David Ellefson fala sobre F5 e Megadeth

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por João Vitor Hatum de Mendonça, Fonte: Rust In Page
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 02/12/04. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

O ex-baixista do MEGADETH, David Ellefson, conversou recentemente com a KNAC.com sobre sua nova banda, F5, e sobre sua ex-banda. Leia abaixo alguns trechos da entrevista, ou clique aqui para lê-la por completa (em inglês).

3254 acessosMegadeth: cinco vezes onde a banda foi melhor que o Metallica5000 acessosSlayer: Gary Holt é realmente um cara mal-agradecido

KNAC.com: Como você poderia relacionar, musicalmente, sua banda com o Megadeth?

David Ellefson: Musicalmente, todos no F5 são ótimos e tocam muito bem. O que eu gosto nas músicas do F5 é que elas são bem estruturadas, concisas e objetivas, que são comparáveis com algumas músicas do Megadeth, mas com algumas diferenças em relação ao material antigo. Do mesmo modo, o 'groove' é diferente em algumas partes. Por exemplo, quando eu fiz o riff para 'Dissadence' (disponível para download no www.f5theband.com) eu toquei apenas em um tipo de pedal bem antigo usando-o como exemplo. Dave Small sugeriu uma quebrada mais rítmica no exemplo, e conseqüentemente, o fez soar uns 20 anos mais novos! Eu diria que introduzir um riff é a culminação de diferentes influências e estilos. Em outras palavras, isto é genuíno.

KNAC.com: Você acha que os fãs do Megadeth irão aprovar esta banda ou isto está longe de acontecer?

David Ellefson: Eu acho que eles irão gostar! F5 detona, e é pesado com nelodias fortes, solos de guitarra, ótima bateria, muitas linhas de baixo, etc. Basicamente ela tem todos os elementos que nós gostamos. O som da banda é um resultado de uma união de músicos e compositores. Com isto dito, F5 é uma completa amostra de novas caras, portanto haverá , por natureza, um novo estilo e um novo som nisto.

KNAC.com: Você cresceu como músico ou compositor desde que estava em sua última banda?

David Ellefson: F5 surgiu de uma explosão criativa e foi evoluindo tão rápido que rapidamente tomou vida própria. Eu penso que a paixão deve conduzir qualquer banda, caso contrário a dureza do processo pode acabar com você de um tanto, que ela acaba estragando sua vida e sua música. A banda foi um grande processo de crescimento para tornar-me apto a produzir mais e comandar o trabalho, mas sem impor para todos como a banda deve seguir. No F5 é o trabalho em grupo que se sai melhor do que a soma de todas as partes. Isto é o que faz com que todos continuem a trazer o melho de si ao grupo. No final das contas, há um acordo e é aí onde a força reside.

KNAC.com: Haverá um álbum nas lojas em breve ou você está negociando algum acordo?

David Ellefson: Nós fizemos as coisas meio que ao contrário, visto que nós completamos um álbum antes de procurarmos um acordo com alguma gravadora. Isto nos ajudou a definir nosso som e certamente faz com que saibamos como o disco soará no final. Sendo assim, agora nós estamos mostrando as músicas para as gravadoras ouvirem. Ao mesmo tempo, várias pessoas querem ouvir como é o som da banda. Então nós liberamos uma faixa para download no nosso website, como também cedemos a poucas estações de rádio, como a KNAC.com, uma faixa extra para colocarem no ar.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

MegadethMegadeth
Cinco vezes onde a banda foi melhor que o Metallica

3026 acessosHeavy Metal: os 10 melhores riffs dos anos noventa500 acessosMarty Friedman: ouça "Miracle", single do novo álbum solo3498 acessosMetallica: e se James Hetfield cantasse no Megadeth?0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Megadeth"

Rock e MetalRock e Metal
Algumas das melhores duplas de guitarristas

BateristasBateristas
Em vídeo, os 10 melhores do metal

Top 5Top 5
Discos solo que foram lançados sob o nome de bandas

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "F5"0 acessosTodas as matérias sobre "Megadeth"

SlayerSlayer
Gary Holt é realmente um cara mal-agradecido

FutebolFutebol
Conheça os times do coração de alguns rockstars

MetallicaMetallica
Membros entre os maiores maricas de todos os tempo

5000 acessosBlack Sabbath - Perguntas e Respostas5000 acessosSeparados no nascimento: James Hetfield e Mano Menezes5000 acessosTarja: agredida sexualmente por fã durante show no México em 20005000 acessosDire Straits: Sultans Of Swing, ainda irretocável décadas depois4839 acessosIron Maiden: Nicko acha que a banda deve ser "egoísta" no palco5000 acessosMarilyn Manson: produtor fala sobre como é trabalhar com ele

Sobre João Vitor Hatum de Mendonça

Nascido no interior de São Paulo em 1988, hoje graduado no curso de Bacharelado em Ciência da Computação, fanático por Rock e Heavy Metal desde pirralho, sendo, hoje, um dos responsáveis pelo site Rust In Page e criador do blog Inside Loud. A paixão pelo Rock surgiu lá pelos 10 anos de idade com um álbum do Aerosmith e, desde então, teve (e ainda tem) entre seus músicos e bandas favoritas nomes como Iron Maiden, Judas Priest, Megadeth, Rush e Van Halen. Mas, independente de rótulos e conceitos pré-definidos, seu gosto musical viaja desde o som mais pesado de um Carcass, até os experimentalismos de um Mr. Bungle e o som mais moderno de um Stone Sour, apenas ouvindo o que lhe agrada e soa bem aos ouvidos. Hoje, além de trabalhar na área de Computação e ser um 'músico' casual, despende parte de seu tempo no blog Inside Loud, em homenagem a uma de suas maiores paixões: a boa e velha música.

Mais matérias de João Vitor Hatum de Mendonça no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online