RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemA música de Raul Seixas que salvou a carreira de Chitãozinho e Xororó

imagemA opinião de Slash sobre Dave Mustaine e "Rust In Peace", clássico do Megadeth

imagemComo Tommy Lee e o Mötley Crüe ajudaram Axl Rose a escrever "November Rain"

imagemOs 10 maiores vocalistas de heavy metal de todos os tempos, em lista do Ruthless Metal

imagemOs 4 fatores determinantes que levaram Renato Russo a dependência química

imagemEx-guitarrista do Megadeth não liga para Mustaine e diz que está "fazendo dinheiro para ele"

imagemPara John Lennon, os Beatles poderiam ter acontecido sem George e Ringo

imagemMike Portnoy comprou "Piece Of Mind", do Maiden, em excursão escolar

imagemRolê aleatório: Geoff Tate e Rhapsody se divertem em aeroporto no aeroporto

imagemA medida extrema que Dio pensou em tomar por não curtir "Rainbow in the Dark"

imagemOs 10 maiores álbuns da história do grunge, em lista do Brave Words

imagemPor que Lemmy odiava tocar "Ace of Spades" nos shows do Motörhead

imagemQual era a opinião de Tony Iommi sobre Ozzy Osbourne solo e Randy Rhoads em 1984?

imagemPaul McCartney quase foi atropelado ao tentar recriar famosa cena de capa de disco

imagemO Raul Seixas não era nada daquilo que ele falava, diz ex-parceiro musical


Blind Guardian: Fortes e mostrando performance competente

Resenha - Blind Guardian (Vivo Rio, Rio de Janeiro, 18/03/2007)

Por Rafael Carnovale
Postado em 22 de março de 2007

Que sensação maravilhosa todos pudemos sentir ao entrar nas dependências do Vivo Rio e nos depararmos com um ar-condicionado no talo, literalmente com clima de montanha. Esta nova casa veria num domingo quente (e chuvoso) seu primeiro show de metal, e para começar com grande estilo teríamos a performance dos alemães do Blind Guardian, divulgando seu novo CD, "A Twist In The Myth", e apresentando seu novo baterista, Frederik Ehmke. A boa localização da casa, aliada ao horário bem calculado (o show começaria as 20h) permitiu que quase 3000 fãs deixassem o local bem cheio (e quente).

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Fotos: Rodrigo Scelza

Vamos reservar um parágrafo para falar sobre essa casa, inaugurada em 2006 e que é definitivamente um novo e bom espaço para shows. O palco fica em nível inferior, com a tradicional pista e um elevado aonde alguns fãs podem se acomodar e também onde é vendido o merchandise. O som, problema que tem acometido alguns eventos que rolaram no Vivo Rio, estava bem dentro do aceitável, e bem acima do que costumamos ver em shows de metal. Os fãs faziam uma quilométrica fila na porta da casa, o que só aumentava a expectativa para o show da banda. Pesava contra o fato deste ser o terceiro show seguido dos caras no Brasil, e pipocavam fatos de que a banda estava cansada, principalmente após alguns problemas técnicos no show de São Paulo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Perto das 20h as luzes se apagam e um bom Van Halen começa a rolar no som mecânico, seguido pela tradicional abertura de cortinas (com a banda já presente no palco), a intro "War Of Wrath" e a bombástica "Into The Storm" (do CD "Nightfall In Middle Earth"). De cara notamos que Frederik é um monstro preciso, e que Hansi cada vez mais tem dificuldade para atingir os tons altos (sua performance estava bem inferior à de 2002). A galera cantava cada estrofe e riff, e assim o fez com "Welcome To Dying" e "Nightfall", abrindo espaço para "I’m Alive" (de "Imaginations From The Other Side") e a nova "Fly", que não obteve a mesma resposta das anteriores, mas que soou interessante ao vivo, por seu arranjo fora do usual para os padrões do Blind Guardian.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

De fato a banda mostrava sinais de cansaço, por mais que a satisfação estivesse nos olhos de André Olbrich e Marcus Siepen (guitarras), e dos contratados Oliver Howzarth (baixo - aliás, colocá-lo em segundo plano e sempre atrás da linha de frente é um erro) e Michael Schuren (teclado). "Valhalla" viria em seguida para incendiar o Vivo Rio, com os fãs cantando o refrão até mesmo quando a música se encerrou, fato que deixou Hansi e a banda visivelmente emocionados.

Hansi anuncia que o próximo momento será uma diversão coletiva, e "Skalds And Shadows" é tocada no Vivo. Acústica, simples e desnecessária. Retornando a seriedade, segundo o próprio, executam "This Will Never End" (a melhor do novo CD) e "Mordred’s Song", para finalizar o primeiro ato com a soporífera "And Then There Was Silence" (do CD "Night At The Opera"). Seus 14 minutos se transformaram em 28, tamanho o cansaço que a mesma impõe (poderia muito bem ser trocada por sons novos ou até mesmo coisas mais antigas, que foram meio que deixadas de lado no "set-list").

Ficou claro que a banda limou alguns sons que vem tocando em sua turnê e que neste caso em particular deu preferência aos CD’s mais recentes e populares ("Imaginations From The Other Side" e "Nightfall In Middle Earth"), ganhando o jogo sem fazer muito esforço. Claro que os mesmos ao vivo soam muito mais pesados, com a redução nas orquestrações e nas vozes dobradas, deixando o som muito mais enxuto e dinâmico. O Blind Guardian ao vivo é em sua essência uma banda de heavy metal, e as firulas ficam para o estúdio. Hansi de fato tem problemas em reproduzir ao vivo suas vozes, aliado ao fato de ter uma presença mais do que discreta no palco (junto com seus guitarristas), mas seu carisma e respeito ganham o público, e este acaba tendo sempre mais de 2000 vozes dobradas, tornando até desnecessários os vocais de apoio feitos por André, Marcus e Oliver.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Retornando para o bis a banda manda "Imaginations From The Other Side" (uma paulada), a sempre obrigatória (em shows do Blind Guardian) "The Bard Song (In The Forest)", com os fãs acompanhando Hansi, e o fechamento de 1h40 de heavy metal com o hit "Mirror Mirror".

Novamente o Blind Guardian provou que acerca de todos os fatos que dizem que heavy metal é decadente, ainda consegue se manter forte, trazendo boas lotações aonde se apresenta e mostrando uma performance mais que competente. Cansados? Até estavam sim, mas a galera não estava nem um pouco... e olha que ao fim do show nem eram 22h...

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:
Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp

Fotos de Infância: Blind Guardian

Stephen King: Top 5 das canções inspiradas em sua obra

Para entender: o que é power metal?

Fabio Lima: mais dez músicas famosas do Rock que usam violão


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?
Mais matérias de Rafael Carnovale.