Tradução - To Mega Therion - Celtic Frost

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Raul Kuk, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

To Mega Therion (Τὸ Μεγα Θηρίον - "A Grande Besta", em grego) é o segundo e mais aclamado álbum da banda suíça Celtic Frost, lançado em outubro de 1985. A arte da capa é uma pintura de H.R. Giger, responsável, entre outros trabalhos, pelas artes conceituais do filme Alien, o Oitavo Passageiro, entitulada Satan I. O álbum é um clássico do metal extremo e se tornou uma grande influência no desenvolvimento do black metal e do death metal.

[INNOCENCE AND WRATH]

Instrumental

[INOCÊNCIA E FÚRIA]

Instrumental

[JEWEL THRONE]

Once prayed to my gods,
searching for the whistled memories
Empty eyes are staring now,
to my feet a land of sorrow
I'm the king, sitting in the dark
hiding from the shadows of the wind
Wafts of might, wine of fire,
I was called to taste

Silver horses brought us here,
to the edge of the universe
We left the falling walls
as the stars' collapse began
Now I rest on the highest steps,
revealed the eternal frontier
As I gaze from the Jewel Throne
to the portal of infinity

Fallen have the "chosen ones",
debris remain in the dust
Far behind, beyond the sands,
the wind sings to those who fell
Forever now, my hands laid down
the poisoned weapons
I will pray to my gods,
searching for the mysteries

[TRONO DE JÓIA]

Certa vez orei a meus deuses,
procurando pelas lembranças sibiladas
Olhos vazios estão encarando agora,
a meus pés uma terra de tristeza
Eu sou o rei, sentado nas trevas
ocultas das sombras do vento
O amargor do poder, vinho de fogo,
fui chamado a experimentar

Cavalos prateados nos trouxeram aqui,
aos limites do universo
Deixamos os muros desmoronando
quando o colapso das estrelas começou
Agora repouso nas mais altas passagens,
revelada a fronteira eterna
Enquanto observo do Trono de Joia
para o portal do infinito

Caídos estão os "escolhidos",
destroços permanecem na poeira
Muito para trás, além das areias,
o vento canta para os que caíram
Para sempre agora, minhas mãos abandonaram
as armas envenenadas
Eu rezarei para meus deuses,
procurando pelos mistérios

[THE USURPER]

Lend me your steel-bearing hand
So I may reign the Jewel Throne
My soul feels the gods' demand
As the lost kings uphold my side

(Chorus)
Blood and sand
Mark their way
The usurper's tears
Guide my sword...

Fantasia slept in my thoughts
As I was a son of infinity
The emperor, forgotten,
rests in my dreams
As, back to the wall, I start the conquest

Innocence and wrath
Now lie far beyond
As we cross the deserts
To reach the fortress' gates

Tragical serenades
Are whispered in the wind
As eyes in fury
Grant us our strength

(They're) throning on the dignity of might
But the successor is to enter the hall
False truth saw them climbing the steps
But I remain the Jewel Throne's choice

[O USURPADOR]

Entregue-me sua mão que empunha o aço
Então poderei reinar sobre o Trono de Joia
Minha alma sente a vontade dos deuses
Enquanto os reis perdidos sustentam meu flanco

(Chorus)
Sangue e areia
Marcam seu caminho
As lágrimas do usurpador
Guiam minha espada

Fantasia adormecida em meus pensamentos
Enquanto eu era um filho do infinito
O imperador, esquecido,
descansa em meus sonhos
Enquanto, encurralado, eu começo a conquista

Inocência e fúria
Agora jazem distantes
Enquanto atravessamos os desertos
Para alcançar os portões da fortaleza

Serenatas trágicas
São sussurradas ao vento
Enquanto olhos furiosos
Garantem-nos nossa força

(Eles estão) entronados na dignidade do poder
Mas o sucessor está para entrar o salão
Falsa verdade os viu escalando os passos
Mas eu permaneço a escolha do Trono de Joia

[DAWN OF MEGIDDO]

