Judas Priest fala sobre o filme Rock Star

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Fábio Faria
Enviar correções  |  Ver Acessos

Temendo a repercussão do filme Rock Star, o JUDAS PRIEST divulgou uma nota esclarecendo que a história não tem relação alguma com a banda.

Veraneio Vascaína: Uma ácida crítica à polícia brasileiraTom Grosset: O mais rápido baterista do mundo segundo o Guinness

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Eles afirmam ter conhecimento de que a companhia que produziu o filme baseou-se em uma entrevista concedida por Ripper Owens ao jornal americano "The New York Times", na época de sua entrada no conjunto.

De acordo com a nota, a produção do filme inspirou-se em fatos que aconteceram com várias bandas para criar uma história fictícia. O Judas Priest afirma ter comunicado a Warner Bros de que o nome do grupo não deveria ser usado de forma incorreta e a companhia os assegurou que isso não aconteceria e que a história contada, não se refere a nenhuma banda em particular.

Na verdade os integrantes do grupo não estão preocupados com o fato de um cantor de banda cover passar a ser vocalista de uma banda consagrada - o que aconteceu com Ripper Owens - e sim porque no filme, o vocalista original da banda Steel Dragon é demitido por ser gay. O que eles se apressaram em garantir, não foi o que ocorreu com o Rob Halford.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Judas Priest"


Heavy Metal: as dez maiores bandas britânicasHeavy Metal
As dez maiores bandas britânicas

Rob Halford: Uma resposta educada a comentários de DickinsonRob Halford
Uma resposta educada a comentários de Dickinson


Veraneio Vascaína: Uma ácida crítica à polícia brasileiraVeraneio Vascaína
Uma ácida crítica à polícia brasileira

Tom Grosset: O mais rápido baterista do mundo segundo o GuinnessTom Grosset
O mais rápido baterista do mundo segundo o Guinness


Sobre Fábio Faria

"Maidenmaníaco" convicto, nascido em 1973, passou a escutar Rock com 10 anos de idade. Primeiro disco adquirido foi "Destroyer" do Kiss. Logo depois conheceu o álbum "Killers" do Iron Maiden, e a identificação foi instantânea. Curte todos os estilos e sub-estilos do Rock e do Metal. Sem preconceito, escuta desde Black Sabbath, Yes, Janis Joplin, Slayer, In Flames, Sex Pistols até Dream Theater, U2, Blind Guardian, Slipknot, Carcass, etc. Bandas favoritas: Iron Maiden e Beatles.

Mais matérias de Fábio Faria no Whiplash.Net.

Cli336x280 CliIL