Black Sabbath: da magia negra até o pó branco

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Andrezinho Martini, Fonte: Guardian, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

O que segue abaixo é a tradução de um trecho de uma matéria de autoria de Paul Lester, publicada no Guardian.

1272 acessosBlack Sabbath: Assista trailer de The End Of The End5000 acessosMegadeth: Mustaine fala sobre satanistas, gays e gatos

O metal sombrio e monolítico do Black Sabbath, que capturou a escuridão no final dos anos 60 quando o sonho hippie azedou, é imortal mas seus criadores são tão suscetíveis as efeitos do tempo como todos nós. Eles criaram as fundações de toda uma sub-cultura - a MTV os colocou em primeiros numa lista das maiores bandas de heavy metal enquanto todas as gerações, desde o 'new wave of british heavy metal' do final dos 70 até o grunge, os proclamam 'Os Padrinhos' - mas eles não estarão ai pra sempre.

Novamente, eles estiveram curando feridas desde o fim dos anos 60. Butler relembra ter experimentado terríveis problemas de rim, acreditando que iria morrer. Foi quando seus pais, rígidos católicos que iriam 'chicotear e bater' nele se xingasse ('Por isso,' ele diz, 'eu raramente xingo hoje em dia'), testemunharam o real processo de imersão de seu filho nas artes obscuras: eles ficaram horrorizados ao ver seu quarto pintado de preto, com toda sua coleção de parafernálias satânicas.

'O médico ligou pra que eles me levassem pro hospital,' ele lembra, sempre o cômico Brummie, 'e meu pai veio, tipo, 'Mãe do céu!', arrancando todas as cruzes invertidas e figuras de Satã das paredes.'

De acordo com Butler, que foi responsável por grande parte das letras ao longo do tempo, quando eles se juntaram, o Black Sabbath nunca pretendeu festejar o mal, mas esgueirar lentamente a malevolência pela sociedade. 'Guerra era o tema principal [de nossas letras],' diz Butler. 'Meus irmãos estavam todos no exército e eu pensei que eu teria que ir lutar no Vietnam. E tinha a bomba atômica e o sentimento de que todos iríamos acabar explodindo.'

'Era paz e amor,' intervém Iommi, 'mas de repente isso foi pro buraco.' O Sabbath sempre foi associado com o sinistro, mas eles se afastaram do cargo de precursores do apocalipse após Butler ter uma visão do diabo no fim de sua adolescência. 'Era uma forma preta,' ele diz, 'com chifres e tudo. Eu pirei. Foi ai que começamos a alertar contra o satanismo.'

Surrealmente, Butler lembra estar no topo das paradas com 'Paranoid' e ter uma conversa sobre forças superiores com Cliff Richard. 'Eu usava uma cruz do Sabbath [de porta cabeça] e ele disse: 'Oh, você é cristão?' e eu disse:' É, eu era bem religioso,' ele diz, 'mas eu não acredito em mais nada agora.'

Questionado sobre fé após ser confrontado pela sua própria mortalidade, Iommi diz que acredita em deus. Butler, que ainda usa um crucifixo ao redor do pescoço, acrescenta: 'Eu tenho quando estou em um avião - a primeira coisa que faço é rezar.' Com relação a Osbourne, quem criou o título da música 'God is Dead?', ele tem dúvida, mesmo falando com a convicção de devoto.

'Eu fiz um bom trabalho tentando me matar por 64 anos,' ele diz no telefone de sua casa em LA. 'Mas alguma coisa me manteve vivo. Eu não sei se é deus, destino ou sei lá. Eu sou mente aberta. Mas não acredito em religião organizada de maneira alguma.'

'Nós nunca fomos ocultistas,' ele diz. 'Era um hobby, até começarmos a ser convidados para rituais de magia negra em cemitérios. Ai fui acusado de fazer isso e morder aquilo e apareciam pessoas fazendo piquetes nas arenas com banners. Mas se você ouvir as músicas não tem nada que seja pró-magia negra ou pró-satanismo. É como 'God is Dead? no final a letra diz: 'eu não acredito que deus esteja morto. Mas eles só ouvem as palavras 'deus está morto.''

Por três anos eles foram uma das maiores bandas do mundo. Seguindo o sucesso de Black Sabbath (1970), Paranoid (1970) e Master of Reality (1971), eles se viram, juntamente com o Led Zeppelin e o Deep Purple, como pioneiros de um movimento de rock pesado e progressivo. Eles eram ainda maiores nos EUA, onde foram gravar seu quarto album, Black Sabbath Vol. 4, em 1972. Mas daí, o problema não era a magia negra, mas sim pó branco.

'Nós éramos jovens rapazes, fazendo o que rapazes fazem,' diz Iommi, se referindo ao seu prodigioso consumo de cocaína - o álbum continha uma faixa chamada 'Snowblind' [Snow: Neve; Blind: cego]. Enclausurados em uma mansão em Bel Air, seu comportamento degenerado, envolvendo substâncias e groupies, era, relata Butler, equiparável ao de Calígula.

Iommi dispensa a ideia de que ele, Butler e Ward eram a fundação da banda para as excentricidades de Osbourne. 'ninguém conseguia controlar ninguém,' reflete o guitarrista, que quase sofreu uma overdose uma noite no Hollywood Bowl. 'Eu estava cheirando coca de tudo quanto é jeito, usando quaaludes [pílulas para dormir], e sabe deus o que mais. Nós costumávamos ter [cocaína] fluindo num avião particular.'

Vol. 4, diz Butler, custou $60.000 - $15.000 a menos que a conta de cocaína. O baixista relembra quando alguém batizou sua bebida com ácido, fazendo com que tentasse 'por um fim a isso' pulando da janela do hotel. 'Tony e Bill tinham que me segurar na cama,' ele se arrepia. 'eu comecei a parar com as drogas depois disso.'

O texto completo (em inglês) está no link abaixo:
http://www.guardian.co.uk/music/2013/jun/06/black-sabbath-co...

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 30 de maio de 2016

Kerry KingKerry King
O Deep Purple influenciou mais o Thrash que o Black Sabbath

1272 acessosBlack Sabbath: Assista trailer de The End Of The End1068 acessosBanda dos sonhos: qual seria a sua?198 acessosMarcos de Ros: Tony Iommi, Dois Dedos de Prosa0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Black Sabbath"

Black SabbathBlack Sabbath
Tony Blair nunca conseguiu tocar "Iron Man"

Ozzy OsbourneOzzy Osbourne
Veja a entrevista para o Fantástico da TV Globo

Bill WardBill Ward
Os dez discos de metal favoritos do baterista

0 acessosTodas as matérias da seção Matérias0 acessosTodas as matérias sobre "Black Sabbath"

MegadethMegadeth
Mustaine fala sobre satanistas, gays e gatos

Hall Of FameHall Of Fame
500 Músicas Que Marcaram o Rock and Roll

AC/DC a ZZ TopAC/DC a ZZ Top
As origens dos nomes de bandas e artistas de rock e heavy metal

5000 acessosAxl no AC/DC: O fiasco que se transformou numa surpreendente união5000 acessosThe Voice Kids: até Brian May ficou impressionado com brasileiro5000 acessosSolos de guitarra: lista dos 50 melhores segundo a NME5000 acessosEm 14/01/2001: W. Axl Rose estreava o GN'R "reloaded"5000 acessosPolêmica eterna: O rock pesado tem um "pai"?5000 acessosTrios de rock: os 10 mais em lista do site Gibson.com

Sobre Andrezinho Martini

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online