Humilated in human form
We have to die to be reborn
Awaiting the final judgement
The dawn now lifts
Subjects of flesh
Slaves of lust
The cross has failed
You won't see the coming fall

A diviner's fire and soil
Flames, like flowers, like blood
Fires of freedom, flowers of doom
A surface of hateful hope

(Chorus)
Oh subjects of pain
Lovers of death
You will feel
The yearning flames

Flames like tongues - like cries
Pant for kisses - For bites
Seven steps - And we're one
Humilated - In human thoughts

The frost, it bites / Your inner heart
Frozens the flame / ln every eye
The lord will come / Broken ice
The fire will burn / Gleaming ways

Well never be reborn
Prenatal death's redeemed (our lives)
(Into his hand) we demand our hearts
The lord and we are one

[AURORA DE MEGIDDO]

Humilhado em forma humana
Nós temos que morrer para renascer
Esperando o julgamento final
A aurora agora se levanta
Subordinados à carne
Escravos da luxúria
A cruz falhou
Você não verá a queda se aproximando

O fogo e solo de um vidente
Chamas, como flores, como sangue
Fogos de liberdade, flores da destruição
Uma superfície de odiosa esperança

(Chorus)
Oh subordinados à dor
Amantes da morte
Você sentirá
As chamas do desejo

Chamas como línguas - como gritos
Suspiros por beijos - por mordidas
Sete passos - e nos tornamos um
Humilhado - em pensamentos humanos

O frio, ele devora / Seu coração
Congela a chama / Em todo olho
O senhor virá / Gelo quebrado
O fogo queimará / Caminhos esplendorosos

Jamais renasceremos
A morte pré-natal redimirá (nossas vidas)
(Em sua mão) entregamos nossos corações
O senhor e nós somos um

Megiddo, ou Mageddo, é um sítio arqueológico em Israel onde, segundo o livro do Apocalipse, acontecerá a batalha final da humanidade contra as forças do mal.

[ETERNAL SUMMER]

The pyramids tremble, darken the sun,
(the) sky turns red
They reached the wall of no return
(and the) breeze has stopped
Who wore the crown will never be known
- might is broken
For all we'll drown into the sand
- what will remain?

Inverted horizons, denied truth
and blinded eyes
The Titans arise, the monuments fall,
we cannot halt
Wishful pleads at last came true,
some always knew
The clouds burn - or is it fire?
... the gods wince

Human pride and megalomania
- The Titans watched it all
The trace led to nowhere
- Wrath had to come
As ushers at the gates
- To ecstasy and excess
AII turn their backs
- They won't give us any rest

(The) fires won't redeem, illuminated's the night
- the eternal summer
When they came high from the sphere
on shrieking wings ...
Now they're trapped to the ground,
to heat and dust
And the eye is glowing above ...

[VERAO ETERNO]

As pirâmides tremem, escurecem o sol,
(o) céu se torna vermelho
Eles alcançaram a muralha sem retorno
(e a) brisa parou
Que envergou a coroa jamais será conhecido
- o poder está quebrado
Pois todos nos afogaremos na areia
- o que restará?

Horizontes invertidos, verdade negada
e olhos cegos
Os Titãs se erguem, os monumentos caem,
não podemos nos deter
Súplicas ansiosas afinal se realizam,
alguns sempre souberam
As nuvens queimam - ou é o fogo?
... Os deuses se encolhem

Orgulho humano e megalomania
- os Titãs a tudo observaram
A trilha não levou a lugar nenhum
- A fúria teve que vir
Como guias nos portões
- Para o êxtase e excesso
Todos viram as costas
- Eles não nos darão nenhum descanso

(Os) fogos não redimirão, iluminada é a noite
- o verão eterno
Quando eles vieram do alto da esfera
em asas guinchantes...
Agora eles estão presos ao chão,
ao calor e poeira
E o olho está brilhando acima...

