Breeders

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Enviar Correções  

Biografia originalmente publicada no site Dying Days

King Diamond: Alguém já o viu sem a maquiagem?Scorpions: As 20 melhores canções com temática romântica

Por Alexandre Luzardo

O Breeders foi formado em 1988 em Boston, Massachusetts. Kim Deal (que assinava Mrs. John Murphy na época) tocava baixo nos Pixies e tinha decidido iniciar um projeto paralelo onde ela tivesse mais autonomia para por em prática sua energia criativa e, de certo modo, deixar de ser a "sombra criativa" de Frank Black (na época Black Francis) nos Pixies. Ela chamou Tanya Donelly, integrante do Throwing Muses, banda também de Boston que tinha muito prestígio no underground americano na época, sendo a primeira banda americana a assinar com o renomado selo britânico 4AD. Tanya e Kim se conheceram num clube em Boston em 1988 quando as duas compositoras "frustradas" resolveram formar sua própria banda. Elas passaram os próximos dois anos procurando tempo livre para ensaiar e contando com várias formações diferentes onde apenas as duas líderes eram os integrantes efetivos. O nome da escolhido para a banda foi The Breeders, mesmo nome que Kim usava em apresentações de música folk ao lado de sua irmã Kelley vários anos antes em Dayton, Ohio.

Após finalmente defininda uma formação, o Breeders entrou em estúdio para gravar seu álbum de estréia, Pod em 1990. A gravação do disco durou apenas três semanas e a formação da banda incluía além de Kim e Tanya, o baterista Brit Walford que havia tocado na banda Slint (estranhamente creditado no disco do Breeders como Shannon Doughton), a baixista inglesa Josephine Wiggs (do Perfect Disaster, banda que havia aberto shows para o Pixies) além de Carrie Bradley no violino. Pod foi produzido por Steve Albini, que também produziu o clássico álbum dos Pixies Surfer Rosa e futuramente do álbum In Utero do Nirvana. Enquanto alguns críticos consideraram o Breeders muito próximo ao som do Pixies, o público pareceu bastante interessado nas guitarras despretenciosas, vocais melodiosos e letras desconexas sobre aborto, temas bizarros e morte. Apesar da reação dividida da crítica, o Breeders conseguiu bastante sucesso, Pod vendeu mais que Bossanova (o álbum do Pixies daquele ano) e estabeleceu um estilo que passou a influenciar várias bandas no rock alternativo. No entando, a empresa que fazia a distribuição do disco nos Estados Unidos, a Rough Trade America, foi a falência, causando a banda a perda da maior parte dos royalties. Esse fato, além de outros compromissos de Tanya Donelly fizeram com o que o Breeders parasse um tempo e Kim Deal retornou ao Pixies.

A segunda encarnação do Breeders foi em 1991 para gravar o EP Safari. Desta vez, Kim Deal teve papel central nas composições e na formação da banda, que contava com o baterista Jim Macpherson e sua irmã gêmea Kelley Deal como guitarrista (apesar de Kelley jamais ter tocado guitarra antes). Tanya Donelly participou das gravações mas deixou a banda logo em seguida para formar o Belly. Ao mesmo tempo o Pixies anunciava seu final, deixando Kim Deal livre para se dedicar exclusivamente ao Breeders. Após o lançamento de Safari, que foi aclamado pela crítica, banda participou da turnê européia do Nirvana em julho de 1992.

Logo depois, o Breeders entrou em estúdio novamente, desta vez em São Francisco com o produtor inglês Mark Freegard e contanto com Carrie Bradley no violino novamente. Foi durante essas seções que a banda gravou "Cannonball", que se tornou o single de maior popularidade da banda, ancorado pela MTV e as rádios, se tornou um dos singles do ano e ajudou o albúm Last Splash a atingir a marca de 500.000 cópias vendidas (feito que o Pixies, por exemplo, jamais conseguiu). A popularidade de Last Splash mostrava que o Breeders tinha se firmado entre o público pós-Pixies além de ter conquistado muitos outros fãs em meio a explosão do rock alternativo.

