Bloodbound: um laço de sangue nunca pode ser desfeito

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Júlio Oliveira, Fonte: Site Oficial Bloodbound, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

No verão de 2004, dois amigos de longa data, Tomas Olsson e Fredrik Bergh, decidiram voltar às suas raízes musicais e iniciar uma banda de metal. Eles se reuniram a Urban Breed e Oskar Belin para formar o BloodBound.

Megadeth: Mustaine fala sobre bandas satânicasHistória do rock: Sexo bizarro, drogas, mortes e outros boatos

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Uma demo foi gravada e enviada para varias gravadoras ao redor do mundo a fim de conseguir um contrato. Após algumas semanas, ofertas começaram a chegar e a banda ficou impressionada com o reconhecimento conseguido. Um acordo foi assinado com a Metal Heaven para a Europa e com a Marquee/Avalon para a distribuição asiática.

Em 2005 o BloodBound deu inicio às gravações de "Nosferatu", que foi lançado no inicio de 2006, tornando-se um grande sucesso com excelentes reviews ao redor do mundo. Pouco depois do lançamento do seu debut, Oskar Belin decidiu deixar a banda por falta de tempo para as turnês. Pelle Åkerlind (Morgana Lefay) foi convocado para substitui-lo e com este lineup eles tocaram ao lado de bandas como Arch Enemy, Dark Tranquility, Evergrey e Pretty Maids, para citar algumas. O sucesso alcançado com o primeiro disco trouxe-lhes também a oportunidade de negociar com a Rock Machine Records para lançar o disco no território brasileiro e a Mystic Empire, para um lançamento russo.

O ano de 2006 foi de muitas mudanças com entrada e saída de membros como Kristian Andrén (Wuthering Heights, Memento Mori, Tad Morose), (The Storyteller), Jörgen Andersson (Baltimoore) e Markus Albertson (Seven Sins). Ao final da turnê Urban Breed decidiu sair da banda para dedicar-se 100% ao seu sonhado projeto solo.

Após um ano turbulento, a banda como um todo sentiu que precisava de estabilidade então convidaram Henrik Olsson, irmão mais jovem de Tomas e Johan Sohlberg para a guitarra e baixo respectivamente. Eles aceitaram e a banda começou a trabalhar no seu segundo disco, "Book Of The Dead".

A vaga de vocalista ainda estava em aberto e assim permaneceria por algum tempo, até que a banda decidiu efetivar Michael Bornmann (Jaded Heart, Bonfire, J.R. Blackmore, Rain) em janeiro de 2007, iniciando imediatamente as gravações de "Book Of The Dead", finalizadas em fevereiro e lançado em maio.

A banda começou então a conquistar o mundo e o novo álbum os levou à turnê com o HammerFall, dando-lhes oportunidade não só de tocar para platéias maiores como em grandes festivais como o Sweden Rock Festival. Pouco depois do lançamento de "Book Of The Dead", a banda percebeu que a agenda de Michael não lhes permitiria fazer todos os shows, então Usban Breed foi convidado e acabou cantando em todos os shows, sendo mais tarde efetivado como membro da banda novamente. Ao final de 2007 o BloodBound começou a trabalhar em seu terceiro álbum com lançamento planejado para 2008.

O termo "blood bound" data da idade média quando homens faziam um pacto chamado pacto de sangue onde eles se cortavam e então apertavam as mãos misturando o sangue. Cada um deles então carregava o sangue do outro, como irmãos de sangue. Um "blood bound" nunca pode ser desfeito e o seguirá para o resto de sua vida.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção MatériasTodas as matérias sobre "Bloodbound"


Megadeth: Mustaine fala sobre bandas satânicasMegadeth
Mustaine fala sobre bandas satânicas

História do rock: Sexo bizarro, drogas, mortes e outros boatosHistória do rock
Sexo bizarro, drogas, mortes e outros boatos


Sobre Júlio Oliveira

Recifense, atualmente divide seu tempo entre trabalhar em Copenhague (Dinamarca) e morar/estudar em Malmö (Suécia). Começou a escutar Metal no início dos anos 90 com os companheiros do Colégio da Polícia Militar e desde então não parou mais, mas nunca se restringindo a um estilo, mas à qualidade da musica em questão. Resolveu começar a colaborar com o site depois de anos lendo as noticias trazidas por outros. "Tava na hora de eu dar minha colaboração também...".

Mais matérias de Júlio Oliveira no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336