecida uma releitura de um clássico como "Bohemian Rhapsody", do Queen, ou "Stairway to Heaven", do Led Zeppelin (que curtia fazer algumas "versões" de Blues), por exemplo, pelas particularidades de cada uma delas, e pela perfeição e originalidade. A versão original é sempre melhor. Ou não?

Deep Purple: a contestada entrevista na Globo em 2006Slipknot: Corey Taylor não tem a cara limpa por baixo da máscara

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Há os casos em que as versões acabaram se tornando tão conhecidas, e realmente trouxeram uma melhoria com relação à ideia original, que até esquecemos que não são daquele artista, ou até mesmo desconhecemos o fato. Músicas que praticamente acabam se tornando propriedade do artista que a tornou mais conhecida. Com certeza muito de vocês, que estão lendo, devem conhecer algumas dessas, e lembrar de algumas outras. É divertido "caçar" essas versões, e também procurar as originais na internet para comparar. Vamos ver algumas?

1) "Love Hurts", gravada pelo Nazareth no álbum "Hair of the Dog", e que se tornou um hit obrigatório da banda, foi composta pelo Norte Americano Boudleaux Bryant e gravada pela primeira vez, em 1960, pelo Everly Brothers.

2) "Hey Joe" foi imortalizada por um dos maiores guitarristas da história, Jimi Hendrix, mas a original é do Leaves, um grupo de Folk Music.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

3) "Whiskey in the Jar", é uma canção popular irlandesa, que o Thin Lizzy fez sua versão, o que deu uma grande ajuda à banda, colocando-a nas paradas musicais britânicas. E neste caso, a "cover da cover" também se tornou conhecida, e certamente muitos a conheceram pela versão do Metallica, que é bem similar a do Thin Lizzy, porem com mais peso. O Metallica ganhou um Grammy com ela inclusive, em 2000.

4) A guitarrista Joan Jett tem em "I Love Rock & Roll" uma das responsáveis para alavancar seu início de carreira solo, e é uma daquela músicas que acabam praticamente se tornando propriedade do artista que a melhorou e tornou conhecida. A versão original foi lançada em 75 pelo The Arrows.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

5) E o hit Pop de Cindy Lauper "Girls Just Wanna Have Fun" (Garotas Só Querem Se Divertir)? É engraçado, mas foi composta por um cara! Pois é, é do compositor e cantor Americano Robert Hazard, que a gravou em 1979, mas que se tornou um sucesso nas mãos de Cindy, e é uma daquelas obrigatórias em qualquer festa temática dos anos 80! Haha!

6) Elvis, a gente sabe, fazia muitas versões, mas dava a cara dele para as canções, como "Hound Dog", que é uma das primeiras que lembramos sempre que se fala no "Rei do Rock". A canção foi composta por Big Mama Thorton. Bom, não é raro termos várias versões Rock para Blues antigos e de autores praticamente desconhecidos.

7) Pra fechar com um número ímpar, o místico "7", "Twist and Shout", sucesso nas mãos dos Beatles, foi originalmente lançada pelos Top Notes, um grupo de Rhythm & Blues da Filadélfia, em 1961.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção MatériasTodas as matérias sobre "Thin Lizzy"Todas as matérias sobre "Joan Jett"Todas as matérias sobre "Nazareth"Todas as matérias sobre "Beatles"


VH1: os 100 melhores álbuns de rock segundo a emissoraVH1
Os 100 melhores álbuns de rock segundo a emissora

Beatles: Não foi acaso Liverpool ter sido a cidade do fenômenoBeatles
Não foi acaso Liverpool ter sido a cidade do fenômeno


Deep Purple: a contestada entrevista na Globo em 2006Deep Purple
A contestada entrevista na Globo em 2006

Slipknot: Corey Taylor não tem a cara limpa por baixo da máscaraSlipknot
Corey Taylor não tem a cara limpa por baixo da máscara


Sobre Carlos Garcia

Antes de tudo sou um colecionador, que começou a cair de cabeça no Metal e Classic Rock quando o Kiss esteve no Brasil em 1983, a partir daí não parei mais. Criei fanzines, como o Zine Barulho, além de colaborar com outros zines e depois web zines e sites, como os saudosos Metal Attack e All the Bangers. Atualmente sou um dos editores e redator do Road to Metal. O melhor de tudo são as amizades que fazemos, além do contato e até amizade com alguns de nossos heróis.

Mais matérias de Carlos Garcia no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280 Cli336x280