Freddie Mercury: em 1992, o show-tributo feito para combater a Aids

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Igor Miranda
Enviar correções  |  Comentários  | 

Em 24 de novembro de 1991, o mundo perdeu Freddie Mercury, um dos maiores cantores da história contemporânea.

Por trás de sua morte, havia um problema mundial: a Aids, doença que permanece até hoje sem cura. Freddie morreu devido a uma broncopneumonia causada pelo vírus HIV, causador do mal em questão.

A doença que tirou a vida de Freddie Mercury também havia acometido e levado à morte milhares de pessoas por todo o mundo. Hoje, a Aids pode ser melhor controlada a partir de tratamentos específicos - bem como evitada de diversas formas -, mas, naquela época, tudo ainda era muito novo.

Com o intuito de auxiliar muitos que sofriam - ou poderiam sofrer - com o vírus HIV, além de homenagear Freddie Mercury, foi realizado o "Freddie Mercury Tribute Concert" em 20 de abril de 1992. O evento foi promovido pelos integrantes remanescentes da banda - o guitarrista Brian May, o baterista Roger Taylor e o baixista John Deacon - e o empresário Jim Beach.

O quarteto em questão havia fundado e até hoje faz a gestão da Phoenix Trust, associação criada para combater a Aids pelo mundo. O pontapé inicial da instituição foi dado a partir da renda obtida com o "Freddie Mercury Tribute Concert", promovido no estádio de Wembley, em Londres, Inglaterra.

Fãs e amigos de Freddie Mercury se uniram aos integrantes remanescentes do Queen a uma série de performances que aconteceu durante todo aquele dia. O grupo contou com músicos de todo o tipo - dos então emergentes Gary Cherone, Axl Rose e Slash até verdadeiros dinossauros da música, como Tony Iommi, Robert Plant e Roger Daltrey.

Antes do Queen se apresentar com vários convidados, algumas bandas fizeram pequenas apresentações prévias. O Metallica abriu a noite com três músicas de seu disco mais recente até então, "Metallica" (1991). Depois, o Extreme fez um medley com 10 músicas do Queen, além de performances isoladas de "Love Of My Life" e "More Than Words".
3567 acessosExtreme: o surpreendente show no tributo a Freddie Mercury

Def Leppard, Bob Geldof, Spinal Tap, U2 (via satélite, filmado de Sacramento, nos Estados Unidos) e Guns N' Roses também fizeram pequenas apresentações antes do Queen e seus convidados. Serviu como um aquecimento para o que ainda estava por vir.

Depois da introdução de gala, os remanescentes do Queen subiram ao palco com os devidos convidados para cada canção. E é simplesmente incrível ouvir, depois de tanto tempo, artistas de renome interpretando os clássicos imortalizados na voz de Freddie Mercury.

A abertura com "Tie Your Mother Down", com Joe Elliott e Slash, e "I Want It All", com Roger Daltrey e Tony Iommi, já valeria o ingresso. Robert Plant, por sua vez, transbordou classe ao entoar as estrofes de "Innuendo" e "Crazy Little Thing Called Love".

"Stone Cold Crazy", com James Hetfield e Tony Iommi, mostram o lado mais metálico do Queen. Há quem diga que essa música tenha sido o primeiro thrash metal da história. A interpretação de David Bowie e Annie Lennox para "Under Pressure" também chama a atenção.

Para mim, os grandes momentos dessa apresentação estiveram ao fim. A trinca "'39", "These Are The Days Of Our Lives" e "Somebody To Love", com George Michael, foram a homenagem mais próxima ao que Freddie Mercury transmitia com sua arte. Não só em voz, mas, também, em performance e em mensagem.

Elton John também fez bonito em suas contribiuções. "Bohemian Rhapsody", com a participação enérgica de Axl Rose no fim, "The Show Must Go On", com Tony Iommi na guitarra, mostram a classe do Rocket Man em cada nota imposta.

Como dito anteriormente, a Phoenix Trust segue na ativa, sob administração dos músicos ainda vivos do Queen e do empresário Jim Beach. Com a renda dos ingressos vendidos, foi possível arrecadar mais de 20 milhões de euros no total. A performance também foi exibida pela MTV para todo o mundo.

O "Freddie Mercury Tribute Concert" fez história não só pela magnitude do concerto em si, mas, também, pelo registro que ficou para a posteridade. O trabalho foi lançado, à época, em VHS. Depois, ganhou versões em DVD e Blu-Ray.

