Resenha - Marilyn Manson (Fundição Progresso, Rio de Janeiro, 25/09/2007)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Cláudio Borges
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Marilyn Manson é mais conhecido pelo seu comportamento extravagante do que pela sua música. A (má) fama precede qualquer nota tocada. Devido a isso, há sempre uma aura de "qualquer coisa pode acontecer" e extravagância por onde passa.

5000 acessosMarilyn Manson: morre o pai do vocalista5000 acessosJoão Gordo: Ed Motta tem razão, brasileiro não tem noção mesmo!

Não foi diferente na sua primeira apresentação no Rio de Janeiro. A Fundição Progresso parecia uma festa de halloween fora de época ou um boate gótico-erótica, tamanha a profusão de lingeries a mostra, botas de salto plataforma, máscaras, couro, vinil e muita, mas muita maquiagem.

Se os fãs tentavam se espelhar no ídolo, este parecia distante das práticas e do senso estético que criou. Pois o cantor, que entrou no palco às 22:30h, passaria incólume em qualquer lugar não fosse a pesada maquiagem ostentada.

A gótica "If Was Your Vampire", do último CD, "EAT ME DRINK ME", foi a escolhida para descortinar o palco e apresentar os músicos Tim Skold (guitarra, ex-Shotgun Messiah), Rob Holliday (baixo, ex-Prodigy e The Mission), Chris Vrenna (teclado, ex-Nine Inch Nails) e Ginger Fish (bateria), o único remanescente da formação original. Cantando com um microfone encaixado a um falso punhal e todo de preto, Manson foi recebido com os uivos de uma platéia ensandecida. Na sequência, "Disposable Teens" arrancou o primeiro canto em uníssono e fez com que todos tentassem chegar mais perto do palco. Um problema técnico parou o show por cerca de 10 minutos. Ao retornar, MM gracejou: "vocês cantam tão alto que danificaram um dos equipamentos". Se saiu bem. "mOBSCENE" fez a platéia esquecer esse pequeno contratempo e voltar a cantar.

Mesmo sendo o foco das atenções, o Anti-Cristo Superstar parece ter deixado a idade (ou seria o novo relacionamento?) o tornar um tanto "careta". Não fez nada que desabonasse sua conduta: não houve bíblia rasgada, nenhuma auto-flagelação, não mostrou a bunda (ainda bem!) e seu palco era o mais discreto possível. Apenas uma solitária bandeira com as iniciais MM em vermelho cobria alguns amplificadores no fundo do palco. Numa tentativa de baixar os custos, a produção trouxe a versão light do espetáculo. Em todos os sentidos.

Apesar da competência e profissionalismo, ou talvez por conta do seu excesso, o show foi ficando cada vez mais burocrático. Após "Sweet Dreams" (Eurythmics), o público foi esfriando. A vibração de outrora só retornou em "Heart Shaped Glasses" e "Rock is Dead".

Tarde(?) demais. "The Reflecting God" fez o grupo sair de cena. Um longo intervalo se seguiu (parecia mais um problema técnico) e "The Beautiful People" fechou a tampa do caixão. Para surpresa geral, afinal foram apenas 70 minutos de show, as luzes são acesas. Ficou a sensação de que sem o característico show de horrores, Marilyn Manson não passa de uma competente versão de si mesmo.

01-Intro (Piano Flat)
02-If I Was Your Vampire
03-Disposable Teens
04-mOBSCENE
05-Irresponsible Hate Anthem (we hate love, we love hate)
06-Just a Car Crash Away
07-Medley Sweet Dreams/Lunchbox
08-The Fight Song
09-Putting Holes in Happiness
10-Heart Shaped Glasses
11-The Dope Show
12-Rock is Dead
13-The Reflecting God
14-The Beautiful People

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Marilyn MansonMarilyn Manson
Morre o pai do vocalista

436 acessosCanal NB: adolescentes reagem a Marilyn Manson1010 acessosElton John: "Tiny Dancer" ganha clipe com Marilyn Manson0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Marilyn Manson"

Marilyn MansonMarilyn Manson
Corey Taylor fala sobre o cantor

Full RockFull Rock
Músicas perturbadoras e inquietantes

Marilyn MansonMarilyn Manson
A matemática e a sequência Fibonacci

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Marilyn Manson"

João GordoJoão Gordo
Ed Motta tem razão, brasileiro não tem noção mesmo!

Power MetalPower Metal
Conheça dez álbuns essenciais do estilo segundo About.com

TatuagensTatuagens
Forma de expressão artística há mais de 3.500 anos

5000 acessosHeavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 19905000 acessosSeparados no nascimento: Dave Mustaine e Mika Hakkinen5000 acessosJared Leto: a reação ao se ver no papel do Coringa5000 acessosLemmy: apaixonado por todas as mulheres com quem esteve5000 acessosNirvana: Dave Grohl quase ficou de fora do MTV Unplugged5000 acessosBlack Sabbath: $60.000 para fazer o Vol. 4 e $75.000 em cocaína

Sobre Cláudio Borges

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online