[CIRCLE OF TYRANTS]

After the battle is over
And the sands drunken the blood
All what there remains
Is the bitterness of delusion

The immortality of the gods
Sits at their side
As they leave the walls behind
To reach the jewels gleam

The days have come
When the steel will rule
And upon his head
A crown of gold

Your hand wields the might
The tyrant's the precursor
You carry the will
As the morning is near

I sing the ballads
Of victory and defeat
I hear the tales
Of frozen mystery

The new kingdoms rise
By the circle of the tyrants
In the land of darkness
The warrior, that was me
Grotesque glory
None will (ever) see them fall
And hunts and war
Are like everlasting shadows

Where the winds cannot reach
The tyrant's might was born
And often I look back
With tears in my eyes
Grotesque glory
None will (ever) see them fall
And hunts and wars
Are like everlasting shadows

[CÍRCULO DE TIRANOS]

Depois da batalha ter acabado
E as areias terem sorvido o sangue
Tudo que lá resta
É o amargo da desilusão

A imortalidade dos deuses
Senta-se a seu lado
Enquanto eles deixam os muros para trás
Para alcançar o brilho das jóias

Os dias chegaram
Quando o aço governará
E sobre sua cabeça
Uma coroa de ouro

Sua mão empunha o poder
O tirano é o precursor
Você carrega a vontade
Enquanto a manhã está próxima

Eu canto as baladas
De vitória e derrota
Eu ouço os contos
De mistério congelado

Os novos reinos se erguem
Pelo círculo dos tiranos
Na terra das trevas
O guerreiro que eu era
Glória grotesca
Ninguém (jamais) os verá cair
E caçadas e guerra
São como sombras duradouras

Onde os ventos não podem alcançar
O poder do tirano nasceu
E sempre olho para trás
Com lágrimas nos olhos
Glória grotesca
Ninguém (jamais) os verá cair
E caçadas e guerras
São como sombras duradouras

[(BEYOND THE) NORTH WINDS]

On days of northern wind,
(past) illusions surround my dreams
Drops of mute oceans breath
in the palm of my hand
The sound of silent waves
still caresses all my thoughts
Where warm, mystic floods dominated
the upper hemisphere

(Chorus)
(And) dark ships sailed
beyond those lost realms
Through gates to eternity,
above the sleeping mind

Forever inconquerable seemed
the walls of time
To those who always feared
and always fled the dawn
But then, the guardians growl
invited the thirst for steeI
Part god, part man,
if I walked by their side

The old man's dream now
has ended much too soon
Forgotten rests the wisdom
that brought them once so far
Vanished until rebirth,
we sleep the endless sleep
For one who knows never tries to reappear ...

[(ALÉM DOS) VENTOS DO NORTE]

Em dias de vento do Norte,
ilusões (passadas) rodeiam meus sonhos
Gotas de oceanos mudos respiram
na palma de minha mão
O som de ondas silenciosas
ainda acaricia todos os meus pensamentos
Onde dilúvios quentes, místicos dominaram
o hemisfério superior

(Chorus)
(E) navios negros navegaram
além daqueles reinos perdidos
Pelos portões para a eternidade,
acima da mente adormecida

Eternamente inconquistáveis pareciam
as muralhas do tempo
Para aqueles que temiam
e sempre fugiram da aurora
Mas então o rosnado dos guardiões
convidou a sede pelo aço
Parte deus, parte homem,
se eu andasse a seu lado

O sonho do velho agora
terminou cedo demais
Esquecida repousa a sabedoria
que outrora os trouxe tão longe
Desaparecidos até o renascimento,
nós dormimos o sono sem fim
Para quem sabe nunca tentar reaparecer...

[FAINTED EYES]

Try to see through fainted views
As reality disappears in haze
A journey between eternal walls ...

The senses unfold before my eyes
As the endless dreams begin to reign
And my hands slip off the edge

(Chorus)
The waters grow dumb
While they descend (behind)
Fainted eyes

Drifting in the streams of wisdom
While recognizing
all those banal tales
Sin beyond truth, (I see) glimmering splinters

Encountering my past
in flickering whispers
While they drown behind their frontiers
And the rulers sink in agony

Fallacy and false idols
Unbelievable is the human direction
But the screams die away in the distance

Try to see through fainted views
But the dust still covers all my dreams
I wouldn't tell you anyway ...

