Resenha - Soulfly (Carioca Club, São Paulo, 25/08/2013)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Tom Macedo
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Os Paulistanos amantes do metal foram agraciados neste domingo (25/08) com o show da banda Soulfly, liderada pelo lendário vocalista e guitarrista Max Cavalera (ex Sepultura), com o show da turnê sul-americana promovendo o lançamento do novo CD intitulado "Savages". O local escolhido para o evento, foi o tradicional Carioca Club, localizado em Pinheiros, Zona Oeste da cidade.

2342 acessosMax, Igor e Sepultura: vídeo compara performances ao vivo5000 acessosKirk Hammett: "Mustaine toca rápido e eu, melódico"

Fotos: Kennedy Silva
http://www.facebook.com/KennedyFotografiaShow

Estava se criando um ótimo clima para o evento. Local bem estruturado, ótima localização, o apelo por ser o único show da turnê no estado, um mar de pessoas trajando roupas pretas. A casa abriu por volta das 17h30min, era visível a expectativa estampada no rosto de cada amante do Metal.

A abertura ficou por conta da banda The Silence que iniciou seu show às 19h30min. Confesso que a banda foi uma grata surpresa, conseguindo aquecer todo o público presente. Fundada em 2011 e formada por Ricardo China (vocal), Tiago Hospede (guitarra), Rafael Cartman (guitarra), Pablo Lucente (baixo), Bruno Tozzini (sintetizadores), e Filipe Lima (bateria) fizeram um show curto, mas com muita energia e qualidade tocando “Message”, que faz parte do primeiro EP chamado “Unlock the Door”, “Green Devil”, “Embrace”, e “The Fall”, do segundo EP “Follow Your Natural Instincts”, e músicas que farão parte do primeiro CD da banda, como “Inception” e o single “We Still Stand”. Banda de muita qualidade e que muito me surpreendeu. Parabéns aos organizadores pela escolha, e parabéns à banda pelo som.

Após o show do The Silence, era impossível esconder a iminente ansiedade pelo Soulfly. A galera se movimentava, iam até o bar, ao fumódromo, só para terem a certeza de não precisarem sair após começar a pancadaria. E finalmente às 20h30min, a casa veio a baixo com a abertura das cortinas. A galera ensandecida começou a gritar com todo o fôlego: “Soulfy, Soulfly”, e logo após o anúncio da banda, Max Cavalera (vocal e guitarra), Marc Rizzo (guitarra), Tony Campos (baixo) e Kanky Lora (bateria) assumem seus postos, e iniciam o massacre com “Plata o Plomo” surgindo imediatamente uma roda em meio a casa.

Em seguida, foi à vez de “Prophecy”, onde Max chama o público para pular e “quebrar tudo” com uma sequência de músicas devastadoras, “Primitive”, “Defeat U”, “Seek n Strike”, “I And I” e Babilon. Após essa sequencia, Max dedica a música seguinte para sua esposa Glória e seu irmão Igor, e para o delírio de todos os presentes tocam “Refuse Resist”. Se isso não bastasse, tocaram “Territory”, “B.F.W.H.”, “NailBomb”, “Arise”, “Frontilines”, ”Straighthate”, “Rise The Fallen” e “Bloodshed” que conta com a participação nos vocais de Richie Cavalera, enteado de Max e aniversariante da noite.

Tudo estava realmente impressionante. A banda é de extrema qualidade e o Max sabia exatamente como fazer a galera agitar. Então, em um instante, ele para de pedir para a galera abrir a roda e pular, sabendo que não seria necessário, pois cada vez que ele gritava Roots, de "Roots Bloody Roots", o público enlouquecia. Quando imaginei que não poderia ficar melhor, Igor Cavalera é convidado a assumir as baquetas em “Sanctuary”, Max pedia para todos presentes gritarem ainda mais forte, dizendo que após mais de 30 anos de metal não escutava direito, esgotando o pouco de voz que restava aos presentes. Só que o show era do Soulfly, e Max não sentiu em nenhum momento os quase 1h40min de show e canta com maestria “Jump/Eye For An Eye”.

Na seqüência, o baterista Kanky Lora faz a inconfundível base da música “We Will Rock You”, e para a minha surpresa, Max confidencia que sua vontade de montar uma banda veio após ver a banda Queen. Já com gostinho de quero mais, Max deixa o palco e os outros integrantes da banda tocam a introdução de “The Trooper” do Iron Maiden e logo as cortinas se fecham, dando encerramento ao pesadíssimo e ótimo show. Bom, posso afirmar com toda a certeza que todos os presentes viram um evento bem organizado, com uma banda de abertura de muita qualidade e com o Soulfly mostrando como se faz um som pesado.

Agora é ficar torcendo para que continuem saciando nossa fome de boa música e que voltem logo a São Paulo.

Agradecimentos à xlivemusic e a Damaris pelo credenciamento.

THE SILENCE

SOULFLY

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Max, Igor e SepulturaMax, Igor e Sepultura
Vídeo compara performances ao vivo

2539 acessosSepultura: Jean Dolabella comenta sobre documentário da banda0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Sepultura"

Andreas KisserAndreas Kisser
"Sem o Slayer, o Sepultura não teria sido possível"

Para entenderPara entender
O que é Groove Metal?

Angra e SepulturaAngra e Sepultura
As duas bandas mais tretadas do metal nacional

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Soulfly"0 acessosTodas as matérias sobre "Silence"0 acessosTodas as matérias sobre "Sepultura"

MetallicaMetallica
Kirk Hammet fala sobre Dave Mustaine e solos

AngraAngra
Banda errou na escolha de Fabio Lione?

ShamanShaman
Fernando Quesada desabafa sobre cena brasileira

5000 acessosCarlos Eduardo Miranda: "Um monte de roqueirinho que só quer ser da Globo"5000 acessosDoors - Perguntas e Respostas5000 acessosAngra: A carta aberta de Edu Falaschi sobre a sua saída5000 acessosHeavy Metal: 10 vídeos involuntariamente engraçados5000 acessosMastodon: veja fotos do casamento de Brent Hinds com brasileira4003 acessosAxl Rose: vocalista critica policia de Utah por morte de cachorro

Sobre Tom Macedo

Mineiro, Tom Macedo foi para São Paulo ainda pequeno. Com sete anos de idade, ganha de um colega da primeira série uma fita K7. A fita em questão era Seventh Son of a Seventh Son do Iron Maiden, e o pequeno garoto se apaixona pelo estilo musical até então desconhecido. Hoje, Tom é guitarrista e compositor de uma banda, é fanático por Kiss e diferente de todos em São Paulo, adora um congestionamento só para ter mais tempo de escutar o bom e velho Rock and Roll.

Mais matérias de Tom Macedo no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online