Lista de faixas reproduzidas em "Freddie Mercury Tribute Concert":

1. Metallica – Enter Sandman
2. Metallica – Sad But True
3. Metallica – Nothing Else Matters

4. Extreme – Medley (Mustapha, Keep Yourself Alive, I Want to Break Free, Bicycle Race, Another One Bites the Dust, Stone Cold Crazy, Radio Ga Ga
5. Extreme – Love of my Life
6. Extreme – More Than Words

7. Def Leppard – Animal
8. Def Leppard – Let's Get Rocked
9. Def Leppard – Now I'm Here (com Brian May)

10. Bob Geldof – Too Late God

11. Spinal Tap – The Majesty Of Rock

(Via satélite: U2 – Until the End of the World)

12. Guns N' Roses – Paradise City
13. Guns N' Roses – Knockin on Heaven's Door

14. Queen + Joe Elliott + Slash – Tie Your Mother Down
15. Queen + Roger Daltrey + Tony Iommi – I Want it All
16. Queen + Zucchero – Las Palabras De Amor
17. Queen + Gary Cherone – Hammer to Fall
18. Queen + James Hetfield + Tony Iommi – Stone Cold Crazy
19. Queen + Robert Plant – Innuendo
20. Queen + Robert Plant – Crazy Little Thing Called Love
21. Queen + Spike Edney – Too Much Love Will Kill You
22. Queen + Paul Young – Radio Ga Ga
23. Queen + Seal – Who Wants to Live Forever
24. Queen + Lisa Stansfield – I Want to Break Free
25. Queen + Annie Lennox & David Bowie – Under Pressure
26. Queen + Mick Ronson + Ian Hunter + David Bowie – All the Young Dudes
27. Queen + Mick Ronson + David Bowie – Heroes
28. Queen + George Michael – '39
29. Queen + George Michael + Lisa Stansfield – These Are the Days Of Our Lives
30. Queen + George Michael – Somebody to Love
31. Queen + Elton John + Axl Rose – Bohemian Rhapsody
32. Queen + Elton John + Tony Iommi – The Show Must Go on
33. Queen + Axl Rose – We Will Rock You
34. Queen + Liza Minelli – We Are The Champions
35. Queen – God Save the Queen

O Queen foi representado por:

Brian May (guitarra, violão, teclados e vocais)
Roger Taylor (bateria, percussão e vocais)
John Deacon (baixo)

Músicos de apoio:

Spike Edney (teclado, piano, guitarra)
Mike Moran (piano em Who Wants to Live Forever e Somebody to Love)
Josh Macrae (percussão)
Chris Thompson (violão em I Want It All, Little Thing Called Love e Heroes)
Maggie Ryder (backing vocals)
Miriam Stockley (backing vocals)
The London Community Gospel Choir (vozes em Somebody To Love e We Are The Champions)
John Jones (órgão e backing vocals em We Are The Champions)

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

CarnavalCarnaval
Carlinhos Brown quer Steven Tyler, Adam Lambert e Iron Maiden

484 acessosQueen: cinebiografia está com novo diretor871 acessosQueen: diretor é demitido da cinebiografia "Bohemian Rhapsody"1189 acessosQueen: Fox suspende filmagens de cinebiografia "Bohemian Rhapsody"1054 acessosQueen: "Another One Bites the Dust" em versão Metal1933 acessosBrian May: honrado com a visita do Pai do Heavy Metal0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Queen"

SuperaçãoSuperação
Garoto cego emociona jurados de reality ao cantar sucesso do Queen

CensuraCensura
Ouvir Rock e Metal é porta de entrada para virar gay?

QueenQueen
Música da banda pode salvar vidas em caso de infarto?

0 acessosTodas as matérias da seção Matérias0 acessosTodas as matérias sobre "Queen"


MotorheadMotorhead
A gafe nazista de Lemmy em Nuremberg

MegadethMegadeth
Os 10 bens mais preciosos de Dave Mustaine

Fotos de InfânciaFotos de Infância
Lemmy, do Motorhead, muito antes da fama

5000 acessosSlayer: cronologia de Hanneman, da picada da aranha até a morte5000 acessosBandas extremas: 10 álbuns que causaram surpresa5000 acessosHeavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 19845000 acessosMetallica: banda planejou demitir Lars após a turnê de "MOP"5000 acessosBaixo: O melhor solo com uma só corda da história (vídeo)5000 acessosIdade passa: vídeos mostram o efeito do tempo em alguns Rockstars

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 21 de abril de 2017


Sobre Igor Miranda

Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e apaixonado por rock há mais de uma década. Começou a escrever sobre música em 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Atualmente, é redator-chefe da área editorial do site Cifras e mantém um site próprio (www.IgorMiranda.com.br). Também co-fundou o site Van do Halen, para o qual trabalhou até 2013 – apesar de ainda manter por lá uma coluna semanal, chamada Cabeçote.

Mais informações sobre Igor Miranda

Mais matérias de Igor Miranda no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online