[OLHOS ESMORECIDOS]

Tente ver através de olhos esmorecidos
Enquanto a realidade desaparece em névoa
Uma jornada entre muralhas eternas...

Os sentidos se desdobram diante de meus olhos
Enquanto os sonhos infinitos começam a reinar
E minhas mãos escorregam da beirada

(Chorus)
As águas crescem mudas
Enquanto descem (por trás de)
Olhos esmorecidos

Vagando nas correntezas da sabedoria
Enquanto reconhece
todas aquelas histórias banais
Pecado além da verdade, (eu vejo) estilhaços

Encontrando meu passado
em sussurros cintilantes
Enquanto eles se afogam atrás de suas fronteiras
E os governantes afundam em agonia

Falácia e falsos ídolos
Inacreditável é a direção humana
Mas os gritos morrem na distância

Tente ver através de visões esmorecidas
Mas a poeira ainda cobre todos os meus sonhos
Eu não te contaria de qualquer forma...

[TEARS IN A PROPHET'S DREAM]

(Instrumental)

[LÁGRIMAS NO SONHO DE UM PROFETA]

(Instrumental)

[NECROMANTICAL SCREAMS]

Necromantical screams.
Only you are deaf.
Is there life beyond death?

You've entreated death. The answer will come.
Debris of faith. Even you are false.
Immortal morals. Caught up in time.
Vault of darkness. Filled with hate.

(Chorus)
Deny life. Addiction to death.
Procession of damnation. Expulsion of light.
Hazardous ways. Into the rush.
Soul is frozen and flesh is weak.

Necromantical screams.
Only you are deaf.
Intelligence is mute.

Respect and thoughts.
Buried long ago.
Pleading for the end. Blind and dumb.
We won't feel. There could be more.
I will remain alone in the dark

... only you are deaf

[GRITOS NECROMANTICOS]

Gritos necromânticos
Apenas você é surdo
Há vida além da morte?

Você tem suplicado a morte. A resposta virá
Destroços de fé. Até mesmo você é falso
Morais imortais. Pego a tempo
Catacumba de trevas. Preenchida com ódio

(Chorus)
Negue a vida. Vício na morte
Procissão da danação. Expulsão da luz
Caminhos danosos. Dentro do tumulto
A alma está congelada e a carne é fraca

Gritos necromânticos
Apenas você é surdo
A inteligência é muda

Respeito e pensamentos.
Enterrados há muito tempo
Súplica pelo fim. Cego e mudo
Nós não sentiremos. Poderia haver mais
Eu permanecerei sozinho nas trevas

...Apenas você é surdo

A necromancia é um termo que etimologicamente advém do Grego: "morte" (necro) e "adivinhação" (mancia) e que consiste na adivinhação ou previsão do futuro mediante a consulta aos mortos e seus espíritos ou até mesmo a seus cadáveres.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Álbuns TraduzidosTodas as matérias sobre "Celtic Frost"


Em 27/10/1985: Celtic Frost lançava o álbum To Mega Therion

Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1985Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados em 1985

Celtic Frost: Tom Gabriel detona Metallica por covers humilhantesCeltic Frost
Tom Gabriel detona Metallica por covers "humilhantes"


Músicas ruins: As 100 piores segundo o Aol Radio BlogMúsicas ruins
As 100 piores segundo o Aol Radio Blog

Metallica: a evolução de James Hetfield ao longo dos anosMetallica
A evolução de James Hetfield ao longo dos anos


Sobre Raul Kuk

Raul Kuk descobriu ainda muito cedo o prazer de ouvir histórias, não tardando até que se interessasse por contar as suas próprias. O metal acompanha sua vida desde o final da década de 80, servindo de trilha sonora para os incontáveis mundos que criou com sua narrativa. Fã de histórias em quadrinhos e professor de Cabalá, se expressa através de palavras, fortemente influenciadas por H.P. Lovecraft, Alan Moore e Kurt Vonnegut. Pode ser contactado pelo endereço eletromagnético raulkuk@gmail.com.

Mais matérias de Raul Kuk no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336