Em julho de 1993 o Breeders participou do festival Lollapalooza e entre o final de 1993 e o ano de 1994 a banda esteve em turnê por todo o mundo, além de gravar o EP Head to Toe, de apenas três músicas que foi lançado em edição limitada. Exaustos das turnês, a banda decidiu por uma parada no fim de 1994. Nessa época, Kelley Deal foi presa por posse de drogas e condenada a um programa de reabilitação. No ano seguinte, Kim escreveu e ensaiou músicas novas com Jim MacPherson enquanto Josephine foi morar em Nova Iorque ensaiando com uma banda que iria se tornar o Josephine Wiggs Experience, seu trabalho solo. Enquanto que os outros membros ainda não estavam preparados para gravar um novo disco, Kim estava. Como resultado, ela resolveu gravar suas músicas (que foram compostas para serem músicas dos Breeders) sozinha. Em meio ao projeto, ela mudou de idéia e resolveu chamar uma banda de apoio, que passou a contar com Jim Macpherson na bateria, Nathan Farley na guitarra e Luis Lerma no baixo. Sua nova banda foi chamada Tammy and The Amps, logo depois encurtado para The Amps. O Amps entrou em turnê e o álbum Pacer foi lançado em outubro de 1995, com uma produção bastante descuidada, numa sonoridade no clima de "banda de garagem".

Em Dezembro de 1996 foi anunciada a turnê da reunião do Breeders. No entanto, enquanto todos esperavam a volta de Kelley Deal e Josephine Wigs, isso não aconteceu, a formação do Breeders consistia em todos os membros do Amps e a volta de Carrie Bradley. Três meses depois a banda percorreu os Estados Unidos em turnê, tocando um misto de músicas do Amps e Breeders.

Em agosto de 1997 a situação era a seguinte: Jim tinha deixado a banda para tocar nas bandas Guided By Voices e no Real Lulu, sendo substituido por Tyler Trent (que tocava na banda Brainiac). Kelley estava trabalhando em sua própria banda, o Kelley Deal 6000 e Josephine anunciou que não mais retornaria ao Breeders, permanecendo com sua banda, o Josephine Wigs Experience. Carrie Bradley também iniciou sua própria banda, chamada 100 Watt Smile.

O futuro da banda parecia incerto, a gravação de um novo disco foi anunciada várias vezes sem ser confirmada. Em 1999 Kim e Kelley voltaram a ensaiar juntas e gravaram a música "Collage" para a trilha do filme Mod Squad, o primeiro trabalho das duas irmãs em anos. Fortes boatos circularam sobre um possível novo álbum ainda naquele ano, o que acabou não se confirmando. Em 2000, Kim se reúne ao produtor Steve Albini para algumas seções, onde Kim tocava todos os instrumentos, do vocal à bateria. Embora satisfeita com os resultados das gravações, Kim não poderia ir adiante com a idéia sem formar um banda de verdade ou não seria possível tocar ao vivo.

Foi quando ao assistir a um show da banda punk de Los Angeles Fear, Kim resolve convidar o guitarrista Richard Presley e o baterista Mando Lopez para fazer parte do Breeders. Estava definida a nova formação da banda. Kim e Kelley se mudam para Los Angeles onde passam a ensaiar o novo Breeders em tempo integral. A banda entra em estúdio durante 2001 e finalmente o novo disco é gravado e fica pronto em 2002. Com produção de Steve Albini, Title Tk (expressão jornalística que significa Title to come, ou "título a ser definido"). a versão final do disco inclui algumas músicas gravadas com Albini nas seções com Kim tocando todos os instrumentos. Em maio de 2002 o Title Tk é lançado, pondo fim a uma espera de quase 10 anos.




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Elle: revista elege as melhores guitarristas da históriaElle
Revista elege as melhores guitarristas da história


King Diamond: Alguém já o viu sem a maquiagem?King Diamond
Alguém já o viu sem a maquiagem?

Scorpions: As 20 melhores canções com temática românticaScorpions
As 20 melhores canções com temática romântica


adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin